Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A era da saúde digital chegou: seus conflitos éticos também

A era da saúde digital chegou: seus conflitos éticos também

23/06/2024 Thiago Rocha da Cunha 

A chamada era digital já transformou toda a área da saúde. Saúde Digital

A era da saúde digital chegou: seus conflitos éticos também

Inovações como a telemedicina, a inteligência artificial, a robótica, os dispositivos de monitoramento remoto trazem, junto a grandes promessas, importantes desafios éticos que exigem uma avaliação cuidadosa por todos os setores da sociedade.

A telessaúde, por exemplo, já permite o acesso à consulta por meio de celulares ou de computadores nas mais diversas áreas, incluindo medicina, nutrição e psicologia, o que otimiza o processo de cuidado e permite superar barreiras geográficas de populações remotas. Contudo, essas novas modalidades de atendimento também levantam preocupações sobre os processos de humanização no cuidado, a privacidade dos dados dos pacientes e a eficácia de determinadas orientações à distância.

Outro exemplo de impacto na saúde de nossa era digital são as inteligências artificiais. Essas tecnologias têm o potencial de aprimorar a precisão dos diagnósticos e personalizar os tratamentos, bem como oferecer aos pacientes informações detalhadas sobre suas doenças. No entanto, também podem aprofundar desinformações, bem como perpetuar preconceitos existentes em seus dados de treinamento, levando a diagnósticos incorretos ou inadequados para certos grupos historicamente estigmatizados ou excluídos, como negros e indígenas.

Os dispositivos de monitoramento contínuo de saúde, como relógios inteligentes e sensores corporais, também são exemplos do impacto da era digital, pois permitem o acompanhamento constante de condições físicas e a sinalização de intervenções preventivas. No entanto, a coleta contínua de dados pessoais e seus usos pelas empresas que fazem seu manejo também levantam questões sobre privacidade e consentimento. Além disso, a utilidade de muitos destes dados para as pessoas leigas permite questionar sobre os riscos de má-interpretação das informações registradas.

Outra questão ética importante, enquanto a tecnologia digital tem o potencial de democratizar o acesso aos cuidados em saúde, também pode marginalizar aqueles que não tem recursos ou habilidades com as novas tecnologias, como as pessoas mais pobres, as que vivem em situação de rua ou idosos que não se familiarizaram com a “era digital”.  

Não menos importantes são os usos de big data na saúde. Se por um lado  possibilita análises epidemiológicas rápidas e profundas, permitindo identificar e enfrentar problemas de saúde pública, o manuseio de grandes volumes de informações de saúde requer uma gestão ética rigorosa para proteger a privacidade individual e evitar a comercialização indevida desses dados, especialmente por operadoras e planos de saúde, que podem utilizar tais dados para excluir o acesso por determinados grupos ou perfis de pessoas.

Assim, enquanto a era digital oferece possibilidades sem precedentes para melhorar a saúde individual e coletiva, é necessário que tais avanços sejam acompanhados por uma regulação ética profunda. Agentes governamentais, profissionais de saúde, formuladores de políticas públicas, desenvolvedores de tecnologia e representantes de todos os setores da sociedade devem atuar conjuntamente para criar um ambiente onde a inovação tecnológica e a responsabilidade ética caminhem juntas, assegurando que a saúde digital beneficie a todos e todas de maneira justa, equitativa e segura.

* Thiago Rocha da Cunha é professor no Programa de Pós-graduação em Bioética da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

ara mais informações sobre Saúde Digital clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Todos os nossos textos são publicados também no X

Quem somos

Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)



Vida longa: estudo mostra segredo da longevidade no sangue de centenários

Identificar biomarcadores da longevidade é apenas o primeiro passo, é preciso, também, descobrir fatores que os influenciam.

Autor: Divulgação

Vida longa: estudo mostra segredo da longevidade no sangue de centenários

Sedentarismo: 5 dicas para ser mais ativo mesmo com uma rotina corrida

É preciso incluir as atividades físicas de uma forma natural no seu dia a dia para fugir do sedentarismo.

Autor: Divulgação

Sedentarismo: 5 dicas para ser mais ativo mesmo com uma rotina corrida

Solteiros têm mais chances de morrer do que casados

De acordo com o especialista em relacionamentos, Caio Bittencourt, estar em uma relação pode ajudar na manutenção da saúde de modo geral.

Autor: Divulgação

Solteiros têm mais chances de morrer do que casados

Varizes estouradas? E agora, o que fazer?

As veias das pernas têm a função de levar o sangue ao coração após irrigarem os membros inferiores.

Autor: Divulgação

Varizes estouradas? E agora, o que fazer?

Saiba quais são as alergias e doenças respiratórias mais comuns no inverno

A incidência de doenças respiratórias aumenta no inverno devido às baixas temperaturas, ambientes úmidos e poluição.

Autor: Divulgação

Saiba quais são as alergias e doenças respiratórias mais comuns no inverno

Por que o frio é um dos vilões para o cabelo?

A queda de cabelo costuma ser o terror de muita gente. E a chegada do frio torna esse pesadelo ainda mais intenso.

Autor: ‌Melina Oliveira

Por que o frio é um dos vilões para o cabelo?

Queimadas, poluição e tempo seco: como fica a saúde respiratória e ocular?

Cerca de 25% apresentam a síndrome do olho seco nesta época do ano.

Autor: Divulgação

Queimadas, poluição e tempo seco: como fica a saúde respiratória e ocular?

Veranico com calor e poluição é risco para quem faz atividades ao ar livre

Professor de Medicina do Esporte dá dicas de como evitar problemas causados por essa combinação.

Autor: Divulgação

Veranico com calor e poluição é risco para quem faz atividades ao ar livre

O que comer para evitar resfriados e fortalecer o sistema imunológico?

Com a chegada do inverno no próximo dia 21, as temperaturas caem, a umidade aumenta e os vírus e bactérias se propagam com mais facilidade.

Autor: Divulgação

O que comer para evitar resfriados e fortalecer o sistema imunológico?

O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

A nutrição adequada fornece ao corpo os nutrientes necessários para funcionar corretamente.

Autor: Divulgação

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

Inverno: frio, vento e tempo seco são alerta para doenças respiratórias

Estação começou; cuidados com a hidratação e alimentação podem ajudar na prevenção de gripes e resfriados.

Autor: Divulgação

Inverno: frio, vento e tempo seco são alerta para doenças respiratórias