Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Bancos precisam de mais controle, escreve imprensa européia

Bancos precisam de mais controle, escreve imprensa européia

30/01/2008 Divulgação

Diante dos prejuízos bilionários causados por um único corretor de ações ao segundo maior banco da França, os articulistas europeus chamam atenção à fragilidade do sistema de controle de um setor já desacreditado.

"Se todas as questões ainda não esclarecidas não tiverem uma resposta rápida, a catástrofe do Société Générale prejudicará a credibilidade de todo o sistema bancário. [...] A possível sanção neste caso será a perda de sua independência. O banco está desestabilizado no mercado, suas ações perderam 40% do valor de seis meses para cá. Numa paisagem bancária abalada pela crise hipotecária norte-americana e prestes a ser reorganizada, o Société Générale se tornou uma presa. Se seu concorrente de longos anos, o BNP Paribas, não o atacar, um outro grande banco europeu poderia fazê-lo, por exemplo o Unicredit italiano", avalia o Les Echos, de Paris.

Outro diário parisiense, o Le Figaro, manifesta opinião semelhante, abordando ainda a questão da ineficiência do sistema de controle: "No fundo, o diretor do Société Générale sabe muito bem que isso que nos é apresentado como fraude na realidade revela um sistema de controle perigosamente frágil. [...] Já hoje está claro que o banco não sairá ileso desta crise. Além disso, este caso incrível – o qual esperamos que seja um caso único fora do comum – prejudica ainda mais um setor que já se encontra na berlinda dos críticos".

O Daily Telegraph, de Londres, compara as atividades dos bancos  hoje em dia com o jogo de azar: "Em seu ímpeto de aumentar os lucros que normalmente podem ser alcançados por meio de aplicações e de créditos, os bancos modernos trabalham com produtos financeiros tão complexos, que só alguns poucos gênios são capazes de entender. [...] Quando os números se movimentam numa direção favorável, a recompensa é considerável. Por outro lado, os patrimônios podem ser lapidados de um instante para outro. São assim os negócios bancários de hoje. É como um dia no hipódromo ou uma noite no cassino. É como apostar nos números vermelhos ou nos pretos, nos pares ou nos ímpares, nos altos ou nos baixos".

"Só faltava mais esta. Desde o começo da semana, as bolsas estão em baixa, graças a executivos bancários que fazem negócios que extrapolam suas habilidades. [...] Talvez os ânimos pudessem se acalmar de novo, se não fosse a próxima notícia assustadora: um único funcionário de banco realizou negócios fictícios no valor de 4,9 bilhões de euros. De onde vem este atrevimento e esta inconsistência? Será que lidar com dinheiro se tornou algo abstrato, na era do computdor?", pergunta-se o Nürnberger Zeitung, diário de Nurembergue, no sul da Alemanha.

Mais informações sobre a Alemanha e a Europa no site www.DW-WORLD.DE/brasil



Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Há tempos que o local de trabalho deixou de ser um ambiente sem graça.

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por aproximadamente 70% dos postos de trabalho gerados no país.

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Pesquisa do Sebrae e da FGV mostra que indicadores do segmento apresentaram uma leve melhora em setembro, mas os impactos da crise ainda são sentidos pela maioria.

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Como evitar a estagnação empresarial?

Já pensou no porquê de algumas pessoas continuarem a avançar pessoal e profissionalmente, enquanto outros permanecem estagnadas?

Como evitar a estagnação empresarial?

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia.

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

Pesquisa feita pelo Sebrae mostra que até mesmo os negócios que não sabem o que é uma IG gostariam de vender produtos típicos regionais.

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios