Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Dia das Mães deve ter alta nas vendas este ano

Dia das Mães deve ter alta nas vendas este ano

02/05/2019 Divulgação

A data deve gerar movimentação financeira de R$ 9,7 bilhões, e a expectativa é que sejam criadas 22,1 mil vagas temporárias

Dia das Mães deve ter alta nas vendas este ano

Tudo indica que mais uma vez o próximo Dia das Mães será bom para o comércio. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostram que o volume de vendas para a data deve registrar aumento de 3,8% em relação a 2018, já descontada a inflação. Confirmadas as previsões, este será o terceiro ano consecutivo de aumento real das vendas desta data.

O estudo da CNC indica ainda que a data deve registrar movimentação financeira de R$ 9,7 bilhões neste ano, nível equivalente ao volume de vendas verificado em 2014, que foi de R$ 9,6 bilhões.

A principal razão para o terceiro aumento consecutivo do faturamento real do varejo brasileiro nesta data está no comportamento dos preços. Os repasses de preços acima da taxa de inflação ao consumidor não têm sido tão grandes porque o mercado ainda vive sob a fragilidade do processo de recuperação econômica. Além disso, ainda há a alta da moeda americana, que variou 7% nos últimos 12 meses.

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a variação positiva das vendas para o Dia das Mães indica que o consumidor ainda tem confiança na economia do País. Além disso, a contratação temporária deverá ser a maior em quatro anos, gerando algo em torno de 22,1 mil vagas, com salário médio de admissão de R$ 1.262,00.

“O mercado de trabalho é um fator fundamental para sustentar o crescimento econômico. Com mais empregos, temos mais renda, consumo de bens e serviços, alimentando um círculo positivo que beneficiará o País. Por isso, qualquer movimento relacionado à criação de empregos tem que ser considerado, mesmo no caso dos temporários”, avalia José Roberto Tadros.

Fonte: CNC




Acredite, 2020 será o melhor ano da vida de muitas pessoas

Independente do cenário, muitas pessoas estão fazendo dinheiro como nunca. E a causa primária disso é a Internet.


O momento pede revisão na estratégia para manutenções

Como essa nova realidade mundial enfrentada pelo coronavírus impõe mudanças na estratégia de gestão dos ativos.


Economia brasileira recua 1,5% no primeiro trimestre

Resultado foi afetado pelo novo coronavírus e isolamento social.

Economia brasileira recua 1,5% no primeiro trimestre

O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

É fato que muitas empresas, no Brasil e no mundo, já tinham essa como uma prática regular.

O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

Pesquisa mostra consumo mais consciente e compromisso com a sustentabilidade

61% dos consumidores esperam que as marcas que compram tenham práticas claras de sustentabilidade.


Coronavírus provoca a maior queda da história na intenção de consumo das famílias

ICF cai 13,1% em segunda retração mensal consecutiva e atinge menor nível desde novembro de 2017.

Coronavírus provoca a maior queda da história na intenção de consumo das famílias

A hipótese das três crises

Ao colocar as pessoas em isolamento social, a pandemia do coronavírus gerou uma crise múltipla.


Shopping Centers – O desafio da reinvenção

Há a necessidade de ir mais além, mergulhar no íntimo do conhecimento do nosso cliente, usar definitivamente o que se aprendeu nos bancos da universidade - a antropologia do consumo, o atendimento personalizado, ir além.


Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

Produtores da Aprocer comercializam 450 quilos de queijo a um valor superior ao que vinha sendo negociado regionalmente.

Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

Com a pandemia, 11% dos pequenos negócios mineiros tiveram que demitir

Pesquisa do Sebrae mostra que a flexibilização temporária das regras trabalhistas dá fôlego aos pequenos negócios para atravessarem a crise.

Com a pandemia, 11% dos pequenos negócios mineiros tiveram que demitir