Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Liberação do FGTS e PIS/Pasep vai impulsionar o consumo até o fim do ano

Liberação do FGTS e PIS/Pasep vai impulsionar o consumo até o fim do ano

12/09/2019 Da Redação

De acordo com CNC, comércio e serviços deverão ser positivamente impactados.

Liberação do FGTS e PIS/Pasep vai impulsionar o consumo até o fim do ano

A liberação de recursos das contas do PIS/Pasep e do FGTS deve estimular o consumo e elevar o nível de atividade da economia nos últimos quatro meses do ano.

Se confirmada a estimativa do Ministério da Economia de saques de cerca de R$ 30 bilhões entre agosto e dezembro de 2019, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que R$ 13,1 bilhões serão gastos no comércio (R$ 9,6 bilhões) e nos serviços (R$ 3,5 bilhões), além de R$ 12,2 bilhões (40% do total) que serão utilizados pelos consumidores para a quitação ou abatimento de dívidas e R$ 4,7 bilhões (16% do total) que deverão ser poupados ou consumidos somente em 2020.

Para o economista da CNC Fabio Bentes, apesar da quitação ou abatimento de dívidas representar uma parcela significativa dos recursos disponibilizados, o percentual deve ser menor que na liberação do FGTS em 2017 (46% do total), mas o impacto sobre o varejo tende a ser maior em 2019, 32% do total contra 25% em 2017.

“O consumo no comércio e no setor de serviços poderia representar uma parcela maior dos gastos dos consumidores, não fosse o ainda elevado grau de comprometimento da renda das famílias com os juros decorrentes do endividamento. Contudo, mesmo indiretamente, esses setores tendem a se beneficiar da queda do grau de endividamento no médio prazo”, acredita Bentes.

Mesmo diante do comprometimento da renda, a liberação de recursos tem potencial para acelerar o consumo. A previsão da CNC é que o consumo das famílias avance 0,9% no último trimestre de 2019, em comparação ao terceiro trimestre, o que significa um impulso adicional de 0,3% com a liberação de recursos, diante da expectativa anterior de 0,6%.

CNC



Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

Preço de produtos orgânicos e separação do lixo para reciclagem são principais barreiras apontadas, revelam CNDL/SPC Brasil.

Brasileiros ainda têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente

O valor do cooperativismo no mundo hiperconectado

Um dos modelos de negócio mais revolucionários do mundo não nasceu no Vale do Silício e não é uma startup.


Prêmio Empreendedor Social abre votação para a categoria ‘Escolha do Leitor’

Categoria com recorde de engajamento no ano passado, Escolha do Leitor - que integra o 15º Prêmio Empreendedor Social - está com a votação aberta até 1º de novembro.


Gestão Ativa do caixa

Como rentabilizar o capital de sua empresa?


Segurança no trabalho

Diferencial para o êxito das organizações.


Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

CNC projeta criação de 91 mil postos de trabalho

Contratação de temporários para o Natal será a maior em seis anos

Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil

Índice incorpora informações sobre o nível de atividade da indústria, comércio e serviços e agropecuária.


Gestão empresarial para a área da saúde

O êxito de um empreendimento voltado ao atendimento médico não depende somente da composição de um bom corpo clínico.


Como atrair e reter a geração Z?

O mercado de trabalho está começando a receber uma nova geração de profissionais, a chamada geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010.


No mundo corporativo, “como vai?” deve ser uma pergunta sincera

Há alguns anos, quando passava por uma fase bastante difícil em minha vida, encontrei um vizinho no elevador, que me perguntou como eu ia.


Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

53% dos brasileiros têm dívidas que não ultrapassam R$ 1 mil, mostra indicador CNDL/SPC Brasil.

Inadimplência do consumidor cresce ao menor ritmo em quase dois anos

Dólar em alta, empresas baratas?

Não é de hoje que a alta do dólar é música aos ouvidos de grandes exportadores, afinal, moeda desvalorizada possibilita vantagem competitiva mundo afora.