Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Um jovem de sucesso, em 1866

Um jovem de sucesso, em 1866

21/12/2021 Humberto Pinho da Silva

A 14 de Novembro de 1839, nascia no Porto, na Rua do Reguinho, em família burguesa, Joaquim Guilherme Gomes Coelho, que veria a ser conhecido como escritor, com o pseudónimo de Júlio Dinis.

No meu tempo de menino e moço, Júlio Dinis, era o escritor dos adolescentes. Não havia rapaz ou moça, que não se deliciasse com as obras, escritas em estilo simples, fluido e acessível a todos.

Aos cinco anos de idade, falecera-lhe a mãe – de descendência inglesa, – vítima de tuberculose, assim como lhe morreram os oito irmãos, com a mesma doença.

Cursou a Escola Médica do Porto, como aluno excecional, e veria, mais tarde a ser professor da mesma.

Começou a publicar poesia no: “Grinalda” e no “Jornal do Porto”, até que, a 12 de maio de 1866, apareceu folhetim, no: “Jornal do Porto”, intitulado: “As Pupilas do Senhor Reitor” - “Crónica da Aldeia”.

Nessa recuada época, quase todos os diários e até semanários, publicavam folhetins. Romances em capítulos, mais tarde, muitos deles vieram a serem publicados em livro. Alguns romances de Camilo surgiram primeiro em folhetim, antes de aparecerem em formato de livro.

Nessa época, como se sabe, não havia TV, Rádio ou Cinema. O enredo dessas novelas e seus autores, tornavam-se rapidamente, tema de conversas, em clubes e serões familiares.

Andava a cidade do Porto em polvorosa, indagando curiosos quem seria Júlio Dinis. Entre eles contava-se seu pai, o Dr. Gomes Coelho.

Até que, por mero acaso, entrando no quarto do filho, encontrou sobre a secretária, manuscritos do romance, prontos a serem entregues na redação do jornal. Júlio Dinis tinha-os deixado sobre a banca de trabalho.

Estava descoberto o segredo… e satisfeita a curiosidade…  “As Pupilas do Senhor Reitor” despertaram forte interesse no meio literário português.

Dizia-se, que fora escrito em estilo “incolor”; ou seja: transição do romantismo para o realismo.

Pinheiro Chagas, Alexandre Herculano, entre outros, teceram palavras de louvor. Até o velho Camilo, em carta a Castilho, datada de 2 de novembro de 1867, dizia que o jovem tinha talento e chegou o momento de: “entroixar eu a minha papelada, e desempeçar a entrada à nova geração”.

Entretanto a doença que há muito sofria, agravou-se. Júlio Dinis, trocou os ares da sua cidade, por Ovar ou (Grijó?).

Acabando, em 1869, ir para o Funchal, sem conhecer melhoras, vindo a falecer na cidade do Porto, a 19 de setembro de 1871, na Rua Costa Cabral, 323, com trinta e dois anos.

* Humberto Pinho da Silva

Para mais informações sobre escritor clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.