Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Diferença de séculos: ser chefe ou ser líder?

Diferença de séculos: ser chefe ou ser líder?

08/06/2017 DINO - Divulgador de Notícias

É preciso estar atento para avaliar a si próprio e ter coragem para mudar as suas estratégias de atuação.

Diferença de séculos: ser chefe ou ser líder?

O mercado de trabalho se transforma constantemente. Para atender a demandas específicas estimuladas em grande parte por avanços tecnológicos, surgem novas profissões especializadas.

Da mesma forma, outras profissões perdem a razão de existência e desaparecem. Há, ainda, aquelas que avaliam as mudanças, incorporam algumas, se adaptam e, assim, conseguem permanecer relevantes.

Neste cenário complexo, é preciso estar atento para avaliar a si próprio, reconhecer os erros, estudar constantemente o mercado para se atualizar e ter coragem para mudar as suas estratégias de atuação.

A figura do líder em contraposição à do chefe é um dos sintomas mais importantes dessas mudanças. Mas, afinal, o que é um líder e que diferenças existem entre ele e o chefe?

Diferença entre ser líder e ser chefe

A grande diferença entre a atuação de um líder e a de um chefe é como cada um estabelece o relacionamento com as pessoas com as quais trabalham. Enquanto o chefe, cotidianamente, está preocupado com a obtenção de resultados volumosos que indiquem lucro, o líder tem consciência de que a principal força de seu negócio está nos profissionais da equipe.

As pessoas são a principal ferramenta de trabalho para o líder. Assim, elas devem ser estimuladas para desempenharem o melhor de si. E esse estímulo começa fazendo com que elas estejam conscientes de que são parte de uma equipe com objetivos em comum e que possuem no líder um profissional com quem podem contar. Isto acontece muito com franqueados que ao invés de empregados, possui parceiros. Assim, todos crescem, todos ganham.
Imagine se deparar nesta situação

Você (e apenas você) precisa executar uma determinada atividade que te deixa inseguro, com dúvidas de como proceder, quais informações privilegiar e como aplicá-las. Há um prazo de conclusão bem determinado e você está, quase literalmente, perdido.

O que fazer? Pedir ajuda, um conselho, um direcionamento é a saída.

Então, você analisa o seu chefe e percebe que ele é a autoridade máxima do setor, distribui ordens a todos, não está disposto a discuti-las e cobra sempre resultados mais numerosos.

Provavelmente a sua insegurança aumenta. O pensamento “Se eu perguntar isso, ele pode duvidar da minha capacidade de realizar o trabalho…” fica indo e voltando na sua cabeça. Aí, você desiste de procurá-lo, se vira como pode e cumpre a demanda do jeito que dá.

Agora, se você trabalha com um líder, o desfecho da situação é outro. Isso porque o líder também faz parte da equipe e o bom desempenho de cada profissional o interessa diretamente. Assim, ele vai te motivar, te mostrar possibilidades de atuação e vai ouvir o que você tem a dizer. Sim, um líder tende a ser democrático em suas decisões.

Liderar é motivar. Chefiar é cobrar

Em relação ao chefe paira aquela visão de alguém que dá ordens o tempo todo, centraliza as decisões, cobra o tempo todo, avalia o tempo todo e de alguém que aponta os erros de maneira autoritária sem se preocupar com os possíveis caminhos e motivos que levaram a determinado resultado insatisfatório.

O líder reconhece que a força do trabalho está nas pessoas e faz questão de que esses profissionais saibam disso para sentirem-se valorizados. E quando você sente que o seu trabalho possui valor, que o seu desempenho é importante para a equipe como um todo e que você tem abertura para sugerir novas abordagens, falar das suas ideias, das suas inseguranças, você está motivado para fazer o seu melhor.

Estar motivado ou não para realizar um trabalho é o reflexo do relacionamento que cada profissional possui com a pessoa que está no comando, seja o seu líder ou o seu chefe. Nós da Escritório Sempre Limpo, possuímos a característica de estimular as potencialidades dos colaboradores. Resumindo o que estávamos conversando…

O chefe representa uma hierarquia rígida e os funcionários são subordinados a ele.

O líder trabalha em equipe com os colaboradores.

O chefe centraliza as decisões e distribui ordens.

O líder abre a possibilidade de diálogo com a equipe.

O chefe executa uma função mais pontual, quase burocrática.

O líder trabalha com a motivação dos profissionais.

O chefe tende a ser temido pelos funcionários.

O líder geralmente é respeitado pelos colaboradores. 



Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Há tempos que o local de trabalho deixou de ser um ambiente sem graça.

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por aproximadamente 70% dos postos de trabalho gerados no país.

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Pesquisa do Sebrae e da FGV mostra que indicadores do segmento apresentaram uma leve melhora em setembro, mas os impactos da crise ainda são sentidos pela maioria.

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Como evitar a estagnação empresarial?

Já pensou no porquê de algumas pessoas continuarem a avançar pessoal e profissionalmente, enquanto outros permanecem estagnadas?

Como evitar a estagnação empresarial?

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia.

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

Pesquisa feita pelo Sebrae mostra que até mesmo os negócios que não sabem o que é uma IG gostariam de vender produtos típicos regionais.

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios