Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Uma Obsessão de Amor

Uma Obsessão de Amor

10/05/2016 Eduardo Henrique Niess Pokk

Todos nós já conhecemos alguém que tem um amor obsessivo.

Tudo acontece por causa da dependência que temos em outra pessoa por termos emoções frágeis. Tem muita gente que continua chamando isso de amor, diz que “ama demais”, mas na verdade, isso não passa de uma dependência. Fernando Pessoa dizia “Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades.

Para viver a dois, antes, é necessário ser um”.

Então, amar, tem seu significado não no que as pessoas buscam, que é se completar com outra pessoa. Amor é, no fim, estar com alguém simplesmente porque gosta de estar com alguém, é uma troca que não é doentia, que não delega prejuízos, sem confusão sentimental. Se não for assim, preste atenção: não é amor. Mas quem é obsessivo não consegue perceber sua obsessão, e por isso precisa da ajuda de um profissional da área da psicologia.

A quantidade de confusões emocionais, pode quantificar essa obsessividade. O problema é que quando nos tornamos dependentes de outras pessoas, em vez de darmos prazer, damos desprazer. Geramos um peso, uma carga que o outro não tem obrigação de carregar, e aí, passa-se a magoar-se com facilidade. Esperando demais do outro, as coisas que deveriam ser produzidas por nós.

A dependência emocional, que deriva a obsessão, gera sofrimento, não pelos motivos que a pessoa diz ser, mas porque não encontra solução para seu sofrer (que seria ter 24h por dia sua pessoa “amada”), mas pela incompreensão do que é ou não real. Nesse ponto, a exigência de correspondência do querer torna-se tão alta, que passa a ser insuportável e, por consequência, o casal acaba se separando. Mas veja, não quer dizer que a pessoa tenha um histórico infantil para leva-la a ter esse tipo de obsessão, um grande trauma amoroso, por exemplo, pode gerar.

Traumas podem e costumam apresentar-se como um “start” em problemas emocionais e também comportamentais. A perda de uma pessoa (por morte ou separação), pode causar traumas que, se não bem tratados, poderão influenciar o restante da vida de quem foi traumatizado.

Este problema não é exclusividade de casais. Esse tipo de obsessão pode ocorrer também, por exemplo, com filhos, mas a dependência ocorre com semelhança a do caso anterior, com a diferença que pais assim podem (e provavelmente vão) atrasar o desenvolvimento emocional de seus filhos, ou, de outra forma, os obrigarão a se tornarem maduros muito mais rapidamente para conseguir responder às expectativas e as dependências dos pais.

Em qualquer um dos casos, é muito importante que haja acompanhamento psicoterápico. É necessário que se entenda a defasagem emocional do obsessivo para que se amenize e este consiga viver com independência e dignidade.

* Eduardo Henrique Niess Pokk é psicólogo clínico.



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.