Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Tenho vergonha de falar que sou Coach

Tenho vergonha de falar que sou Coach

01/06/2016 Flávia Ld Lippi

Dar um passo em direção ao crescimento é um grande passo.

Tenho vergonha de falar que sou Coach

Propor a si mesmo ser melhor a cada dia significa assumir uma postura de vida cheia de desafios, mas com um futuro promissor com frutos chamados prosperidade.

Decidir ser um Coach é optar por ver o mundo de uma forma diferente. Olhá-lo por perspectivas de fé e de desenvolvimento ascendente. Ser um Coach é uma filosofia de transformação.

Decidir que, a partir de hoje, fé, esperança, planejamento, ação, postura positiva, participação e responsabilidade são os ingredientes obrigatórios na sua trajetória.

Mais do que uma nova profissão. Mais do que as possibilidades de crescer profissionalmente. Mais do que todos os benefícios que o Coaching trará a você, acredite: a partir deste momento você pode se tornar alguém ainda mais especial para o mundo. Mestre de si mesmo!

E sabe porque eu tenho vergonha de falar que sou coach? Porque se tornou uma profissão de desesperados e iludidos, ou até mesmo ilusionistas. Dentro de meu escritório, que comemora 25 anos de vida, recebo coaches a beira da morte emocional.

O motivo? Simples. Cansaram de suas profissões anteriores ou até mesmo, contrataram um coach e ficaram tão felizes com o resultado imediato que resolveram se formar em uma das inúmeras empresas de formação de Coaching e saíram de lá novos “COACHES”, com a promessa que seriam ricos, amados, bem sucedidos e totalmente resolvidos, como aquele coach, que outrora fora contratado em algum momento da sua antiga vida...

A técnica de Coaching, com suas variáveis, é maravilhosa, e ao longo dos anos, desde que surgiu, foi crescendo e se aprimorando. Entretanto, ela nunca surgiu como promessa de riqueza as custas de outras vidas e outros sonhos e nem muito menos como promessa de completude para quem pratica, principalmente, se esta pessoa não estiver madura como ser humano, para saber se suas necessidades mais básicas e mais complexas estão sendo acolhidas e que demandam o apoio de outros profissionais, incluindo psicólogos ou psiquiatras ou outros profissionais necessários.

Tenho vergonha de dizer que sou coach, porque tenho vergonha de vender dez passos para o sucesso, a fórmula mágica para resolver sua relação com seu marido, o processo perfeito para que você se torne diretor e logo, logo, o CEO de sua empresa, a certeza de que você pagando bem, você terá aquilo que sonha.

Tenho vergonha de ser coach, quando escuto em rodas sociais, a maioria das pessoas dizendo que são coaches e até que enfim tem seus próprios negócios e se livraram da vida monótona de que tinham antes e agora são bem sucedidos e ajudam milhares de pessoas com sua especialidade.

Tenho vergonha de ser coach, quando escuto as mentiras contadas e embaladas em estratégias de marketing, posts fantásticos, delírios de sucesso , cursos mágicos, para convencer uma grande maioria de que contratando este profissional você se torna um deles.

Tenho vergonha de ser coach, quando recebo milhares de spans, whatsup, sms, inbox, e toda forma de comunicação, vendendo, com as mesmas palavras, os mesmos temas, as mesmas abordagens, a mais pura cópia da antiga PNL, deformarda, copiada, desgastada e estragada pelos desesperados pelo dinheiro imediato.

Tenho vergonha de ser coach, em saber que muitos estão passando por maus bucados e ao invés de se curarem, estão vendendo uma cura inexistente. Só desejo a você coach, que seja mestre de si mesmo e repleto de forças para ir além do que você possa ver com olhos humanos.

* Flávia Ld Lippi é CHO - Chief Health & Happiness Officer no IDHL – Instituto de Desenvolvimento Humano Lippi.



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso