Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Uma nova ordem para todas as coisas

Uma nova ordem para todas as coisas

30/05/2017 Roberto Lotfi

Vivemos dias difíceis, extremamente difíceis no Brasil.

A corrupção e a falta de valores teceram intricadas redes em nossas instituições, ameaçando solapá-las, transformando o País em terra de ninguém. Ou melhor, em terra de uma horda infiltrada em partidos diversos, governos, entidades, órgãos gestores, empresas e por aí vai.

Resistimos, é verdade. Cidadãos de bem, de caráter, lisos e de sonhos límpidos seguimos remando contra essa maré. Venceremos e reconstruiremos a Nação, não tenho dúvida. No entanto, a fatura a pagar já é altíssima.

Na medicina e na saúde, os estragos deixados por décadas de desatinos e pela roubalheira generalizada intensificada nos últimos anos são quase que imensuráveis. Basta entrar em um posto de saúde de qualquer cidade ou região ou ainda em um hospital público para ver crianças, idosos, gestantes, enfim, cidadãos, sofrendo sem acesso à atenção em todos os níveis, com a carência de profissionais, falta de medicamentos, de leitos.

É o reflexo do subfinanciamento do setor e da gestão desqualificada. O dinheiro público vazou em negociatas. Os investimentos em saúde estão congelados por 20 anos. A situação é crítica. Mas a sociedade segue vigilante e em busca de dias melhores. Crê, trabalha e exige mudanças imediatamente.

Em nosso meio, entre os médicos, o clamor é o mesmo. Queremos mudanças profundas já para o Brasil. Porém, também há um clamor para que a nossa própria casa seja arrumada. É a tal história do exemplo pelas ações. Fazendo a coisa certa, mais autoridade teremos para cobrar ações corretas.

No Estado de São Paulo vemos um bom exemplo de como agir de forma proba e afinada com as demandas dos médicos. A Associação Paulista de Medicina, o Cremesp, o Simesp, a Academia e as sociedades de especialidades buscam sempre caminhar de braços dados em prol da valorização dos profissionais de medicina e da qualificação da assistência de saúde à população.

Essa coesão, obviamente, se faz em cima de pontos comuns, pois como ocorre em quaisquer grupos, até em nossas famílias, nem sempre comungamos todos dos mesmos pensamentos. O que importa é o respeito às diferenças, a tentativa de entendimento e a compreensão de que as concordâncias valem muito mais de que eventuais divergências, podendo-nos levar longe se trabalharmos com sabedoria.

Entendo que é assim, agregando todas as forças, criando uma nova ordem em que a transparência e a honestidade sejam a base de nossos planos, estratégias e ações que teremos maior possibilidade de elevar o movimento médico e de colocá-lo como um exemplo a ser trilhado por outros setores da sociedade.

Afinal, é o que almejamos também para o Brasil, respeito, tolerância, transparência e honestidade.

* Roberto Lotfi é vice-presidente da APM e conselheiro do Cremesp.



O efeito pandemia nas pessoas e nos ‘in-app games’

É fato que a Covid-19 balançou as estruturas de todo mundo, trazendo novos hábitos, novas formas de consumir conteúdo, fazer compras… E, claro, de se entreter.


A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.