Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Solução para opressão

Solução para opressão

12/12/2007 Divulgação

Todas as áreas sociais estão propositalmente arrasadas por dois motivos básicos: as verbas destinadas a elas foram desviadas para os paraísos fiscais durante dezenas de anos e a carência de cada área sempre serve de trampolim eleitoral aos candidatos nas próximas eleições.

Se não existirem problemas (não bastariam os naturais?) não haverá ninguém para escutar verdadeiras soluções prometidas (que apenas não são ativadas). Em qualquer área, a solução passa por um primeiro e decisivo obstáculo: coragem de contrariar os interesses de poderosos grupos que não desejam a concorrência de quem pode resolver as necessidades por preços justos, sem precisar adicionar "comissões" na fatura. Se apenas este fator for eliminado com bravura e honestidade pelos administradores, o resto será fácil, pois cada problema possui entre 5 e 10 soluções viáveis. A escolha do melhor projeto seria feita pelos usuários tocados pelas benfeitorias a serem realizadas. Espera-se que o bom administrador faça uma pesquisa entre os membros da comunidade afetada para identificar suas reais necessidades para evitar desperdício de recursos efetuando obras inócuas, adquirindo material em excesso ou definindo planos de atividades conflitantes.

Mais um detalhe: você terá meios e vontade de "colar" no elemento a quem você conferiu sua procuração através do voto? Isto não significa necessariamente aborda-lo na esquina, telefonar e enviar cartas ou e-mails para ele toda semana (quem puder fazer isto, ótimo).

Significa principalmente estar incorporado a uma entidade (sua associação de bairro já serve) de conceito que tem o dever principal de regularmente conferir se cada item do programa anunciado vem sendo cumprido dentro dos prazos imaginados e a preços razoáveis. É sobre esta entidade que você freqüenta regularmente que deve ser feita a pressão. Só assim deixaremos de viver sob opressão.

Haroldo P. Barboza – Recreação e aulas de Matemática

Autor do livro: Brinque e cresça feliz.



Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.


Como chegou o café ao Brasil

Antes de Cabral desembarcar em Porto Seguro – sabem quem é o décimo sexto neto do navegador?


Fake news, deepfakes e a organização que aprende

Em tempos onde a discussão sobre as fake news chega ao Congresso, é mais que propício reforçar o quanto a informação é fundamental para a sustentabilidade de qualquer empresa.


Superando a dor da perda de quem você ama

A morte é um tema que envolve mistérios, e a vivência do processo de luto é dolorosa. Ela quebra vínculos, deixando vazio, solidão e sentimento de perda.


A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?


Anedotas com pouca graça

Uma anedota, de vez enquanto, cai sempre bem; como o sal serve para temperar a comida, a anedota também adoça a conversa ou o texto.