Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

31/12/2021 Alan Riddell

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.

Os grandes fatores que irão empurrar as empresas a pedirem a proteção judicial incluem os seguintes aspectos:

O primeiro deles diz respeito à subida da Taxa Selic para o patamar de dois dígitos, portanto, muito acima dos 2% aa que tivemos no período inicial da pandemia, que foi viabilizado por uma política bem acomodativa do Banco Central (Bacen), que além de baixar os juros, injetou um grande volume de liquidez no sistema financeiro.

De fato, a política do governo funcionou muito bem e evitou uma crise de liquidez no mercado, que combinada com uma postura também flexível por parte dos bancos ao serem mais flexíveis com relação à renegociação dos prazos de pagamento para empresas com mais dificuldades, criou um cenário muito favorável para gestão dos passivos das empresas.

Além disso, as indústrias atuando em diversos setores estão experimentando dificuldades na cadeia de suprimentos com o fornecimento de insumos, matérias primas e embalagens que estão limitando a produção potencial, combinadas também com uma alta inflação de custos dos insumos.

No caso dos importados, além de refletirem um aumento do custo do dólar, há também uma reprecificação em moeda estrangeira.

Isso irá reduzir tanto as receitas como também a margem de rentabilidade, o que deve aumentar o stress das empresas que já se encontram em situação financeira e de liquidez mais frágil.

Soma-se a isso as incertezas políticas durante o próximo ano devido às eleições, no último trimestre, que devem aumentar a cautela do capital externo, pressionando câmbio e taxas de risco.

Por fim, a dificuldade de contratação e aumento no custo de mão de obra qualificada também serão fatores que aumentarão os desafios das empresas na execução das estratégias de negócio.

Mais uma vez, as empresas que irão sair mais fortes deste cenário desafiador serão as que conseguirem atravessar esse período de turbulência com um colchão de liquidez robusto, que permita acomodar bem os choques de rentabilidade e disponibilidade de funding, assim como aproveitar grandes oportunidades de negócio que devem aparecer no caminho.

Quem conseguir executar uma estratégia financeira que permita uma posição de liquidez robusta, com foco em maximizar caixa e liquidez, e gestão dos passivos para um prazo mais longo, combinado com execução rígida de controle de custos, serão os grandes vencedores deste próximo ciclo que se aproxima.

* Alan Riddell é sócio-líder de Capital Advisory na KPMG.

Para mais informações sobre recuperações judiciais clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação



Administração de escritórios de advocacia requer planejamento e controle de fluxos

A maneira como uma corporação é administrada repercute diretamente em sua evolução.


Mortes e vidas virtuais

Um grande empresário da internet divulgou recentemente a criação de um universo totalmente on-line.


Contra a ignorância política e administrativa

A pesquisa da consultoria Quaest, que encontrou, entre os pesquisados, 78% que apenas “já ouviram falar” do STF e 80% do TSE e o não conhecimento das funções daqueles dois órgãos superiores, é a mais escandalosa prova da ignorância do povo que recentemente, em outro levantamento, também mostrou não saber o que faz o Congresso Nacional.


Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.