Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vida encaroçada

Vida encaroçada

20/03/2018 Francisco Habermann

A gente percebe que a vida vai passando quando o corpo começa a encaroçar.

Um nódulo aqui, outra inflamação articular ali e a gente vai se adaptando. Cito essas figurações clínicas comuns apenas para comentar uma história real. Que também teve caroços.

Aqueles dois jovens iniciando a vida de casados, tinham as tarefas intensas do dia-a-dia sendo vencidas com dedicação redobrada. Com o serviço de casa completado, ele teve a ideia de preparar um curau.

Era fevereiro, mês de produção abundante de milho verde. Aquele final de dia extenuante pedia um intervalo descontraído do casal e a proposta para apreciar o prato típico foi aceita pela esposa.

Nenhum dos dois tinha prática naquele preparo, só a lembrança de ambas as mães fazendo aquele quitute saboroso, típico da culinária brasileira. Foram em frente. Cortados e raspados os grãos de milho verde, foram moídos em liquidificador e coado o suco.

Baseados nas informações do livro de receitas Dona Benta (primeiro presente que ela ganhara dele, logo que se conheceram), iniciou-se o cozimento da mistura, mexendo sempre. A certa altura da fervura, eis que o líquido foi tomado por caroços. E não adiantava agitar mais com a colher de pau.

Os novatos mestre-cucas resolveram interromper o cozimento e passar o conteúdo na peneira, por sugestão dele. O líquido quente espirrava e o processo sugerido em nada adiantou. Retornado o líquido à panela, reiniciado o aquecimento, os caroços ressurgiam.

Enfim, desistiram do curau. Os doces caroços venceram e o casal ficou só na vontade daquele apreciado prato brasileiro. Mas uma dúvida sobre o procedimento culinário tão simples ficou na consciência dos frustrados novatos.

Somente mais tarde é que souberam do processo de coagulação nodular temporária do amido na própria sequência do cozimento da mistura. Persistindo em fervura, os caroços se dissolvem. E o curau fica uma delícia. Ah, sim, faltou a eles o famoso conhecimento prático que mães amorosas cultivam!

Concluo que na nossa vida acontece a mesmo fenômeno. As dificuldades aparecem e a própria ´fervura´ (persistência? dedicação? amor? ) existencial faz os problemas ( caroços ) se dissolverem por si. E vamos vivendo felizes... Ainda bem!

* Francisco Habermann é professor da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu.



O bullying retorna a sala de aula

Os últimos anos trouxeram intensa mudança para o universo escolar.

O bullying retorna a sala de aula

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Há um ditado que afirma que “ser mãe é padecer no paraíso”, remetendo às contraditórias emoções que seriam desencadeadas pelas vivências cotidianas da maternidade.

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Polícia liberada para trabalhar como sabe

Os contumazes amantes da desordem e defensores intransigentes dos criminosos torceram o nariz quando o governador Rodrigo Garcia determinou o aumento do número de policiais nas ruas (a cidade de São Paulo aumentou de 5 mil para 9.740 o número de policiais em ação) e declarou que quem levantar arma contra a polícia vai levar bala.


Eleições e os bélicos conflitos entre os Poderes

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e, agora, as Forças Armadas estão aumentando a ofensiva contra a transparência e a segurança do processo eleitoral no Brasil.


Os amores de Salazar

O conceito que se tem de Salazar, é de político solitário, déspota e por vezes impiedoso. Mas seria o estadista, realmente, assim?


Expectativa de grande crescimento

Em função da pandemia causada pela covid-19, os anos de 2020 e 2021 foram bastante desafiadores, particularmente para a indústria de máquinas e equipamentos.


A importância da diversificação de investimentos em diferentes segmentos

Mesmo com os desafios impostos por dois anos de pandemia, o volume de investimentos para iniciativas brasileiras em 2021 foi expressivo.


Muito além do chip da beleza

Você, com certeza, nos últimos meses já ouviu falar do famoso “chip” da beleza.


Educação para poucos é o avesso de si

Intitulado “Reimagining our futures together: A new social contract for education”, um estudo recente da Unesco é categórico logo nas primeiras páginas: “Nossa humanidade e Planeta Terra estão sob ameaça”.


Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Tenho experimentado que o “traço de mãe”, plantado por Deus no coração de cada mulher que Ele criou, vai além da capacidade de gerar filhos, biologicamente.

Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Bullying: da vítima ao espectador

O bullying é um tipo particular de violência, caracterizado por agressões sistemáticas, repetitivas e intencionais, contra um ou mais indivíduos que se encontram em desigualdade de poder, gerando sofrimento para as vítimas, agressores e comunidade.


Desafios e oportunidades para o saneamento

Considerado um dos menos atrativos na infraestrutura, o setor de saneamento passa por uma profunda mudança de paradigma com a aprovação da Lei 14.026/2020.

Desafios e oportunidades para o saneamento