Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Emprego sobe 1,8% e retoma tendência positiva

Emprego sobe 1,8% e retoma tendência positiva

06/04/2016 Da Redação

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) voltou a subir 1,8% em março, alcançando 73,8 pontos.

Emprego sobe 1,8% e retoma tendência positiva

A alta - segundo avaliação do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) - representa uma retomada da tendência positiva, interrompida pela queda de 1,1% em fevereiro.

Embora o resultado sinalize uma atenuação do ritmo de queda do total de pessoal ocupado na economia brasileira ao longo dos próximos meses, o indicador ainda permanece em um patamar muito baixo, na avaliação do economista da FGV Fernando de Holanda Barbosa Filho, e sinaliza para um mercado de trabalho bastante difícil nos próximos meses.

“O Indicador Antecedente de Emprego, mesmo mostrando recuperação agora em março, ainda se encontra em um patamar muito baixo, o que sinaliza um mercado de trabalho ainda fraco nos próximos meses”, disse o economista.

Para ele, a queda observada no Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) nos últimos meses “não indica forte recuperação, nem redução da taxa de desemprego a curto prazo, o que significa que os indicadores apontam para um mercado de trabalho ainda bastante difícil”, nos próximos meses.

Em consequência da elevação do Indicador Antecedente de Emprego, o Indicador Coincidente de Desemprego recuou em março 0,2%, para 97,5 pontos. “Esta é a terceira queda consecutiva do indicador, sinalizando acomodação da taxa de desemprego neste primeiro trimestre”, informa a FGV.

Acrescenta que os componentes que mais contribuíram para a alta do Indicador Antecedente de Emprego no mês passado foram os que medem o grau de satisfação com a situação atual dos negócios, bem como o grau de otimismo com a evolução dos negócios nos seis meses seguintes - todos da Sondagem da Indústria, e ambos com variação de 4,5%.

O levantamento da FGV constatou, ainda, que, em relação ao Indicador Coincidente de Desemprego, a classe de renda que contribuiu majoritariamente para a queda foi a de consumidores com renda mensal familiar até R$ 2.100,00, cujo indicador de percepção de facilidade de se conseguir emprego caiu 7,2%.

O IAEmp é constituído por uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, tendo capacidade de antecipar os rumos do mercado de trabalho no país.

Ele é construído a partir de dados desagregados, em quatro classes de renda familiar, do quesito da Sondagem do Consumidor, que capta a percepção das famílias sobre o mercado de trabalho.

Em março do ano passado, o Indicador Antecedente de Emprego chegou a cair 8,6%, na série livre de influências sazonais (ou seja, comparativamente a fevereiro do mesmo ano) retraindo para 64,9 pontos.

Foi em setembro do ano passado, no entanto, que o indicador atingiu o menor patamar dos últimos doze meses ao cair 3,4% frente a agosto (queda de 2,6%), indo a 62 pontos.

Fonte: Agência Brasil 



Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

Preço de produtos orgânicos e separação do lixo para reciclagem são principais barreiras apontadas, revelam CNDL/SPC Brasil.

Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

O valor do cooperativismo no mundo hiperconectado

Um dos modelos de negócio mais revolucionários do mundo não nasceu no Vale do Silício e não é uma startup.


Prêmio Empreendedor Social abre votação para a categoria ‘Escolha do Leitor’

Categoria com recorde de engajamento no ano passado, Escolha do Leitor - que integra o 15º Prêmio Empreendedor Social - está com a votação aberta até 1º de novembro.


Gestão Ativa do caixa

Como rentabilizar o capital de sua empresa?


Segurança no trabalho

Diferencial para o êxito das organizações.


Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

CNC projeta criação de 91 mil postos de trabalho

Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil

Índice incorpora informações sobre o nível de atividade da indústria, comércio e serviços e agropecuária.


Gestão empresarial para a área da saúde

O êxito de um empreendimento voltado ao atendimento médico não depende somente da composição de um bom corpo clínico.


Como atrair e reter a geração Z?

O mercado de trabalho está começando a receber uma nova geração de profissionais, a chamada geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010.


No mundo corporativo, “como vai?” deve ser uma pergunta sincera

Há alguns anos, quando passava por uma fase bastante difícil em minha vida, encontrei um vizinho no elevador, que me perguntou como eu ia.


Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

53% dos brasileiros têm dívidas que não ultrapassam R$ 1 mil, mostra indicador CNDL/SPC Brasil.

Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

Dólar em alta, empresas baratas?

Não é de hoje que a alta do dólar é música aos ouvidos de grandes exportadores, afinal, moeda desvalorizada possibilita vantagem competitiva mundo afora.