Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como investir em momentos de incerteza?

Como investir em momentos de incerteza?

24/07/2020 Lauro Araújo

A era digital nos ensinou uma lição difícil: as crises são mais frequentes do que gostaríamos.

Isso é um fato. Não tem como negar. Pela própria definição de crise, elas são imprevisíveis e nenhuma é igual a outra. No futuro, essa era poderia ser facilmente chamada de “a era das crises”.

Também aprendemos uma coisa importante: elas passam. Claro que não sem marcas. A atual crise nos deixa uma marca forte e dolorosa.

Vidas foram perdidas. As crises sempre trazem transformações. Algumas coisas mudam, sem dúvida, mas o mundo continua.

Conversando com pessoas e clientes, fica muito evidente uma marca desta grande crise em particular. Ter dinheiro e conquistar a saúde financeira é importante.

Existe um ditado famoso que diz “dinheiro não traz felicidade”. Eu acredito muito nisso. Mas a ciência mostra, que a falta de dinheiro pode tornar a vida de uma pessoa ainda mais difícil.

Cada vez mais estamos apreendendo que cuidar bem das finanças pessoais, e conquistar a saúde financeira são atitudes fundamentais. Guardar dinheiro e gerenciá-lo bem, é importante.

Atualmente, a saúde financeira talvez não seja um tema tão debatido quanto a saúde física, mental ou espiritual, mas está se popularizando.

Estudos indicam que muitos brasileiros estão investindo em fundos, renda fixa e na bolsa. Praticamente, todos sofreram com a pandemia. Então nós nos perguntamos: o que eu devo fazer com o meu dinheiro nesse momento tão difícil?

A resposta é sempre: foco, força e determinação. Uma carteira de investimentos bem pensada e planejada sofre, mas é resiliente.

Acredito que todos devemos ter ao menos dois tipos de reservas financeiras. A de emergência e a de aposentadoria. Sem elas, alcançar a saúde e o conforto financeiro é praticamente impossível.

A reserva de emergência serve para você garantir a sua qualidade de vida por algum tempo. Normalmente, seis meses de vida.

A regra básica é essa. Com este tipo de reserva, você terá tranquilidade para enfrentar momentos difíceis como a perda de um emprego, a ocorrência de uma doença na família ou o surgimento de algum outro imprevisto.

Durante a pandemia, muita gente está passando por isso. Nesta reserva, o mais importante não é que o dinheiro renda, mas sim cresça, ao menos, junto com a inflação, e esteja disponível a qualquer momento – o que nós chamamos de liquidez.

Portanto, essa quantia sempre deve ser investida em ativos de muito baixo risco. Os fundos de investimento com resgate imediato, são os preferidos.

O Tesouro Selic também é uma boa opção. Na maioria das vezes, estes tipos de investimentos passam ilesos por crises. Só consigo me lembrar de uma crise que os afetou, a do governo Collor. Mas, naquela época, tudo foi afetado.

Com essa reserva durante uma crise, será possível focar no que realmente importa. Com saúde financeira e tranquilidade, a sua energia e foco podem ser direcionados para o que é mais urgente.

Além disso, a segurança que ela fornece, acaba fortalecendo a sua determinação para superar momentos difíceis. Hoje, quem não tem essa reserva, consegue perceber o quanto ela é importante.

A outra reserva que todos nós devemos ter é a de aposentadoria. Um dia vai chegar a nossa vez de fazer a transição de profissional para o que quisermos ser.

Ter dinheiro para aproveitar a “idade de ouro” é essencial. Neste contexto, a coisa é bem diferente. Essa é uma reserva de longo prazo.

Mesmo já aposentado, você precisará dela por mais 10 ou 15 anos. Ela ainda tolera riscos e pode esperar as coisas acontecerem.

Uma característica comum a todas as crises é que os investimentos de maior risco ficam mais baratos. Os preços das ações caem, os valores de vários investimentos de renda fixa diminuem, e assim, as oportunidades aparecem.

Está sendo dessa forma com a crise causada pela Covid-19 e nas futuras também será. Estamos em crise? Aproveite para rebalancear a sua carteira. Mas o que é mesmo isso?

Estudo e aplico o rebalanceamento de carteira de investimentos há mais de 20 anos. Ele consiste simplesmente em comprar mais do que ficou barato.

