Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vamos cuidar bem de nosso quintal

Vamos cuidar bem de nosso quintal

24/10/2012 Alfredo Bonduki

A crise internacional tem desviado o foco dos Estados, inclusive nos países desenvolvidos, de questões ligadas à poluição, mudanças climáticas e sustentabilidade.

Assim, tornam-se mais importantes as iniciativas da sociedade na viabilização de um mundo economicamente próspero, socialmente justo e ambientalmente saudável. Estes princípios da triple botton line, no contexto do capitalismo democrático, têm nas empresas o seu grande bastião.

O Brasil, cuja liderança é ascendente no tocante aos temas de interesse multilateral, já avançou alguns passos no âmbito dos compromissos das empresas e da sociedade. O melhor exemplo disso é a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, instituída por lei, que prevê, dentre outros itens, a logística reserva, a cargo dos próprios setores produtivos. Isso significa que fabricantes/importadores, distribuidores e varejistas terão de se unir para tirar do meio ambiente os resíduos e embalagens descartáveis dos produtos que fabricam e comercializam.

Esse imenso trabalho irá somar-se ao aumento da reciclagem e à obrigatória erradicação dos lixões, a partir de 2014, na promessa de imenso ganho ambiental para as cidades. Nesse processo, que envolve praticamente todas as cadeias produtivas, há amplo espaço para a inclusão social, em especial por meio das cooperativas de catadores, e para a participação da comunidade, cuja missão será sempre exponencial, tanto contribuindo para a logística reversa, quanto para o sucesso da coleta seletiva do lixo.

Um exemplo do engajamento do universo produtivo no enfrentamento dos desafios da sustentabilidade encontra-se na indústria têxtil paulista. O Sinditêxtil-SP, que a representa, acaba de lançar o Projeto “Retalho Fashion”, que organizará o descarte e a coleta de retalhos e sua venda a indústrias recicladoras. Também serão capacitadas pessoas pelo Senai para a coleta e seleção do material, com geração de emprego e renda. Ou seja, uma resposta precisa e antecipada à Política Nacional de Resíduos Sólidos e que transcende ao marco legal, já que o setor não está incluído entre os obrigados à prática da logística reversa.

Em 2011, o Brasil importou 13,47 mil toneladas de trapos, ao valor de US$ 13 milhões. Contudo, somente no Bom Retiro, em São Paulo, são geradas 6 toneladas diárias de resíduos têxteis. O Brasil é o quarto maior produtor mundial de algodão e o quinto maior produtor têxtil do planeta, gerando aproximadamente 170 mil toneladas mensais de resíduos. Ora, não podemos continuar importando o que jogamos no lixo. Daí a pertinência do novo programa.

O Sinditêxtil-SP, responsável pela edição do Guia de Produção Mais Limpa, também apresentou à Cetesb reformas no regimento e na representatividade na Câmara Ambiental, tornando-a mais eficaz  e democrática. O setor têxtil investe R$ 2 bilhões por ano na produção, e boa parte desses aportes destina-se ao desenvolvimento de novas tecnologias ambientais. A entidade, cujas empresas filiadas são as que mais aplicam recursos em sustentabilidade, preocupa-se, ainda, com o primeiro emprego dos jovens e a absorção de trabalhadores com baixo nível escolar.

Ademais, as indústrias têxteis paulistas tratam 100% seus efluentes, reutilizam a mesma água, aproveitam seus próprios resíduos para gerar energia, utilizam corantes semanilinas azoicas (que podem provocar alergias e afetar pacientes de asma e bronquite), utilizam fios de pet reciclado e fibras alternativas como de cana-de-açúcar e pneu reciclado. Ou seja, a atividade está se tornando protagonista da moda sustentável.

Como se observa, os setores produtivos brasileiros têm respaldado a liderança crescente do País nas negociações multilaterais relativas à sustentabilidade. Se as nações desenvolvidas e algumas das emergentes estão despreocupadas com o Planeta, vamos dar o exemplo e cuidar muito bem de nosso quintal!

Alfredo Bonduki, engenheiro formado pela Escola Politécnica da USP, é empresário e presidente do Sinditêxtil-SP.



Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.


Os perigos do Transporte Aéreo Clandestino

Os regulamentos aeronáuticos buscam estabelecer critérios mínimos a serem seguidos pelos integrantes da indústria em questão.


A agenda do dia seguinte

A reforma da Previdência será aprovada no Congresso, salvo fatos graves e imprevistos. A dúvida, hoje, se restringe a quanto será, efetivamente, a economia do governo, em dez anos, já que as estimativas variam entre 500 a 900 bilhões de reais.


Comissão de Justiça e Paz

A CJP de Vitória foi criada em 1978 pelos Bispos Dom João Baptista da Motta e Albuquerque e Dom Luís Gonzaga Fernandes.


A sabedoria dos mineiros em ajudar os menos favorecidos

Há quatro organizações não governamentais de assistência social situadas em Belo Horizonte que estão fazendo um trabalho maravilhoso para ajudar os menos favorecidos.