Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A linguagem corporal diz muito em uma entrevista

A linguagem corporal diz muito em uma entrevista

04/05/2018 Divulgação

Confira 8 dicas de linguagem corporal que vão te ajudar a se sair bem em uma entrevista de emprego.

A linguagem corporal diz muito em uma entrevista

Temos uma habilidade impressionante de nos comunicarmos, mesmo quando não usamos palavras. A linguagem corporal tem uma capacidade incrível de transmitir sinais e informações que falam muito sobre nossa personalidade, sobre nosso estado de espírito. Dentro de um processo de recrutamento e seleção é indispensável passarmos a mensagem correta.

A linguagem não falada representa 60% daquilo que o candidato comunica. Sendo assim, é crucial ficar atento às mensagens que podem ser interpretadas ao longo da entrevista. Veja oito dicas, sendo que quatro delas causam uma boa impressão e as outras quatro podem prejudicar o candidato.

Sorrir: Sorrir é fundamental para criar um vínculo de empatia com o recrutador. O sorriso representa seu estado emocional, sua simpatia e seu entusiasmo em participar daquele processo de seleção. É uma linguagem corporal poderosa que fala muito sobre sua personalidade. É um convite para tornar a entrevista uma conversa mais leve - sem falar que quebra o gelo do primeiro contato.

Aperto de mãos: Um aperto de mãos firme, decidido e com atitude também representa sua energia e disposição de estar ali. Mais do que mostrar sua presença e ânimo em participar da entrevista, um aperto de mãos presente mostra que você encara seus desafios de frente, que você sustenta o que está falando. Mas, é claro que nada disso faz sentido se você não olhar nos olhos.

Olhos nos olhos: Conversar olhando nos olhos demonstra verdade e convicção no que se está falando. É claro que encarar o recrutador pode criar um clima desconfortável, mas mostrar por meio do olhar seu interesse e integridade são excelentes formas de se comunicar para causar uma boa impressão.

Postura: Tanto a postura alinhada na hora de caminhar quanto de se sentar são importantíssimas. Ao se sentar, mantenha a coluna reta. A melhor forma é sentar-se do meio para a ponta da cadeira, prestando atenção para manter os pés paralelos ao chão. Mantenha uma distância confortável da mesa. Muito próximo e debruçado pode causar um desconforto no ambiente. Muito distante passa a sensação de descaso.

Gesticulação: Para os que gostam de articular com as mãos, recomendo tentar conter o impulso “espalhafatoso”. Embora seja quase impossível falar sem gesticular, movimentos expansivos e excessivos demostram inquietude, certa imaturidade e nervosismo. Além de tudo, desconcentram o entrevistador.

Síndrome das pernas inquietas: Diretamente relacionada com a gesticulação, a síndrome das pernas inquietas é facilmente reconhecida pelo movimento frenéticos dos pés e pernas. Além de causarem um sentido de urgência, apressando o entrevistador, o gesto demonstra uma ansiedade fora de controle. Mesmo que seja um hábito inocente, a mensagem que passa é que a pessoa está com pressa. Atrelada a essa mania, está o tamborilar de dedos sobre a mesa.

Cruzar os braços: É um bloqueio inconsciente. Claramente uma forma que o corpo encontra de manter a pessoa longe e mostrar que está sendo invadida uma zona de segurança. Pode transmitir também tédio e insatisfação com a entrevista.

Checar o celular: A pior atitude de todas, na minha opinião, e certamente o mal do nosso século. A inabilidade das pessoas em se desconectar e estarem 100% presentes, destrói excelentes oportunidades. Quando estou conduzindo a entrevista, deixo a pessoa à vontade para atender uma ligação, caso seja necessário. Mas, se percebo que as notificações estão sugando a atenção do profissional, eu perco o ânimo de continuar o processo.

Talvez a dica mais importante que eu posso dar é que a pessoa seja transparente e autêntica.

Débora Lima da Cunha - headhnter na Trend Recruitment, boutique de recrutamento e seleção para marketing e vendas.



Confiança dos pequenos negócios mineiros cresce em dezembro

Construção Civil puxa resultado do Iscon, índice que mede o ânimo dos empresários em relação ao desempenho das suas atividades.

Confiança dos pequenos negócios mineiros cresce em dezembro

Perspectivas positivas para a indústria em 2022

É preciso deixar de lado todo discurso derrotista e voltado apenas para desafios e privilegiar a obtenção de resultados.

Perspectivas positivas para a indústria em 2022

Nível de endividamento das famílias brasileiras em 2021 foi o maior em 11 anos

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) foi divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Nível de endividamento das famílias brasileiras em 2021 foi o maior em 11 anos

Sebrae mostra impacto da pandemia sobre empreendedores negros

Pesquisa revela dificuldades na retomada dos negócios.

Sebrae mostra impacto da pandemia sobre empreendedores negros

Uso de cheques no Brasil cai 93% desde 1995

No ano passado, volume de compensações caiu 23%.

Uso de cheques no Brasil cai 93% desde 1995

6 tendências de comunicação e marketing para 2022

Para 64% dos jovens entre 16 e 24 anos, a publicidade tradicional não impacta mais.

6 tendências de comunicação e marketing para 2022

Contribuição mensal de microempreendedores individuais será reajustada

Com o aumento do salário-mínimo, Documento de Arrecadação Simplificada de MEI (DAS) passa a ter novos valores.

Contribuição mensal de microempreendedores individuais será reajustada

Inflação oficial fecha 2021 com alta de 10,06%, diz IBGE

Poupança tem terceira maior retirada líquida da história em 2021

Retirada líquida no ano passado foi de R$ 35,5 bilhões.

Poupança tem terceira maior retirada líquida da história em 2021

Cerca de 40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

De acordo com Sondagem Trimestral, realizada pelo Sebrae em parceria com a FGV, a Indústria é a que mais investiu.

Cerca de 40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

Mercado financeiro prevê que economia vai crescer 0,36% em 2022

Estimativa anterior de crescimento do PIB era de 0.42%.


Capacitação no atendimento é diferencial para fidelizar clientes

Quando você chega a um restaurante, o que mais espera além de uma boa comida?

Capacitação no atendimento é diferencial para fidelizar clientes