Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

10/10/2019 Da Redação

53% dos brasileiros têm dívidas que não ultrapassam R$ 1 mil, mostra indicador CNDL/SPC Brasil.

Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

O número de pessoas físicas inadimplentes no país continua crescendo, mas em patamares mais modestos do que em períodos anteriores. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que o volume de consumidores com contas em atraso aumentou 1,3% no último mês de setembro na comparação com igual período de 2018. Trata-se da menor expansão do número de devedores desde dezembro de 2017, quando a variação também havia sido de 1,3%. Em setembro do ano passado, a inadimplência cresceu 3,9%.

O arrefecimento da inadimplência também dá sinais mais evidentes na comparação mensal do indicador. Nesse caso, sem ajuste sazonal, a quantidade de consumidores com contas atrasadas apresentou um leve recuo de -0,5%, o que configura a quarta queda seguida na série histórica do indicador.

Outro dado que caminha na mesma direção é o número de dívidas em atraso, que teve queda de -2,5% em setembro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado – a quarta contração seguida e a mais expressiva desde dezembro de 2017.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a expectativa é de que a inadimplência não volte a crescer a taxas expressivas no curto prazo, mas apresente sinais de estabilidade. “A economia e o consumo seguem se recuperando de forma lenta e gradual e assim deverá ser o comportamento dos próximos meses. Isso impedirá que a inadimplência cresça a taxas expressivas como no passado, mas por sua vez, também não será o suficiente para induzir uma queda mais acentuada no número de atrasos. Ainda demorará para observarmos um aumento expressivo na renda do brasileiro e na queda do desemprego, que são os fatores que mais pesam na capacidade de pagamento das famílias”, analisa Pellizzaro Junior.



Intenção de consumo das famílias sobe em fevereiro

Intenção de consumo das famílias alcança maior nível desde abril de 2015, diz CNC.

Intenção de consumo das famílias sobe em fevereiro

Não perca tempo com problemas que não existem

É muito comum num grupo, numa reunião ou na empresa inteira, pessoas discutirem possíveis problemas em meio a um trabalho.

Não perca tempo com problemas que não existem

10 dicas para melhorar a gestão do conhecimento no contact center

O grande desafio enfrentado pelos contact centers é atender o cliente de forma rápida, objetiva e solucionar todas as demandas.


Inadimplência tem a segunda menor variação em janeiro em uma década

Brasil tem 61,3 milhões de consumidores com restrição ao crédito, mostram CNDL/SPC Brasil.

Inadimplência tem a segunda menor variação em janeiro em uma década

Bancos leiloam 300 imóveis com descontos de até 73%

Há unidades em diferentes estados disponíveis no site da Sold Leilões e no Superbid Marketplace.

Bancos leiloam 300 imóveis com descontos de até 73%

O que está em jogo com o jogo no Brasil?

Escrevi um artigo há uns três anos sobre o jogo no Brasil intitulado “O jogo no Brasil e o sofá do corno”.


Inovação no mercado de comunicação

Dois nomes deste mercado se uniram em um empreendimento comum.


CNC reduz para 5,3% estimativa de crescimento do varejo em 2020

Setor fechou 2019 com terceira alta anual consecutiva, impulsionada por inflação e juros baixos.

CNC reduz para 5,3% estimativa de crescimento do varejo em 2020

Fundos imobiliários e as expectativas para 2020

2019 foi um ano de muitas oportunidades na indústria de fundos imobiliários no Brasil.


A indústria puxará o crescimento

A política industrial que nos convém se reduz a umas poucas regras de bom senso.

A indústria puxará o crescimento

Inflação do aluguel é de 6,86% em 12 meses

Índice não teve variação no início de fevereiro, diz FGV.

Inflação do aluguel é de 6,86% em 12 meses

Meu funcionário voltou da China. E agora?

Além de problemas no atraso ligados à entrega de mercadorias e possível redução de vendas, há outros impactos do coronavírus trazidos às empresas que mantêm relações comerciais diretas com a China.

Meu funcionário voltou da China. E agora?