Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Você e a autoestima

Você e a autoestima

21/06/2016 Eduardo Henrique Niess Pokk

Muitas pessoas dizem que têm “problemas” em relação a autoestima, mas você sabe o que é isso?

A autoestima é quase a mesma coisa que a autoconfiança, é sentir-se competente para enfrentar desafios que a vida lhe apresenta; a capacidade de exprimir de forma adequada suas necessidades e desejos.

É dizer não, quando quer dizer não. Em outras palavras, a auto estima depende diretamente do amor próprio. E amar a si que gere a felicidade interna, sem depender de ações externas ou de pessoas.

É saber que há o direito e o merecimento da felicidade. De outro lado, existe o contrário da autoestima, onde o perigo mora. A falta dela pode gerar diversos problemas à sua saúde mental e também para a física.

É a partir daí que os problemas tais como ansiedades, medos e também depressão aparecem. De certa forma, problemas de autoestima são derivativos do ambiente social, que impõe uma série de regras de beleza, inteligência, comportamentos, etc., que por motivos óbvios, grande parte das pessoas não conseguem acompanhar.

Mas há aqui, uma visão distorcida de fatos que levam uma pessoa a não se amar. Uma delas é a grande confusão que todos têm entre se amar e ser egoísta, e aquela parte de você que se chama “moral”, acaba não permitindo o amor próprio por conta do que os outros pensarão disso.

Reflita: quem se ama, gera respeito próprio, respeito por seus gostos e seus comportamentos, traz consigo aquilo que julga correto, honesto e bom, dificilmente prejudicará outras pessoas pois conhece bem os limites de onde pode chegar.

Quem se ama não precisa embasar-se na opinião alheia, muito menos importar-se com ela. Mas, se outros precisam de ajuda, a pessoa que tem boa auto estima, não medirá esforços para ajuda-los, lembrando que o faz também por amor, e não por recompensa.

Quer identificar quem tem problemas em confiar em si? Algumas características:

1) Tendência a ser perfeccionista e controlador, centralizadoras de comportamentos e ações, gerando estresse agudo desnecessário tanto nos outros e em si.

2) Culpar outros pelos seus problemas. É a auto vitimização e é comum responderem raivosos, com comportamento dirigido de maneira errada e à pessoa errada.

3) Temem correr quaisquer riscos que apareçam.

4) Dificuldade em olhar “olhos nos olhos” por muito tempo.

5) Dificuldade de concentração prolongada, são geradores constantes de problemas e tendem a cometer erros e acidentes, principalmente no trânsito.

6) São extremamente negativas, olhando o mundo de um jeito onde tudo pode dar errado.

7) Problemas amorosos pois a “união” é provinda de motivos errados

8) Tendem a abusar de drogas, bem como de cigarros e bebidas alcóolicas.

9) Comumente acima de seu peso ideal.

10) Preocupação excessiva com críticas e os comentários que qualquer um.

11) Necessitam de “feedbacks” positivos constantes.

Ao deixar esse problema crescer, acaba se isolando. Quando isso não é possível (âmbito profissional por exemplo), pode ter compulsão por comida e engordando para criar “camadas” para proteger o psicológico.

Mas não existe um destino concreto de sofrimento por esse tipo de escolha inconsciente. Há como resgatar o “eu” de forma positiva, mas isso depende de escolha. Para que se pare de sofrer, é necessário mudar.

Jamais pense que é tarde para que isso ocorra. Comece a mudança por você mesmo. Ninguém pode fazer isso por você, e, se sentir muita dificuldade, busque a ajuda de um psicólogo. Quanto mais sincero e verdadeiro você for consigo, melhor será seu desenvolvimento.

* Eduardo Henrique Niess Pokk é Psicólogo Clínico e Sócio diretor da Pokk Clínica de Psicologia.



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso