Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vendas de livros cresce 6,9% no primeiro semestre

Vendas de livros cresce 6,9% no primeiro semestre

16/07/2015 Divulgação

O preço dos livro ficou 1,6% mais barato no primeiro semestre deste ano, com uma média de R$ 37,97 a unidade, contra R$ 38,58 em 2014.

As vendas de livros no Brasil encerraram o primeiro semestre de 2015 com um aumento de 6,9% no faturamento, em comparação com o mesmo período de 2014.

Os números constam do Painel Especial das Vendas de Livros do Brasil, divulgado nesta quinta-feira(16) pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e pelo Instituto de Pesquisa Nielsen, e mostram que o crescimento ficou abaixo da inflação de 8,5% acumulada nos últimos 12 meses.

Os dados também apontam desaceleração do crescimento das vendas de livros em junho, que subiram 8,2% em comparação com o mesmo mês do ano passado.

Em maio, o aumento do faturamento foi 21% em relação a 2014.

Já o volume de vendas (unidades) registrou um crescimento de 8,6%, fortemente influenciado, segundo o levantamento, pelos livros de colorir, que representaram 6% do total de exemplares vendidos no primeiro semestre.

De acordo com o sindicato, o objetivo da criação do Painel Especial das Vendas de Livros é o de dar mais transparência à indústria editorial brasileira.

O levantamento tem como base o resultado do BookScan Brasil, serviço de monitoramento que apura as vendas nas principais livrarias e supermercados do país.

Primeiro serviço desse tipo no mundo, o BookScan está presente em dez países.

Já o Instituto Nielsen, há mais de 90 anos no mercado, com atuação em mais de 100 países, coleta os dados para a realização do painel diretamente no caixa das livrarias, do e-commerce e de outros varejistas.

Segundo o sindicato, as informações processadas pelo Instituto Nielsen são enviadas online e atualizadas semanalmente.

A entidade passará a divulgar mensalmente o Painel de Vendas. 



Uso de cheques no Brasil cai 93% desde 1995

No ano passado, volume de compensações caiu 23%.

Uso de cheques no Brasil cai 93% desde 1995

6 tendências de comunicação e marketing para 2022

Para 64% dos jovens entre 16 e 24 anos, a publicidade tradicional não impacta mais.

6 tendências de comunicação e marketing para 2022

Contribuição mensal de microempreendedores individuais será reajustada

Com o aumento do salário-mínimo, Documento de Arrecadação Simplificada de MEI (DAS) passa a ter novos valores.

Contribuição mensal de microempreendedores individuais será reajustada

Inflação oficial fecha 2021 com alta de 10,06%, diz IBGE

Poupança tem terceira maior retirada líquida da história em 2021

Retirada líquida no ano passado foi de R$ 35,5 bilhões.

Poupança tem terceira maior retirada líquida da história em 2021

Cerca de 40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

De acordo com Sondagem Trimestral, realizada pelo Sebrae em parceria com a FGV, a Indústria é a que mais investiu.

Cerca de 40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

Mercado financeiro prevê que economia vai crescer 0,36% em 2022

Estimativa anterior de crescimento do PIB era de 0.42%.


Capacitação no atendimento é diferencial para fidelizar clientes

Quando você chega a um restaurante, o que mais espera além de uma boa comida?

Capacitação no atendimento é diferencial para fidelizar clientes

Pesquisa mostra que mais de 90% dos brasileiros estão infelizes no trabalho

Entre as promessas para o ano novo, ser promovido no trabalho e aumentar o salário estão entre as mais almejadas.

Pesquisa mostra que mais de 90% dos brasileiros estão infelizes no trabalho

Empreendedores buscam seguro com maior flexibilidade

O novo momento da economia, após as consequências do coronavírus, levou muita gente a empreender, seja por vontade ou por necessidade.

Empreendedores buscam seguro com maior flexibilidade

Transformação digital no mercado varejista

Muito tem se falado sobre a transformação digital.

Transformação digital no mercado varejista

5 vezes em que os traders de criptos lucraram alto com “boatos” em 2021

Por que os traders de criptomoedas “compram os boatos, mas vendem as notícias”?