Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cadastro Positivo: o que muda para o consumidor?

Cadastro Positivo: o que muda para o consumidor?

12/04/2019 Da Redação

Nova lei torna o acesso ao crédito mais fácil para consumidores e empresas que honram seus compromissos financeiros

Cadastro Positivo: o que muda para o consumidor?

Com a publicação no Diário Oficial da União da lei que desburocratiza as regras do Cadastro Positivo (Lei Complementar 166), começam a contar os prazos para o novo modelo entrar em operação.

Na avaliação do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a principal consequência da nova lei será democratizar o acesso ao crédito e possibilitar juros menores para consumidores e empresas que honram seus compromissos financeiros. Além disso, haverá um estímulo à competição entre instituições financeiras e varejo.

Confira abaixo, como funcionará o novo Cadastro Positivo.

1. O que é o Cadastro Positivo? Qual sua finalidade?

Diferentemente do Cadastro Negativo, que aponta somente a situação atual de restrição ao crédito, o Cadastro Positivo é um banco de dados que apresenta o histórico de pagamentos realizados pelos consumidores. Trata-se de um serviço gratuito em que todos têm direito de participar. Sua finalidade é possibilitar aos consumidores acesso ao crédito com mais facilidade e juros menores (de acordo com a análise das empresas credoras), pois com seu histórico de pagamento disponível, eles conseguirão dar mais insumo às empresas no momento da análise de crédito. As informações do histórico de pagamentos dos consumidores que constarem no Cadastro Positivo serão utilizadas única e exclusivamente para subsidiar a análise de crédito.

2. Qual a principal mudança aprovada pelo Congresso na lei do Cadastro Positivo?

A principal mudança é no formato de entrada dos consumidores no Cadastro Positivo. Com o novo modelo, todos os consumidores passam a participar automaticamente do banco de dados. Mas os consumidores não são obrigados a permanecer na base do Cadastro Positivo e podem pedir a exclusão de seus dados, de forma gratuita, a qualquer momento. Assim como podem voltar quando quiserem. Os consumidores poderão solicitar o cancelamento de seu Cadastro Positivo pelo SAC 0800 887 9105. As informações saem automaticamente do banco de dados e não ficam mais acessíveis para a consulta, seja do próprio consumidor ou das empresas que concedem crédito.

3. Quais são as principais vantagens do Cadastro Positivo para os consumidores?

As principais vantagens do Cadastro Positivo são proporcionar aos consumidores uma análise de crédito mais abrangente e assertiva, possibilitar que eles negociem melhores prazos e taxas de juros, de acordo com a análise de cada empresa, e facilitar a aprovação de empréstimos e financiamentos. A expectativa é que o Cadastro Positivo democratize o acesso ao crédito incluindo pessoas que até então não tinham essa oportunidade.

4. Quais as desvantagens que o consumidor terá ao pedir sua exclusão do Cadastro Positivo?

Uma das principais desvantagens é que a avaliação de crédito do consumidor será realizada com base nas informações restritivas, fornecendo ao mercado uma visão parcial do seu histórico de pagamento. Dessa forma, no momento da análise de crédito, as informações de pagamentos do seu Cadastro Positivo não serão consideradas.

5. Um consumidor com histórico de bom pagador que, eventualmente, se esquecer de pagar uma conta terá seu Cadastro Positivo prejudicado?

Na análise de crédito, as empresas tendem a atribuir um peso maior ao conjunto das informações que compõem o Cadastro Positivo, ou seja, a todo o seu histórico, não apenas a um evento isolado.

6. As empresas também serão inseridas automaticamente no Cadastro Positivo?

Sim. Todas as regras e benefícios que são direcionados aos consumidores pessoas físicas também devem ser considerados para as empresas, pois todas têm algum tipo de relacionamento comercial com fornecedores e clientes e, portanto, também terão um histórico de pagamentos.



Nove dicas para reduzir custos em seu negócio

Conheça as orientações do Sebrae Minas para diminuir gastos mantendo a qualidade dos produtos e serviços

Nove dicas para reduzir custos em seu negócio

Vendas na Páscoa têm ligeira alta em 2019

Alta de 1,29% é insuficiente para o varejo retornar ao patamar anterior da crise econômica

Vendas na Páscoa têm ligeira alta em 2019

Franquias de chocolate de baixo investimento são os mais buscados

Maioria dos interessados em franquias de chocolate buscam investir com capital de até R$ 50 mil

Franquias de chocolate de baixo investimento são os mais buscados

PIB fica estável no trimestre encerrado em fevereiro

No acumulado de 12 meses, PIB registra alta é de 1,1%

PIB fica estável no trimestre encerrado em fevereiro

Opinião: As mentiras do ex-chefão da Volks

Denúncia contra Martin Winterkorn é mais um passo no processo legal das fraudes nas emissões de motores a diesel da montadora.

Opinião: As mentiras do ex-chefão da Volks

Empresas podem ainda ser obrigadas a descontar na folha a contribuição sindical?

A Reforma Trabalhista, promovida no Brasil em novembro de 2017, acabou com a contribuição sindical obrigatória para os trabalhadores.


Mais de 8,5 mil empresas foram abertas por dia em 2019

Dados do Empresômetro apontam mais de 722 mil empresas formalizadas no primeiro trimestre do ano

Mais de 8,5 mil empresas foram abertas por dia em 2019

Mundo VUCA e a explosão da economia GIG

Não é de hoje que percebemos a necessidade de nos adaptarmos às mudanças.


Funcionário feliz é mais produtivo

Sabe de uma coisa? Equilibrar a vida pessoal e profissional não é fácil, quem dirá o emocional.

Funcionário feliz é mais produtivo

Produção de grãos deve crescer 2,1%, diz Conab

Produção de grãos deve alcançar 235,3 milhões de toneladas na safra 2018/2019

Produção de grãos deve crescer 2,1%, diz Conab

Exportações do agronegócio mineiro crescem no primeiro trimestre

Valor alcança US$ 1,75 bilhão, com aumento de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado

Exportações do agronegócio mineiro crescem no primeiro trimestre

As mulheres no mercado de trabalho

Apesar das mulheres representarem 52% da força de trabalho no mercado brasileiro, apenas 38% dos cargos de chefia são ocupados por elas.

As mulheres no mercado de trabalho