Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Abertura de empresas brasileiras de tecnologia no Reino Unido dura apenas 15 minutos

Abertura de empresas brasileiras de tecnologia no Reino Unido dura apenas 15 minutos

13/09/2019 Da Redação

Evento na Assespro - PR em Curitiba explicou tudo o que é preciso saber para abrir uma empresa brasileira de TI no país europeu.

Oportunidades de negócios para empresas de tecnologia do Paraná e Reino Unido foi tema do Brazil Tech Roadshow, realizado na última quarta-feira, 11 de setembro, na Assespro – PR, em Curitiba. Trata-se de uma das iniciativas do Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido (DIT-UK) para fomentar a internacionalização de empresas de tecnologia brasileiras e atraí-las para lá.

Os especialistas do DIT-UK explicaram tudo o que é preciso saber para dar esse passo e foram apresentados casos reais de empresas brasileiras que estão se dando bem no Reino Unido, enfatizando sua trajetória, caminhos necessários e como funcionam as parcerias.  

Adam Paul Patterson, cônsul honorário do Reino Unido em Curitiba, esteve presente no encontro e lembrou que, há 100 anos atrás, o Reino Unido era o maior parceiro comercial do Brasil e afirmou que, com iniciativas como essa, é possível reestabelecer essa relação.

“A única forma de prever o futuro é criá-lo. Então, na verdade, eu acho que é isso que estamos fazendo aqui, tentando criar um novo futuro de relações bilaterais ao fomentar cada vez mais esses laços comerciais de tecnologia”, afirma Adam.

Adam reconheceu a importância de que essa edição tenha sido realizada em Curitiba, uma cidade que, segundo ele, é referência nacional e internacional em inovação, assim como o Reino Único, que tem uma rica história de inovação desde a Revolução Industrial. Por isso, acredita que essa conexão seja muito positiva para ambas as partes.

As grandes vantagens de se manter relações com o Reino Unido e que foram debatidas no evento é que ele é um mercado consumidor bastante atraente, extremamente flexível e pode servir de teste pra vários produtos e serviços, como um trampolim pra vários lugares do mundo. Existem trens, aeroportos e a própria rodovia com fácil acesso ao resto da Europa.

Além disso, abrir uma empresa no Reino Unido é um processo bem fácil: demora 15 minutos, é possível ser finalizado em 24 horas e não é necessário ter um sócio local. Com isso, a empresa se torna britânica e tem acesso a todos os benefícios e programas que uma empresa britânica tem.

Outro fator relevante de se estabelecer essa relação e que foi frisado no Brazil Tech Roadshow é que, às vezes, o mercado não é tão maduro: “A necessidade de se internacionalizar nem sempre é um segundo passo, às vezes é simplesmente porque ainda não é possível inserir essa solução aqui, porque talvez ela seja muito mais avançada do que o mercado possa estar absorvendo”, defende Flávia Oliveira, gerente de investimentos do DIT-UK.

A função do Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido (DIT-UK) é justamente facilitar e encaminhar as empresas brasileiras que têm interesse em se internacionalizar, respondendo pequenas dúvidas, auxiliando nos processos de planejamento, decisão e até operacionais.

 “Nosso papel é construir, promover, trazer, a relação bilateral dentro do setor. Entre empresas e stakeholders de forma geral, associações, investidores, pra fazer negócios e promover essa relação entre o Reino Unido e o Brasil e vice-versa”, explica Cristiano Andrade, gerente de desenvolvimento de negócios de tecnologia e cidades inteligentes, do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior do Governo Britânico no Brasil.

“Estamos satisfeitos com o grande público que esteve no evento. Nosso objetivo é potencializar os negócios com os nossos associados, gerar o networking e avançar com mais ações. É muito importante nos atualizarmos sobre as possibilidades no exterior. pois nossos empresários tem se engajado bastante para a internacionalização, então temos incentivado essas oportunidades aqui pra Curitiba” conclui Adriano Krzyuy, presidente da Assespro – PR.

Fonte: Engenharia de Comunicacao



Brasil tem 4,5 milhões de empresas, número em queda desde 2014

Pesquisa foi realizada pelo IBGE em todo o país.

Brasil tem 4,5 milhões de empresas, número em queda desde 2014

A arte de fazer pão no mundo da tecnologia

E as novas tendências de consumo!


Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

Preço de produtos orgânicos e separação do lixo para reciclagem são principais barreiras apontadas, revelam CNDL/SPC Brasil.

Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

O valor do cooperativismo no mundo hiperconectado

Um dos modelos de negócio mais revolucionários do mundo não nasceu no Vale do Silício e não é uma startup.


Prêmio Empreendedor Social abre votação para a categoria ‘Escolha do Leitor’

Categoria com recorde de engajamento no ano passado, Escolha do Leitor - que integra o 15º Prêmio Empreendedor Social - está com a votação aberta até 1º de novembro.


Gestão Ativa do caixa

Como rentabilizar o capital de sua empresa?


Segurança no trabalho

Diferencial para o êxito das organizações.


Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

CNC projeta criação de 91 mil postos de trabalho

Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil

Índice incorpora informações sobre o nível de atividade da indústria, comércio e serviços e agropecuária.


Gestão empresarial para a área da saúde

O êxito de um empreendimento voltado ao atendimento médico não depende somente da composição de um bom corpo clínico.


Como atrair e reter a geração Z?

O mercado de trabalho está começando a receber uma nova geração de profissionais, a chamada geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010.


No mundo corporativo, “como vai?” deve ser uma pergunta sincera

Há alguns anos, quando passava por uma fase bastante difícil em minha vida, encontrei um vizinho no elevador, que me perguntou como eu ia.