Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Empresas inadimplentes devem cerca de R$ 5.580, revela pesquisa

Empresas inadimplentes devem cerca de R$ 5.580, revela pesquisa

25/09/2019 Da Redação

Volume total de empresas com contas em atraso cresce 4,08% em agosto, mostra indicador CNDL/SPC Brasil.

Empresas inadimplentes devem cerca de R$ 5.580, revela pesquisa

Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que as empresas inadimplentes no país encerraram o último mês de agosto com uma dívida média de R$ 5.582,90. De modo geral, mais da metade (56%) das empresas que estão negativadas possuem pendências que somadas superam a cifra de R$ 1.000,00. De acordo com o levantamento, cada empresa inadimplente tem, em média, dois compromissos não quitados.

No último mês de agosto, o volume de empresas negativadas cresceu 4,08% na comparação com o mesmo período do ano passado. Apesar do avanço, a variação é menor do que no mesmo mês de 2018, quando a alta fora de 8,99%. Em agosto de 2017, o volume de empresas inadimplentes havia crescido 3,42% e em agosto de 2016, avançou 7,61%.

Entre as regiões pesquisas, o crescimento mais robusto foi observado nos Estados da região Sul, cuja alta foi de 5,52%, seguido do Sudeste, que apresentou avanço de 5,40% no volume de empresas inadimplentes. Nas demais regiões as altas foram mais modestas: 1,85% no Centro-oeste, 1,50% no Nordeste e 1,47% no Norte.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a atividade econômica ainda enfraquecida vem prejudicando o faturamento das empresas e, consequentemente a sua capacidade de pagamento. “A dificuldade dos empresários em manter os compromissos financeiros em dia está relacionada ao baixo crescimento da economia. Apesar da economia dar sinais de recuperação e a inflação se manter controlada, assim como os juros em menor patamar, há uma considerável distância entre os níveis atuais de atividade e os que antecedem a crise”, analisa Costa.

CNDL/SPC Brasil



Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

CNC projeta criação de 91 mil postos de trabalho

Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil

Índice incorpora informações sobre o nível de atividade da indústria, comércio e serviços e agropecuária.


Gestão empresarial para a área da saúde

O êxito de um empreendimento voltado ao atendimento médico não depende somente da composição de um bom corpo clínico.


Como atrair e reter a geração Z?

O mercado de trabalho está começando a receber uma nova geração de profissionais, a chamada geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010.


No mundo corporativo, “como vai?” deve ser uma pergunta sincera

Há alguns anos, quando passava por uma fase bastante difícil em minha vida, encontrei um vizinho no elevador, que me perguntou como eu ia.


Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

53% dos brasileiros têm dívidas que não ultrapassam R$ 1 mil, mostra indicador CNDL/SPC Brasil.

Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

Dólar em alta, empresas baratas?

Não é de hoje que a alta do dólar é música aos ouvidos de grandes exportadores, afinal, moeda desvalorizada possibilita vantagem competitiva mundo afora.


Atividade do varejo perde fôlego e cresce 1,41% em setembro

Alta é pouco menor do que a constatada em setembro do ano passado, apontam CNDL/SPC Brasil.

Atividade do varejo perde fôlego e cresce 1,41% em setembro

Enfrentando a tempestade digital

Os líderes empresariais assumem seus postos depois de muito empenho.


Sem essa habilidade, seu futuro profissional está comprometido

Ser um fluente digital tem muito mais a ver com uma nova lógica de entender o mundo e trabalhar nele.

Sem essa habilidade, seu futuro profissional está comprometido

A isenção de impostos e o viés positivo do setor de saúde

O Governo Federal está tomando algumas medidas que sinalizam que um bom viés para o setor de saúde.


CNC projeta maior alta de vendas para o Dia das Crianças em seis anos

Roupas infantis, tênis, chocolates, bicicletas e brinquedos estão com preços mais baixos.