Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

18/06/2019 Divulgação

Segundo Empresômetro, já são mais de 1 milhão de negócios ativos

Varejo de roupas e acessórios cresce 8,14% em 2019

O país conta com uma das maiores redes varejistas de roupas e acessórios do mundo. Segundo dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado, são mais de 1 milhão de negócios em atividade e formalizados, representando 5,53% de todas as empresas ativas do país.

A Região Sudeste conta com a maior concentração de varejistas de roupas, com mais de 460 mil empresas; somente São Paulo congrega mais de 250 mil. Na Região Sul, o Rio Grande do Sul tem no mercado mais de 80 mil negócios. A Bahia, o maior estado da Região Nordeste, conta com mais de 60 mil empreendimentos nessa atividade.

Somente nestes primeiros seis meses de 2019, o crescimento em relação a 2018 foi de mais de 8%, um total de mais de 72 mil novas empresas abertas somente neste ano. “São negócios como a venda de roupas e acessórios que são mais procurados, pois são bens de uso comum, e é uma atividade pouco complexa, mas que precisa de dedicação, como qualquer outro negócio”, afirma o CEO do Empresômetro, Otávio Amaral.

Mesmo que os números apontem que o comércio varejista de roupas e acessórios está crescendo, a atividade ainda sofre com a informalidade que, com o alto nível de desemprego, levou muitos brasileiros a buscarem uma forma de obter renda, e uma delas é a venda de roupas.

“Essa área é bastante concorrida. Hoje, o comércio ‘porta a porta’ deu lugar à tecnologia, há um número grande de pessoas vendendo artigos de moda através da internet, se utilizando de aplicativos de redes sociais, é algo que preocupa o empresário que tem uma loja física ou virtual, que mantém empregados e tem custos mais elevados”, explica Amaral.




O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

A pandemia causada pelo novo coronavírus obrigou empresas de todo o mundo a adaptarem suas rotinas e métodos de trabalho, adotando o home office como resposta imediata à evolução da Covid-19.


Retomada econômica com cautela é defendida pela FIEMG

Federação acredita que a retomada deve ser customizada para cada região do estado


A crise e suas oportunidades

A partir dos dados da B3, é possível observar um movimento extremamente curioso no mercado financeiro.


Acomodando-se para a longa viagem: trabalhando de casa com segurança

Na última década, vimos um tremendo aumento de trabalhadores remotos - tanto autônomos quanto colaboradores e executivos.


Empreendedor, o herói necessário

A recessão econômica que iniciada neste primeiro semestre de 2020 será uma das mais graves dos últimos tempos.

Empreendedor, o herói necessário

Mais da metade dos pequenos negócios mineiros tiveram crédito negado

Pesquisa do Sebrae mostra que a crise tem levado um número maior de empresários a buscarem empréstimos para manterem os negócios.

Mais da metade dos pequenos negócios mineiros tiveram crédito negado

Edital de Inovação para a Indústria do SENAI lança nova categoria

São 250 mentorias online e gratuitas para apoiar as empresas na produção de equipamentos de proteção para COVID-19.


Novos impactos para implementação da LGPD

As empresas que não se anteciparam na busca de adequação à LGPD devem colocar este projeto em segundo plano.


Geração de caixa através dos tributos em meio a pandemia

O que as empresas necessitam é de geração de caixa como medida imediata. A possibilidade existe por iniciativa própria e dentro da lei.


E-commerce nos tempos de COVID 19

O que as empresas podem fazer para manter a operação funcionando?


Os impactos da pandemia do novo coronavírus na mineração

Para continuar operando durante o período de isolamento social – que é uma das medidas restritivas essenciais no combate ao novo coronavírus –, diversas empresas precisam se reinventar.