Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Debate reforça a importância do audiovisual indígena para o cinema brasileiro

Debate reforça a importância do audiovisual indígena para o cinema brasileiro

09/12/2021 Divulgação

Painel do MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo 2021 destaca o potencial que a produção indígena tem para a narrativa e o mercado cinematográfico do país.

Debate reforça a importância do audiovisual indígena para o cinema brasileiro

O crescimento das produções audiovisuais indígenas, a importância da formação de cineastas índios e a inserção no mercado cinematográfico de maneira mais ampla. Esses foram alguns dos assuntos debatidos nesta quarta-feira (8/12), no painel “O fortalecimento do audiovisual indígena: a voz pelas imagens e difusão às histórias locais”, realizado durante o MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo 2021.

Mediado pelo cineasta da Indiana Produções, Marco Altberg, o painel contou com a participação do diretor do Coletivo Kuikuro de Cinema, Takumã Kuikuro, da cineasta do Coletivo Audiovisual Munduruku Daje Kapap Eypi, Beka Munduruku, e do cineasta da Buriti Filmes, Luiz Bolognesi. Além de discutir e valorizar o papel do audiovisual na luta dos povos originários pela conservação dos seus costumes e pela preservação das florestas, o debate destacou o potencial que a produção indígena pode ter para a narrativa e para o mercado cinematográfico brasileiro.

Segundo o cineasta Luiz Bolognesi, o cinema indígena tem um modo de produção mais coletivo, uma visão holística e uma inventividade que podem contribuir muito para a renovação do audiovisual brasileiro nos próximos anos. “Hoje, há uma quantidade enorme de coletivos indígenas produzindo filmes, com muitas produções significativas. Acredito que o próximo passo seria os curadores dos festivais e premiações os colocarem competindo lado a lado com outras produções e não em uma categoria específica”, salientou.

Para o diretor Takumã Kuikuro, o audiovisual é uma ferramenta de luta e de resistência dos povos originários. Todavia, ele questiona sobre onde se quer chegar com o cinema feito pelos indígenas. “Nós queremos circular os vídeos entre os povos indígenas e também participar do mercado brasileiro de maneira ampla, não só em mostras etnográficas. Gostaríamos de participar em festivais e mostras competitivas importantes como Gramado e Brasília e de ter filmes em cartaz na Netflix e Globoplay. Queremos atingir todos os públicos”, afirmou.

Para mais informações sobre audiovisual clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

 

Fonte: Sebrae Minas



Mostra de Cinema de Tiradentes completa 25 anos

Evento acompanhou e influenciou os rumos da produção audiovisual de invenção no país.

Mostra de Cinema de Tiradentes completa 25 anos

Pesquisa: 89% dos músicos tiveram perdas decorrentes da pandemia em 2021

Segunda edição de pesquisa realizada pela UBC em parceria com a ESPM revela que 50% dos trabalhadores do setor perderam toda a sua renda em 2021.

Pesquisa: 89% dos músicos tiveram perdas decorrentes da pandemia em 2021

Exposição marca 85 anos de criação do Museu Nacional de Belas Artes

Público reduzido poderá apreciar obras incorporadas ao acervo.

Exposição marca 85 anos de criação do Museu Nacional de Belas Artes

Minas celebra cinco anos do reconhecimento das Folias como patrimônio cultural

Cerca de 1.600 grupos foram identificados e estão espalhados por mais de 400 municípios.

Minas celebra cinco anos do reconhecimento das Folias como patrimônio cultural

Sesc Palladium oferece curso de férias gratuito de pintura

Curso “Pintando o Sete” vai até o dia 29 de janeiro.

Sesc Palladium oferece curso de férias gratuito de pintura

Criações da chef Benê Ricardo são revisitadas em gastrobar de Ouro Fino (MG)

Observatório faz uma imersão na cultura e história da cidade sul-mineira.

Criações da chef Benê Ricardo são revisitadas em gastrobar de Ouro Fino (MG)

Obras de artesanato mineiro do Vale do Jequitinhonha são exibidas em exposição

“Pelas águas do Jequitinhonha me deixei levar”, mostra no Rio de Janeiro peças em cerâmica de 130 artesãs de Minas Gerais.

Obras de artesanato mineiro do Vale do Jequitinhonha são exibidas em exposição

Orquestra Ouro Preto e Pigmalião apresentam “Um Conto de Natal”

Concerto será dia 18 de dezembro, em formato híbrido, com transmissão ao vivo no YouTube e público presencial na cidade de Mariana (MG).

Orquestra Ouro Preto e Pigmalião apresentam “Um Conto de Natal”

Vendas de livros no país até novembro já superam as de 2020

O varejo registrou 43,9 milhões de livros comercializados no ano.

Vendas de livros no país até novembro já superam as de 2020

Bienal do Livro espera receber cerca de 90 mil estudantes no Rio

Evento está sendo realizado no Riocentro e vai até domingo.

Bienal do Livro espera receber cerca de 90 mil estudantes no Rio

Crédito Brasil Criativo libera R$ 408 milhões para setor cultural

Programa financia iniciativas de pessoas físicas ou jurídicas privadas.

Crédito Brasil Criativo libera R$ 408 milhões para setor cultural

Mostra Presépios no imaginário mineiro reúne 45 peças de todo o estado

Exposição, que fica em cartaz até o dia (16/01/2022), apresenta trabalho de 40 artesãos mineiros.

Mostra Presépios no imaginário mineiro reúne 45 peças de todo o estado