Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Alimentação como meio de tratamento da hipertensão

Alimentação como meio de tratamento da hipertensão

19/04/2019 Lucas Penchel e João Paulo Cimini Leal

Os costumes alimentares possuem uma grande influência no desenvolvimento da doença.

A hipertensão pode ser caracterizada como o aumento da tensão nos vasos sanguíneos devido à forte pressão desempenhada pelo sangue em circulação na parede das artérias.

A elevação da pressão arterial pode ser causada por várias circunstâncias, mas a principal delas, é a contração das veias que servem de vias de movimentação do sangue.

A retração das artérias pode ser provocada pela alteração no volume de sangue em circulação no corpo; mudança no ritmo cardíaco; e ainda em decorrência da modificação na flexibilidade dos vasos.

A doença pode ser impulsionada por vários fatores como a hereditariedade, características genéticas, avanço da idade, sobrepeso, obesidade, sedentarismo, diabetes, alcoolismo, tabagismo e estresse.

No entanto, é possível constatar que os costumes alimentares possuem uma grande influência no desenvolvimento da doença.

Contribuindo para o surgimento e agravamento de doenças cardíacas, renais e vasculares, a hipertensão arterial é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, conforme dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

E ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, a doença atinge 25,4% das mulheres e 19,5% dos homens, sendo que 22,7% são adultos e 50% são idosos com mais de 60 anos.

Podemos considerar uma pessoa hipertensa quando sua pressão arterial estiver acima de 14 por 9. Mesmo sem cura, a hipertensão pode ser controlada por meio da adoção de uma alimentação saudável e balanceada combinada a prática de atividades físicas regulares.

Em casos mais intensos, as pessoas com esta condição também irão necessitar de medicamentos, às vezes pelo resto da vida. Entretanto, o tratamento sempre levará em consideração o contexto de saúde e hábitos de vida do paciente.

Para tratar a hipertensão por meio da alimentação, beneficiando o funcionamento do organismo e aprimorando o ritmo dos vasos sanguíneos e musculatura cardíaca, as pessoas devem procurar pela ajuda de profissionais capacitados e invistam em dietas que privilegiem a redução do consumo e a substituição do sal por outros produtos que também dão sabor a comida.

É importante evitar a adição de sal na preparação dos alimentos, substituindo esse produto pelo alho, alecrim, orégano, cebola, manjericão e salsinha.

Também é essencial diminuir o consumo de alimentos ricos em gordura hidrogenada, carboidratos refinados e conservantes, e que sejam industrializados, ultraprocessados e embutidos, pois os mesmos podem colaborar para o avanço do peso e surgimento da aterosclerose.

Apesar do sal e a gordura hidrogenada serem grandes influenciadores no aumento da pressão, ainda é relevante lembrar que as ingestões de cafeína e de bebidas alcoólicas devem ser igualmente abrandadas ou cessadas.

Já a inclusão e elevação do teor de cálcio, potássio, magnésio e fibras na alimentação pode ser uma ótima opção para que a pressão se mantenha em equilíbrio. O cálcio pode ser encontrado no leite e seus derivados, hortaliças e sardinha.

O potássio está presente em frutas, verduras e legumes. O magnésio pode ser obtido por meio das oleaginosas, soja, feijão, ervilha, lentilha, cereais integrais e hortaliças. Por fim, as fibras insolúveis estão concentradas no arroz, aveia, farinha e cereais integrais.

É fundamental frisar que a preferência deve ser direcionada a leite desnatado e queijos meia cura; peixes e carnes frescas e magras; o uso de azeite nas preparações; e o consumo de alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados.

* Lucas Penchel é médico generalista e diretor da Clínica Penchel.

* João Paulo Cimini Leal é cardiologista da Clínica Penchel.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Ministério da Saúde lança campanha nacional de combate à sífilis

Gestantes representaram mais da metade dos casos contraídos em 2020.


Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Cerca de 3,7 milhões de atendimentos deixaram de ser feitos.

Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Uma pesquisa recente publicada pela Digital Turbine mostra que 20% dos brasileiros não ficam mais de 30 minutos longe do celular.

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

A região lombar costuma ser a mais afetada pela osteofitose

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

A renda obtida com a venda dos livros será doada ao Instituto Correndo Pelo Diabetes para incentivar a prática da atividade física.

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

10 curiosidades sobre o crânio e o cérebro que irão te surpreender

Ainda estamos longe de conhecer todo o mistério que envolve a interligação do cérebro com o nosso organismo como um todo, mas já temos importantes achados.


Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Com medo do contágio pelo coronavírus, as mulheres deixaram de lado a rotina de cuidados.

Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Em 2021, Brasil registra 299.304 pessoas mortas por doenças cardiovasculares.

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Conheça os riscos e benefícios de crianças e adolescentes usar lentes de contato.

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Medicações têm efeitos danosos, inclusive com risco de morte.

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Entenda como as diferentes posições para dormir interferem no funcionamento do organismo.

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

"Conhecer demência é conhecer Alzheimer" é tema de campanha em 2021.

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença