Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sérgio Machado, o abraço de afogado

Sérgio Machado, o abraço de afogado

28/05/2016

As gravações elaboradas por Sérgio Machado constituem o escândalo nacional dos últimos dias.

Tanto pelo seu conteúdo quanto pelas figuras que envolveram. Já derrubaram o ministro do Planejamento e enredam o presidente do Senado, um ex-presidente da República, além de citar varias lideranças políticas, ministros, magistrados e procuradores.

O desconforto é generalizado e, se analisadas fora de contexto, as peças podem levar a consequências desastrosas, típicas da figura popularmente conhecida como “abraço de afogado”, onde o indivíduo em perigo, na tentativa de salvar-se, agarra-se a outro e ambos acabam perecendo.

Machado, que já passou por diferentes instâncias políticas, vê a Lava Jato cada dia mais próxima de sua cabeça e, como forma de defesa, saiu gravando figurões a quem tinha acesso. Os trechos divulgados, embora pinçados pelo interesse jornalístico, salvo melhor juízo da autoridade competente, não revelam o cometimento de crimes por seus interlocutores que, em boa parte das vezes, demonstravam pressa em terminar a conversa.

As inconfidências, pelo que se denota, são decorrentes do rumo que o próprio autor das gravações deu às conversas, arrancando opiniões dos escolhidos para serem seus bodes expiatórios. Mesmo contendo trechos embaraçosos, os diálogos não indicam o cometimento de crimes, até porque opinião sem ação não constitui delito.

Ainda mais: as gravações de Machado, até onde sabemos, não foram executadas com autorização judicial e, nessas condições, pouco ou nada valem, mas causam danos irreparáveis à imagem dos envolvidos. É fundamental entender que mesmo nas criticadas delações premiadas, é exigido que as informações prestadas sejam verdadeiras e façam sentido no contexto investigado.

Só depois disso é que há a homologação judicial. Com certeza, nas gravações de Machado, há que se questionar inicialmente a legalidade da produção do material para só depois disso, pensar em investigar o seu conteúdo.

Por mais que tenham falado, não se pode ignorar que Romero Jucá, Renan Calheiros e José Sarney conversaram com Machado em caráter particular, algo parecido como atitude de solidariedade humana ao amigo metido em encrencas.

Tudo o que ali foi dito, é bom entender, foi mediante provocação de um roteiro de conversa que o autor montou ardilosamente para utilizar os amigos importantes como escudos protetores em relação às acusações que apontam em sua direção.

Desde que surgiram, os gravadores de vozes e imagens, fabricados para facilitar a vida, também têm servido para ações criminosas como as agora praticadas pelo ex-senador que, com certeza, agora terá de responder por mais esse crime. Prejuízo para a convivência entre as pessoas...* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso