Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Todo dia é Dia da Mulher!

Todo dia é Dia da Mulher!

08/03/2016 Vilson Scacchetti Junior

Podem dizer que é um clichê, mas na verdade todos os dias deveriam ser Dia da Mulher.

A maioria das pessoas conhece, mesmo que vagamente, a história das operárias mortas em uma greve dentro da fábrica em que trabalhavam em 8 de março de 1857 na cidade americana de Nova Iorque.

Mas poucos sabem que somente em 1910, durante uma conferência na Dinamarca, essa data passou a ser comemorada como Dia Internacional da Mulher, e menos ainda, que somente em 1975 foi oficializada pela ONU, tornando-se mundialmente celebrada.

Naquele longínquo 8 de março, reivindicou-se igualdade, respeito e condições dignas de trabalho. A manifestação terminou com a morte violenta de 130 mulheres, vítimas da repressão.

Mas não quero expressar uma posição política ou social sobre o que mudou de lá pra cá, mas na iminência da data, faço uma reverência a um dia histórico.

Na verdade, a melhor homenagem às mulheres seria listar suas virtudes na vida cotidiana, como a força e a dedicação delas quando adoecem e precisam manter tudo funcionando como se nada estivesse acontecendo; a competência no cumprimento aos seus compromissos, sempre com a maior atenção aos detalhes; e a firmeza e a delicadeza para lidar com momentos difíceis.

Aos homens, sejam maridos, namorados, filhos ou irmãos, só resta elogiar cada sorriso brilhante, o olhar penetrante, o momento em que seus cabelos esvoaçantes nos controlam. Lembrar como somos facilmente persuadidos pelos seus pedidos e como somos convencidos com aquela doçura da voz.

Muitas vezes nos iludimos bradando aos ventos, aos cantos, aos amigos, muitas vezes aos prantos, que somos dominantes. Até o momento, mesmo que inconstante, em que uma delas resolve agir. Relutamos uma, duas, três... 12 vezes se preciso for, mas no final nos rendemos aos seus encantos.

Podem dizer que é um clichê, mas na verdade todos os dias deveriam ser Dia da Mulher. Por tudo mais que elas sabem fazer, por aquele beijo na testa antes de deitar, ou pelo carinho nos cabelos para nos acalmar, ou quando elas completam uma frase só de ver a gente pensar.

Não cabe a comparação, muito menos competição entre homem e mulher. Cabe sim a constatação de que, seja como for, a mulher sempre faz com mais amor.

A elas dedico esse texto, uma pequena homenagem como se lhes trouxesse uma flor.

* Vilson Scacchetti Junior é Analista de suporte em tecnologia da informação do grupo Vitae Brasil, profissional Certificado Microsoft - Gestão em TI.



Dia do Panificador, o pão e a fome

Oito de julho é o Dia do Panificador. Profissão humilde, raramente é lembrada.


O valor de uma obra

Naquela fria e sombria manhã de Inverno, do ano de 1967, estava à porta da “Livraria Silva”, na Praça de Sé, quando passa, de reluzentes divisas doiradas, o sargento Mário.


A pandemia, as perdas e o novo mundo

Apesar de, infelizmente, ter antecipado o fim da vida de 64,9 mil brasileiros e ainda estar por levar milhares de outros e prejudicar muitos na saúde ou na economia (ou em ambos), o coronavírus pode ser considerado um novo divisor de águas na sociedade.


7 dicas para se profissionalizar na comunicação virtual

De repente, veio a pandemia, a quarentena e, com elas, mudanças na rotina profissional e na forma de comunicação.


O sacrifício dos jovens

Mais de cem dias depois, a pandemia vai produzindo uma cauda longa de desarranjos que se fará sentir por muitos anos e esses efeitos vão atingir, principalmente, os mais jovens.


A “nova normalidade”

A denominada “nova normalidade” não venha nos empobrecer em humanidade.


A inevitável necessidade de prorrogação do auxílio emergencial

Recentemente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo vai prorrogar por dois meses o pagamento do auxílio emergencial.


A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.


O legado da possibilidade

Quando podemos dizer que uma coisa deu certo? O que é, afinal, um sucesso?


O que diabos está acontecendo?

A crise está a todo vapor e acelerando tendências que levariam décadas para se desenrolar.