Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

22/09/2021 Divulgação

Pesquisa feita pelo Sebrae mostra que até mesmo os negócios que não sabem o que é uma IG gostariam de vender produtos típicos regionais.

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

A popularidade das Indicações Geográficas (IG) vem apresentando crescimento entre os micro e pequenos negócios de varejo. Dados de pesquisa recente, feita pelo Sebrae, mostram que 60% das empresas entrevistadas sabem o que é uma IG e a maioria tem interesse em vender produtos das IGs. Dos que conhecem os produtos com IG, 52% já optaram por vendê-los em seus comércios. O estudo foi feito com micro e pequenos negócios do varejo para entender como é a relação dos comerciantes com os produtos típicos regionais.

As Indicações Geográficas brasileiras são indicações de procedência ou denominações de origem que garantem a diferenciação de produtos e serviços com base na sua origem. O Brasil possui até o momento 88 IG reconhecidas dos mais diversos produtos. Entre as IGs registradas estão o queijo da Canastra, o café da Região do Cerrado Mineiro, os vinhos finos e espumantes do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, os melões de Mossoró, no Rio Grande do Norte, a farinha de mandioca do Uariri, no Amazonas, o mel do Pantanal, do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, entre tantas outras que movimentam o mercado.

Para a analista de inovação do Sebrae, Hulda Giesbrecht, os resultados são expressivos e podem ser ainda melhores se houver colaboração e integração entre produtores e vendedores de produtos das Indicações Geográficas nas ações de comunicação com o mercado. “O produto com IG não é só um produto com um nome diferenciado, ele tem uma história, há mecanismos de controle em sua produção que o fazem manter características únicas. Já imaginou o dono de uma mercearia apresentar para o consumidor um queijo da Canastra ou um café da Ata Mogiana sem identificar corretamente ou realçar os seus diferenciais? Isso não pode acontecer. Por isso, é preciso que tanto os produtores, quanto os comerciantes, conheçam as características de cada região/produto e ressaltem esses diferenciais para o consumidor”, afirma.

Segundo a pesquisa do Sebrae, até mesmo aqueles empreendedores que não sabem o que é uma IG gostariam de vender em seus negócios “produtos típicos regionais”. Para 74% dos pesquisados que desconhecem o que é IG seria interessante oferecer produtos típicos mostrando-os em posição de destaque, dando amostras grátis para o consumidor conhecer ou mesmo ressaltando as características do produto por meio de uma identificação destacada. “Apesar do crescimento da popularidade das IGs, ainda estamos em processo de expansão do conhecimento desse conceito pelo mercado. Os empreendedores podem explorar o potencial desses produtos no mercado. São produtos especiais que contam histórias de regiões e pessoas. O que falta é alinhamento e comunicação entre produtores e comerciantes”, observa Hulda.

Para mais informações sobre indicação geográfica clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Sebrae



7 erros comuns de empreendedores iniciantes para evitar na hora de abrir um negócio

CEO revela as principais falhas que podem justificar o número de empresas fechadas com menos de um ano de atividade no Brasil.

7 erros comuns de empreendedores iniciantes para evitar na hora de abrir um negócio

Belo Horizonte inaugura complexo de quadras de areia para esportes de praia

Calçadão BH traz entretenimento e ambiente praiano para o público mineiro.

Belo Horizonte inaugura complexo de quadras de areia para esportes de praia

Nível de confiança dos pequenos negócios mineiros cai em setembro

Microempreendedores apresentaram o menor índice de confiança no mês e Indústria tem a pior variação em relação a agosto.

Nível de confiança dos pequenos negócios mineiros cai em setembro

Qual o real papel das empresas?

Convido você a fazer uma reflexão sobre o tema proposto neste artigo: será a geração de lucro o real papel das empresas?

Qual o real papel das empresas?

Novo fôlego para o empresariado

As micro e pequenas empresas brasileiras chegaram perto de entrar em colapso com o início da pandemia, em março do ano passado.


Trabalho presencial: quando e como será possível?

A volta, ou não, do trabalho presencial é um dos principais temas nas instâncias diretivas das grandes empresas brasileiras.

Trabalho presencial: quando e como será possível?

Modelo híbrido é alternativa ao home office? Pela legislação não é bem assim

É preciso cuidado, pois o que se tem dentro da legislação é que esse pode ficar em até 25% da carga horária em home office.

Modelo híbrido é alternativa ao home office? Pela legislação não é bem assim

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias