Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

18/06/2019 Da Redação

Segundo Empresômetro, já são mais de 1 milhão de negócios ativos

Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

O país conta com uma das maiores redes varejistas de roupas e acessórios do mundo. Segundo dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado, são mais de 1 milhão de negócios em atividade e formalizados, representando 5,53% de todas as empresas ativas do país.

A Região Sudeste conta com a maior concentração de varejistas de roupas, com mais de 460 mil empresas; somente São Paulo congrega mais de 250 mil. Na Região Sul, o Rio Grande do Sul tem no mercado mais de 80 mil negócios. A Bahia, o maior estado da Região Nordeste, conta com mais de 60 mil empreendimentos nessa atividade.

Somente nestes primeiros seis meses de 2019, o crescimento em relação a 2018 foi de mais de 8%, um total de mais de 72 mil novas empresas abertas somente neste ano. “São negócios como a venda de roupas e acessórios que são mais procurados, pois são bens de uso comum, e é uma atividade pouco complexa, mas que precisa de dedicação, como qualquer outro negócio”, afirma o CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Mesmo que os números apontem que o comércio varejista de roupas e acessórios está crescendo, a atividade ainda sofre com a informalidade que, com o alto nível de desemprego, levou muitos brasileiros a buscarem uma forma de obter renda, e uma delas é a venda de roupas.

“Essa área é bastante concorrida. Hoje, o comércio ‘porta a porta’ deu lugar à tecnologia, há um número grande de pessoas vendendo artigos de moda através da internet, se utilizando de aplicativos de redes sociais, é algo que preocupa o empresário que tem uma loja física ou virtual, que mantém empregados e tem custos mais elevados”, explica Amaral.



Governo anuncia mudanças no eSocial

Segundo secretário, sistema será dividido em dois até 2020

Governo anuncia mudanças no eSocial

Endividamento alcança maior nível desde julho de 2013

Segundo CNC, o percentual de famílias endividadas cresceu em junho, nas comparações mensal e anual

Endividamento alcança maior nível desde julho de 2013

Uma análise do acordo Mercosul e União Europeia

Um conjunto de pressupostos internacionais permitiram a realização do acordo.

Uma análise do acordo Mercosul e União Europeia

Negociação coletiva como ferramenta de gestão empresarial

A negociação coletiva é ferramenta de gestão, em que os trabalhadores poderão participar dos destinos da empresa.


Mercado de equinos movimenta R$ 16,5 bi ao ano no Brasil

Animais atraem investidores e apaixonados, além de aquecer a economia do país

Mercado de equinos movimenta R$ 16,5 bi ao ano no Brasil

Inflação no comércio eletrônico registra queda de -1,39% em maio

Análise realizada pelo IBEVAR monitora a alteração dos preços dos produtos comprados pela internet.

Inflação no comércio eletrônico registra queda de -1,39% em maio

Em cada dez usuários de cartão de crédito, dois são adeptos de bancos digitais

Jovens são os que mais usam cartões digitais, atraídos por taxas mais baixas e isenção de anuidade, revela pesquisa CNDL/SPC Brasil

Em cada dez usuários de cartão de crédito, dois são adeptos de bancos digitais

O trabalho do futuro não será focado em projetos

Não tem erro: o trabalho do futuro não será focado em projetos, mas em produtos.


Como gerenciar equipes que trabalham à distância?

Produtividade e engajamento dos profissionais é a maior preocupação da liderança e o grande entrave para fazer o modelo deslanchar

Como gerenciar equipes que trabalham à distância?

Fábrica de cerveja vai investir R$ 1 bi em Minas Gerais

Unidade em Uberaba vai demandar contratações na região do Triângulo Mineiro que abrigará a construção.


Pequenas empresas garantem saldo positivo de empregos, mostra Sebrae

Os pequenos negócios do setor agropecuário lideraram a geração de vagas em maio

Pequenas empresas garantem saldo positivo de empregos, mostra Sebrae

Número de empresas inadimplentes cresce 2,90% em maio

Capacidade de pagamento das empresas ainda é afetado pela baixa atividade econômica e menor faturamento, apontam CNDL/SPC Brasil

Número de empresas inadimplentes cresce 2,90% em maio