Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A maior fábrica de plasma do mundo

A maior fábrica de plasma do mundo

13/01/2006 Divulgação

A Panasonic, a marca pela qual a Matsushita Electric Industrial Co. é mais conhecida, e o diversificado grupo químico Toray anunciaram os plano para a construção de uma nova fábrica de telas de plasma (PDP) no Japão. A indústria será a quarta fábrica da joint venture em Plasma Display Panels (PDP), Matsushita PDP Company Ltda (MPDP), o que dará à Panasonic a maior capacidade produtiva de telas de plasma do mundo.

Com um investimento de 180 bilhões de yens, a maior fábrica de PDP do mundo ficará situada perto da terceira fábrica de plasma da Matsushita PDP Company Ltd. (MPDP) em Amagasaki, no Japão. A nova fábrica terá capacidade produtiva de 6 milhões de telas por ano (calculo realizado com base em telas de 42 polegadas).

A MPDP iniciará a construção da nova fábrica em maio de 2006, com a produção marcada para iniciar em julho de 2007. Quando alcançar a sua capacidade total, em março de 2009, a produção de PDP da Panasonic será ampliada a 11,1 milhões de telas por ano. A nova fábrica é a quinta da Panasonic em produção de PDP. Além das três fábricas da MPDP (duas em Ibaraki e uma em Amagasaki), a Panasonic também possui a Shanghai Matsushita Plasma Display Company na China. A ampliação na capacidade produtiva da Panasonic em PDP consolida a liderança da empresa no mercado de plasma.

“A nova fábrica empregará as mais modernas tecnologias e sistemas de produção, que são ainda mais avançadas do que as implementadas na terceira fábrica em Amagazaki, que começou a produzir em setembro de 2005”, afirma Ken Morita, presidente da MPDP. “Os novos sistemas e tecnologias possibilitarão uma produção em massa ainda maior e com altíssimos padrões de qualidade. A nova tecnologia permite que uma simples chapa se transforme em 8 telas de 42 polegadas, a maior capacidade de aproveitamento no mundo. De acordo com a nossa estratégia de produção nas fábricas de PDP, cada linha de produção será especializada em um tamanho de tela. Como resultado, a MPDP poderá entregar PDPs com mais rapidez e flexibilidade para atender a crescente demanda do mundo pelo produto.”

O mercado de PDP surgiu no Japão e rapidamente ganhou o mundo levado pela tendência da tecnologia digital de transmissão em alta definição. A demanda por PDP na América do Norte e Europa, hoje, excede a demanda no Japão. O mercado crescente na China, o país sede dos Jogos Olímpicos de Verão em 2008, também deve gerar nos próximos anos uma demanda maior do que a japonesa. 

Devido à exigência japonesa por nitidez e clareza da imagem, o mercado de TVs de plasma será impulsionado pela expansão das transmissões digitais, que deve ocorrer até o fim desse ano no Japão, e intensificar-se com a finalização de transmissões analógicas em 2001. Nas outras regiões, como no sudeste asiático, as demandas por PDP devem crescer com a construção da infra-estrutura de transmissão digital.

Morita acredita que “como o plasma tem vantagens técnicas não somente em termos de performance, mas também em custo de produção, os PDPs vão ganhar cada vez mais popularidade como ferramentas multi-função, que podem ser utilizadas no trabalho, nos lares, em aplicações educacionais e médicas.”

“A Panasonic antecipa que o mercado de PDP crescerá para 25 milhões de telas em 2010. Com uma capacidade produtiva anual na casa dos 11 milhões de telas, nós pretendemos ser o maior produtor de PDP no mundo, aumentando a nossa fatia de mercado global para mais de 40%”, explica Morita.

Posicionando o PDP como um de seus principais negócios, a Panasonic e a Toray estão comprometidas a desenvolver a MPDP juntas e a fazer uma contribuição significativa ao progresso da indústria áudio-visual em escala global.



Trabalho presencial: quando e como será possível?

A volta, ou não, do trabalho presencial é um dos principais temas nas instâncias diretivas das grandes empresas brasileiras.

Trabalho presencial: quando e como será possível?

Modelo híbrido é alternativa ao home office? Pela legislação não é bem assim

É preciso cuidado, pois o que se tem dentro da legislação é que esse pode ficar em até 25% da carga horária em home office.

Modelo híbrido é alternativa ao home office? Pela legislação não é bem assim

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Há tempos que o local de trabalho deixou de ser um ambiente sem graça.

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por aproximadamente 70% dos postos de trabalho gerados no país.

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Pesquisa do Sebrae e da FGV mostra que indicadores do segmento apresentaram uma leve melhora em setembro, mas os impactos da crise ainda são sentidos pela maioria.

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Como evitar a estagnação empresarial?

Já pensou no porquê de algumas pessoas continuarem a avançar pessoal e profissionalmente, enquanto outros permanecem estagnadas?

Como evitar a estagnação empresarial?