Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

31/12/2021 Alan Riddell

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.

Os grandes fatores que irão empurrar as empresas a pedirem a proteção judicial incluem os seguintes aspectos:

O primeiro deles diz respeito à subida da Taxa Selic para o patamar de dois dígitos, portanto, muito acima dos 2% aa que tivemos no período inicial da pandemia, que foi viabilizado por uma política bem acomodativa do Banco Central (Bacen), que além de baixar os juros, injetou um grande volume de liquidez no sistema financeiro.

De fato, a política do governo funcionou muito bem e evitou uma crise de liquidez no mercado, que combinada com uma postura também flexível por parte dos bancos ao serem mais flexíveis com relação à renegociação dos prazos de pagamento para empresas com mais dificuldades, criou um cenário muito favorável para gestão dos passivos das empresas.

Além disso, as indústrias atuando em diversos setores estão experimentando dificuldades na cadeia de suprimentos com o fornecimento de insumos, matérias primas e embalagens que estão limitando a produção potencial, combinadas também com uma alta inflação de custos dos insumos.

No caso dos importados, além de refletirem um aumento do custo do dólar, há também uma reprecificação em moeda estrangeira.

Isso irá reduzir tanto as receitas como também a margem de rentabilidade, o que deve aumentar o stress das empresas que já se encontram em situação financeira e de liquidez mais frágil.

Soma-se a isso as incertezas políticas durante o próximo ano devido às eleições, no último trimestre, que devem aumentar a cautela do capital externo, pressionando câmbio e taxas de risco.

Por fim, a dificuldade de contratação e aumento no custo de mão de obra qualificada também serão fatores que aumentarão os desafios das empresas na execução das estratégias de negócio.

Mais uma vez, as empresas que irão sair mais fortes deste cenário desafiador serão as que conseguirem atravessar esse período de turbulência com um colchão de liquidez robusto, que permita acomodar bem os choques de rentabilidade e disponibilidade de funding, assim como aproveitar grandes oportunidades de negócio que devem aparecer no caminho.

Quem conseguir executar uma estratégia financeira que permita uma posição de liquidez robusta, com foco em maximizar caixa e liquidez, e gestão dos passivos para um prazo mais longo, combinado com execução rígida de controle de custos, serão os grandes vencedores deste próximo ciclo que se aproxima.

* Alan Riddell é sócio-líder de Capital Advisory na KPMG.

Para mais informações sobre recuperações judiciais clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Somos todos (i)migrantes em algum momento da vida

A imigração é um fenômeno milenar inerente ao ser humano que possibilitou o desbravamento de novos territórios.