Normalmente, o nosso dinheiro para a aposentadoria está investido de diversas maneiras. Fundos, Tesouro Direto, ações, fundos imobiliários e etc. Na crise, alguns deles ficam mais baratos.

No longo prazo – anos e não meses –, eles se recuperam. Você ganha mais. Sei que fazer isso, bem no olho do furação, é muito difícil. Mas é assim que você ganhará mais dinheiro.

Hoje, ninguém sabe se teremos uma segunda onda de contaminações. As vacinas ainda estão em fase de testes e tudo indica que teremos mais alguns meses de isolamento social.

Muitas dúvidas, mas uma certeza: essa crise também vai passar. Eu podia enumerar aqui, os vários riscos e desafios para o mundo nos próximos meses. Não vou, pois não quero falar dessa chatice. Mas ainda tem muita coisa pela frente.

O seu dinheiro de longo prazo, aguenta sim o desaforo. Chegando perto da aposentadoria, a coisa muda um pouco. Você diminui o risco, porque já tem uma boa reserva para aproveitar a aposentadoria.

Lembre-se, esse dinheiro é de longo prazo. Um bom assessor de investimentos vai lhe ajudar a fazer a escolha certa. Afinal, com dinheiro não se brinca.

Concluindo, uma vida financeira organizada – reservas bem definidas e aplicadas –, gastos controlados e um planejamento de longo prazo, superam qualquer crise. Essa é a melhor receita para garantir uma boa saúde financeira.

* Lauro Araújo é assessor de investimentos na Atrio Investimentos.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Empresas poderão renegociar dívidas com o Fisco com 70% de desconto

Portaria estende à Receita Federal a modalidade de renegociação chamada de transação tributária.

Empresas poderão renegociar dívidas com o Fisco com 70% de desconto

Gestão de custos e planejamento a longo prazo

Gestão de custos é o processo de planejar e controlar efetivamente os custos envolvidos em um negócio.

Gestão de custos e planejamento a longo prazo

Salário mínimo pode ser de R$ 1.294 em 2023

Se o valor for confirmado, vai ser o quarto ano seguido sem reajuste real.

Salário mínimo pode ser de R$ 1.294 em 2023

CNC prevê alta de 5,3% nas vendas para o Dia dos Pais

Estimativa é criar 18,5 mil vagas temporárias.

CNC prevê alta de 5,3% nas vendas para o Dia dos Pais

Confiança dos pequenos negócios cai em julho

Comércio foi o setor mais confiante e serviços foi o que apresentou menor confiança.

Confiança dos pequenos negócios cai em julho

Arquivei marca presença em grande evento de contabilidade em BH

Coordenadoras da empresa participam de palestra sobre visões estratégicas que podem gerar economia no setor contábil.


Pequenos negócios geram 72% das vagas de emprego no primeiro semestre

Micro e pequenas empresas criam 961 mil postos no período no país.


Quatro principais desafios de vendas para superar até 2023

À medida que o mundo volta a alguma normalidade, começamos a perceber também que a forma de vender mudou fundamentalmente em comparação com os tempos pré-pandemia.

Quatro principais desafios de vendas para superar até 2023

MEI poderá emitir nota fiscal de serviço no Portal do Simples Nacional

Mais de 13 milhões de empreendedores devem ser beneficiados.

MEI poderá emitir nota fiscal de serviço no Portal do Simples Nacional

Mais de 70% dos empresários mineiros estão otimistas com o 2º semestre de 2022

Primeiro semestre do ano teve aumento de 51,9% nas vendas em relação a 2021.

Mais de 70% dos empresários mineiros estão otimistas com o 2º semestre de 2022

Como o “jeito fintech” de fazer negócios tem possibilitado o surgimento de novas empresas

Quem já se aventurou no empreendedorismo ou está fazendo isso agora sabe o quanto é difícil se destacar em um ambiente extremamente competitivo.

Como o “jeito fintech” de fazer negócios tem possibilitado o surgimento de novas empresas

Volatilidade da economia gera incertezas e oportunidades no mercado imobiliário

De janeiro a maio, o CUB/m2 já acumula variação de 10,05%, enquanto o custo com material cresceu 9,02% e o custo com a mão de obra, 11,17%.

Volatilidade da economia gera incertezas e oportunidades no mercado imobiliário