Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Você faz parte da solução ou do problema?

Você faz parte da solução ou do problema?

27/09/2016 Luciano Zorzal

Não é raro encontrar pessoas que de forma consciente ou não, preferem fazer parte do problema e não da solução.

Quando um funcionário é contratado, sua grande expectativa é ser a solução para vários problemas que possam ser resolvidos na empresa que lhe escolheu.

Da mesma forma, tão ansioso quanto o candidato à vaga, está o contratante, acreditando que, enfim, poderá contar com alguém para ajudar a realizar as tarefas da empresa.

Porém, não é raro encontrar pessoas que de forma consciente ou não, preferem fazer parte do problema e não da solução. Diante de uma situação mais complicada, sabem somente destacar as dificuldades.

Frases como “Isso não vão dar certo”, “Eu não acredito...”, “Não vai dar tempo”, estão entre as preferidas. Sempre que me deparo com esse tipo de situação, faço a seguinte pergunta ao funcionário: “Então, o que você sugere para solucionar esse problema? Afinal, não é para isso que trabalhamos, para oferecermos uma solução?”

Nesse momento é curioso observar as reações das pessoas. Muitas delas ficam completamente sem resposta. Faça essa experiência na sua empresa. Convide seus funcionários a fazerem parte da solução. Assim, você poderá confirmar o quanto esse posicionamento é muito mais eficiente do que críticas ou discussões.

Melhor ainda será ouvir as possíveis e valiosas contribuições que poderão ser colocadas na mesa depois dessa simples pergunta. Aos clientes interessam os resultados e, portanto, cabe a cada profissional gerar esse resultado. Acredito que quem não ajuda, com certeza está atrapalhando, na melhor das hipóteses, pelo simples fato de estar ocupando a vaga de quem poderia estar ajudando.

Portanto, observe as pessoas com as quais convive e analise a postura que elas adotam. Faça também uma avaliação do seu comportamento, no trabalho, em casa, na comunidade em que vive, você tem sido parte da solução ou do problema?

Se você levar em consideração a frase do intelectual norte-americano Eldridge Cleaver, que diz que "se você não é parte da solução, então é parte do problema" não será muito difícil descobrir. Basta agora decidir em qual time você quer jogar!

* Luciano Zorzal é palestrante, consultor, diretor de expansão da Zorzal Franquias e sócio-fundador da Zorzal Consultores & Auditores Associados.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.