Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Setor empresarial repudia aprovação de Novo Plano Diretor

Setor empresarial repudia aprovação de Novo Plano Diretor

21/11/2018 Divulgação

FIEMG e sindicatos lideram movimento contra a proposta que tende a tornar mais caro morar em BH.

O Movimento em favor de BH e contra a criação de mais um Imposto sobre Moradias, representado pela FIEMG e outras 28 instituições das classes empresarial, industrial, comercial, de trabalhadores e de serviços, que assinaram o manifesto “Mais Imposto não, BH”, demonstra preocupação com a aprovação em 1º turno do Projeto de Lei 1749/2015, o novo Plano Diretor de Belo Horizonte, nesta terça-feira, 20/11, pela Câmara Municipal da capital (CMBH). O placar da votação foi de 36 votos a favor, 06 contra e duas abstenções. Confira.

O vice-presidente da FIEMG e presidente da Câmara da Indústria da Construção, Teodomiro Diniz Camargos, enfatizou que a aprovação do plano é muito negativa para o desenvolvimento de Belo Horizonte.

“É um plano que significa uma grande perda para a capital. Nós esperamos que ainda possa haver uma análise por parte dos vereadores e que o plano dessa forma não seja aprovado em segundo turno. Além disso, é um Projeto de Lei que é difícil de se fazer emendas, uma vez que tende a descaracterizar o plano completamente. Nossa ideia é debater novamente o plano para que possamos conseguir o melhor para Belo Horizonte,” pontuou.

O empresário ainda alertou que a criação de uma nova modalidade de imposto é danosa para a economia da cidade. “É uma medida que tende a agravar o já grave quadro de desemprego na cidade – temos mais de 130 mil famílias com desempregados - e afastar ainda mais a população de baixa renda para lugares distantes e outras cidades. Isso, além de prejudicar a economia da cidade, que já perdeu 200 mil pessoas nos últimos anos, e tende a ter um mercado consumidor menor e menos mão de obra, além de afastar parte da população para regiões sem a menor infraestrutura e carente de serviços básicos”, comentou.

Entenda a outorga onerosa do direito de construir

O plano diretor é, de acordo com a legislação federal, o instrumento que fixa as áreas nas quais o direito de construir poderá ser exercido acima do coeficiente de aproveitamento básico adotado, mediante contrapartida a ser prestada pelo beneficiário.

O coeficiente de aproveitamento é a relação entre a área edificável e a área do terreno. Se o coeficiente for 1, a área edificável será igual à área do terreno. De acordo com a legislação federal, um plano diretor pode fixar coeficiente de aproveitamento básico único para toda a zona urbana ou diferenciado para áreas específicas.

Pelo projeto, o coeficiente de construção passará para 1, isso significa que se um lote tem 300 m², o seu proprietário poderá edificar até 300 m². Caso queira uma edificação para além desse limite, poderá fazê-lo mediante pagamento à Prefeitura. Os recursos adquiridos pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) irão para um fundo a ser fiscalizado por conselhos com participação da sociedade civil e terão o objetivo de assegurar novas habitações de interesse social e melhorias na infraestrutura urbana.

O plano diretor também definirá os limites máximos a serem atingidos pelos coeficientes de aproveitamento, considerando a proporcionalidade entre a infraestrutura existente e o aumento de densidade esperado em cada área.

Fonte: Sistema FIEMG 



A governança de riscos e gestão em fintechs

Em complemento às soluções e instituições financeiras já existentes, o mercado de crédito ficou muito mais democrático com a expansão das fintechs.


Kanban ainda é pouco explorado, mas pode revolucionar o cotidiano das empresas

Como trazer soluções efetivas em condições de fluxo de atividade em escala?

Kanban ainda é pouco explorado, mas pode revolucionar o cotidiano das empresas

Investimentos registram captação de R$ 46 bi no primeiro trimestre

O segmento de fundos de investimentos fechou o primeiro trimestre de 2022 com absorção líquida de R$ 46,1 bilhões, movimentação de 56,9% menor do que o observado no mesmo período de 2021.


Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Dados divulgados pela ANBC demonstram contingente da população mineira que se beneficiou da primeira consulta de crédito após a implantação do Cadastro Positivo com adesão automática.

Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

MEIs e PMEs podem economizar cerca de R$ 2.000 em serviços e produtos bancários por ano.

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Mais de um terço dos empresários do segmento planeja expandir ou melhorar as atividades entre abril e junho.

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Trabalhar numa empresa e conhecer os seus setores faz parte da rotina de qualquer colaborador.

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Índice que mais tem concentrado a queda da confiança, Condições Atuais do Empresário do Comércio, surpreende, apresentando maior crescimento mensal.

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021

Pesquisa mostra que cada brasileiro gastou em média R$ 16,21 por refeição, significando uma alta de 12% em relação a 2020.

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021

Saiba como escolher os melhores vinhos para sua comemoração

Reunir as pessoas mais queridas, escolher a playlist, caprichar na decoração e acertar no cardápio e arrasar na escolha dos vinhos.

Saiba como escolher os melhores vinhos para sua comemoração

Habilidades tão importantes quanto talento na ascensão pessoal e profissional

Não basta ser bom na área de atuação, é preciso mais que isso.

Habilidades tão importantes quanto talento na ascensão pessoal e profissional

Vendas do varejo crescem 1,1% de janeiro para fevereiro, diz IBGE