Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Tudo reflete no todo

Tudo reflete no todo

13/09/2017 Talia Jaoui

Em que país você vive? Brasil. E não adianta nem tentar fugir.

Também não adianta você reclamar, nem se esconder. O Brasil não tem leis. Bandido é protegido no Brasil. Brasil está violento. Brasil tem estupros. Brasil mata adolescentes. Brasil tem políticos desonestos. As ruas estão sujas. Não matem a Amazônia. As coisas não andam neste país. Só pode ser aqui no Brasil, mesmo.

Já ouviram ou leram pelo menos UMA destas frases. Isso se não falaram algumas delas! Deixa eu te contar: Brasil é você e você é Brasil. Como assim, você está louca? Vou te mostrar: Como você interfere nas leis? Você já criou ou participou de algum tipo de campanha a favor da mudança de leis? Qual é a sua contribuição para a diminuição da violência no país? Você se lembra em quem votou?

E qual era a plataforma deste candidato? Você manda e-mail, cobra seu candidato? O que você já fez a favor da Amazônia ou das árvores do seu bairro? De quantos abaixo assinados, que demoram 30 segundos para assinar, você já participou? Fácil julgar e apontar o dedo.

Difícil e desconfortável é FAZER algo para mudar o que deve ser mudado. Não se consegue, obviamente, mudar tudo sozinho. Entretanto, fazer sua parte é fundamental. Essencial parar para refletir para onde você está caminhando. Ajude o próximo, os próximos.

Faça com que eles reflitam também sobre os caminhos que estamos tomando política, econômica e socialmente. Desemprego, violência e corrupção são as palavras que dominam nossas manchetes. Precisamos mudar isso, agora. O processo pode ser lento, mas o começo precisa ser rápido. Ação.

É por isso que sempre acabo tocando no mesmo assunto. Se questionar e agir. Essa é a raiz do Coaching. Essa é a Revolução do Coaching.

* Tália Jaoui é Master Coach Trainer da Prime Talent Brasil. 



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.