Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Alimentação como meio de tratamento da hipertensão

Alimentação como meio de tratamento da hipertensão

19/04/2019 Lucas Penchel e João Paulo Cimini Leal

Os costumes alimentares possuem uma grande influência no desenvolvimento da doença.

A hipertensão pode ser caracterizada como o aumento da tensão nos vasos sanguíneos devido à forte pressão desempenhada pelo sangue em circulação na parede das artérias.

A elevação da pressão arterial pode ser causada por várias circunstâncias, mas a principal delas, é a contração das veias que servem de vias de movimentação do sangue.

A retração das artérias pode ser provocada pela alteração no volume de sangue em circulação no corpo; mudança no ritmo cardíaco; e ainda em decorrência da modificação na flexibilidade dos vasos.

A doença pode ser impulsionada por vários fatores como a hereditariedade, características genéticas, avanço da idade, sobrepeso, obesidade, sedentarismo, diabetes, alcoolismo, tabagismo e estresse.

No entanto, é possível constatar que os costumes alimentares possuem uma grande influência no desenvolvimento da doença.

Contribuindo para o surgimento e agravamento de doenças cardíacas, renais e vasculares, a hipertensão arterial é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, conforme dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

E ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, a doença atinge 25,4% das mulheres e 19,5% dos homens, sendo que 22,7% são adultos e 50% são idosos com mais de 60 anos.

Podemos considerar uma pessoa hipertensa quando sua pressão arterial estiver acima de 14 por 9. Mesmo sem cura, a hipertensão pode ser controlada por meio da adoção de uma alimentação saudável e balanceada combinada a prática de atividades físicas regulares.

Em casos mais intensos, as pessoas com esta condição também irão necessitar de medicamentos, às vezes pelo resto da vida. Entretanto, o tratamento sempre levará em consideração o contexto de saúde e hábitos de vida do paciente.

Para tratar a hipertensão por meio da alimentação, beneficiando o funcionamento do organismo e aprimorando o ritmo dos vasos sanguíneos e musculatura cardíaca, as pessoas devem procurar pela ajuda de profissionais capacitados e invistam em dietas que privilegiem a redução do consumo e a substituição do sal por outros produtos que também dão sabor a comida.

É importante evitar a adição de sal na preparação dos alimentos, substituindo esse produto pelo alho, alecrim, orégano, cebola, manjericão e salsinha.

Também é essencial diminuir o consumo de alimentos ricos em gordura hidrogenada, carboidratos refinados e conservantes, e que sejam industrializados, ultraprocessados e embutidos, pois os mesmos podem colaborar para o avanço do peso e surgimento da aterosclerose.

Apesar do sal e a gordura hidrogenada serem grandes influenciadores no aumento da pressão, ainda é relevante lembrar que as ingestões de cafeína e de bebidas alcoólicas devem ser igualmente abrandadas ou cessadas.

Já a inclusão e elevação do teor de cálcio, potássio, magnésio e fibras na alimentação pode ser uma ótima opção para que a pressão se mantenha em equilíbrio. O cálcio pode ser encontrado no leite e seus derivados, hortaliças e sardinha.

O potássio está presente em frutas, verduras e legumes. O magnésio pode ser obtido por meio das oleaginosas, soja, feijão, ervilha, lentilha, cereais integrais e hortaliças. Por fim, as fibras insolúveis estão concentradas no arroz, aveia, farinha e cereais integrais.

É fundamental frisar que a preferência deve ser direcionada a leite desnatado e queijos meia cura; peixes e carnes frescas e magras; o uso de azeite nas preparações; e o consumo de alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados.

* Lucas Penchel é médico generalista e diretor da Clínica Penchel.

* João Paulo Cimini Leal é cardiologista da Clínica Penchel.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Periferias são mais vulneráveis ao coronavírus

Informalidade e desigualdade urbana sãos as principais causas.

Periferias são mais vulneráveis ao coronavírus

O mundo pós Coronavírus

A presente época de pandemia impôs aos seres humanos uma condição inusitada: isolamento social.


Jogos, tecnologia e exercícios físicos são aliados dos idosos durante distanciamento social

Atividades são grandes aliadas na preservação da saúde física e mental durante esse período.

Jogos, tecnologia e exercícios físicos são aliados dos idosos durante distanciamento social

Entenda por que obesos estão no grupo de risco

No Brasil, uma a cada cinco pessoas são obesas.

Entenda por que obesos estão no grupo de risco

Tempo demais no celular faz mal à visão das crianças

Os pais precisam ficar atentos aos sinais no comportamento dos pequenos.

Tempo demais no celular faz mal à visão das crianças

Pandemia reduz procura no atendimento por câncer de mama

Levantamento foi realizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia


Como aumentar a produção de colágeno para o rosto e corpo

Descubra os alimentos que aumentam a produção de colágeno para o rosto, cabelos e unhas. Dicas importantes de como produzir colágeno natural.


Pesquisa estima que casos confirmados são 35% dos sintomáticos

Percentual é melhor que de abril quando proporção era de 15%.

Pesquisa estima que casos confirmados são 35% dos sintomáticos

Por que o Coronavírus é mais perigoso para os idosos?

Entre as razões está a capacidade de resposta do sistema imunológico, que fica mais lenta e fraca à medida em que a pessoa envelhece.

Por que o Coronavírus é mais perigoso para os idosos?

Por que no outono os cabelos caem mais?

Com a chegada do outono/inverno, cai a incidência de luminosidade e as temperaturas ficam cada vez mais baixas.

Por que no outono os cabelos caem mais?

As dores musculares não podem ser ignoradas

Sofrer com dores não é normal e elas não devem ser ignoradas, ainda mais em tempo de pandemia.

As dores musculares não podem ser ignoradas

O movimento dos orgânicos não parou

Perder vidas para um vírus agressivo é o que pode acontecer de pior para a sociedade.

O movimento dos orgânicos não parou