Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Gulliver invade lado lúdico do mundo animal

Gulliver invade lado lúdico do mundo animal

15/03/2006 Divulgação

O mundo animal sempre fascinou a criançada. Florestas, animais selvagens, dinossauros... tudo isso estimula a imaginação dos pequenos e cria um clima de aventura. Para trazer este surpreendente mundo para mais perto da garotada, a Gulliver, em parceria com o canal Animal Planet, acaba de lançar uma linha com miniaturas de mais de 15 animais selvagens e pré-históricos. 

As réplicas têm cerca de 15 centímetros de altura e reproduzem detalhes realísticos, além de trazerem informações e curiosidades sobre o comportamento dos bichos, o que estimula o desenvolvimento do senso de responsabilidade pela natureza e pela conservação do meio ambiente. A linha traz, além de ursos, tigres e crocodilos em cartelas individuais, caixas com as famílias de animais, como o papai e a mamãe zebra e seu filhote. Tudo para enriquecer ainda mais a brincadeira e incentivar o cuidado com os animais.

São 15 modelos diferentes: Urso Pardo, Gorila, Tigre de Bengala, Elefante Africano, Girafa, Leão, Zebra, Alce, Urso Polar, Camelo, Tigre Siberiano, Hipopótamo, Rinoceronte Branco, Cobra Naja, Crocodilo e alguns filhotes. Podem ser encontrados em cartela individuais com dados e curiosidades sobre cada bichinho, com preço sugerido de R$ 12,90. Mamute e Espinossauro também vão entrar na brincadeira, para mostrar como eram os animais primitivos. Preço sugerido: R$ 44,00. As famílias completas do Tigre de Bengala, Leão, Urso Pardo, Elefante, Urso Polar, Tigre Siberiano, Girafa e Zebra também vão brincar juntas. Preço sugerido: R$ 29,90



Governo de Minas bate mais um recorde de atração de investimentos

Estado registrou R$ 4,1 bilhões de investimentos somente no mês de junho.

Governo de Minas bate mais um recorde de atração de investimentos

Os cuidados necessários para coleta de lixo hospitalar

Venha descobrir neste post sobre os principais cuidados de coleta de lixo hospitalar para ter mais segurança quanto à higiene da sua instituição!

Os cuidados necessários para coleta de lixo hospitalar

Os negócios e o Cisne Negro

Como a cultura orientada à evolução contínua pode preparar sua empresa.


CNC revisa para 9,2% projeção de queda no varejo em 2020

Adoção de estratégias de e-commerce ajudaram o varejo a repor parte das perdas impostas pelo novo coronavírus até o momento.

CNC revisa para 9,2% projeção de queda no varejo em 2020

Vendas no comércio varejista crescem 13,9% de abril para maio

Alta veio depois de dois meses de queda devido à pandemia.

Vendas no comércio varejista crescem 13,9% de abril para maio

O que as empresas devem fazer com os funcionários após a pandemia?

Muito se fala sobre um novo tipo de profissional a ser buscado pelas organizações, que domine tecnologias, que seja disciplinado.

O que as empresas devem fazer com os funcionários após a pandemia?

Receita diz que vendas em junho cresceram 10,3%

Média diária de vendas no último mês foi a maior de 2020.

Receita diz que vendas em junho cresceram 10,3%

Insegurança na Pandemia: agora é a hora certa para investir?

Se você estava pensando em investir e a pandemia chegou com tudo, com certeza está se perguntando se prossegue com o plano, se muda a rota, se a palavra de ordem agora deve ser contenção.


Home office: Solução ou Castigo?

Para muitos, a adoção do home office foi a solução mas, algumas pessoas não querem nunca mais trabalhar neste modelo.

Home office: Solução ou Castigo?

Rendimento médio de brasileiros cai a 82% em maio devido à covid-19

Pesquisa mostra que auxílio emergencial é fundamental para mais pobres.

Rendimento médio de brasileiros cai a 82% em maio devido à covid-19

O que as empresas devem saber sobre o Home Office

O que era exceção parece que está virando regra… e definitiva.

O que as empresas devem saber sobre o Home Office

Cerca de 2% dos pequenos negócios encerraram as atividades devido a pandemia

Pesquisa do Sebrae mostra também que metade dos empresários mineiros que fecharam permanentemente, não pretendem mais empreender.

Cerca de 2% dos pequenos negócios encerraram as atividades devido a pandemia