Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Alto nível de stress dobra o risco de infertilidade

Alto nível de stress dobra o risco de infertilidade

28/03/2014 Da Redação

Segundo pesquisa, estado emocional alterado também reduz em 29% a chance de uma mulher engravidar a cada mês

O stress é um das causas relacionadas à dificuldade para engravidar, mas essa relação nunca havia sido quantificada.

Um estudo divulgado pelo jornal Human Reproduction mostrou que mulheres com altos níveis da enzima alfa amilase (um indicador biológico do stress encontrado na saliva) têm 29% menos chance de engravidar a cada mês e duas vezes mais chance de serem consideradas inférteis (quando há a ausência de concepção depois de 12 meses de relações sem contracepção), comparadas a mulheres com menores níveis dessa enzima.

Para a pesquisa, os cientistas recrutaram 501 participantes em idades entre 18 e 40 anos que estavam tentando engravidar e não tinham nenhum problema ligado à fertilidade. Eles acompanharam as voluntárias por doze meses ou até elas engravidarem.

Amostras de saliva foram coletadas no começo da pesquisa e no primeiro dia do primeiro ciclo menstrual, e usadas para medir a taxa de alfa amilase e cortisol, hormônio relacionado ao stress.

"Esse é o segundo estudo que demonstrou que mulheres com altos níveis de biomarcadores de stress, como o alfa amilase, têm menor probabilidade de engravidar, comparadas àquelas com baixos níveis da enzima. Pela primeira vez, nós mostramos que esse efeito é clinicamente significativo e pode dobrar o risco de infertilidade", explica Courtney Denning-Johnson Lynch, líder do estudo e diretora da epidemiologia reprodutiva da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos.

Os resultados da pesquisa podem encorajar as mulheres com dificuldades em engravidar a prestar atenção ao seu nível de stress e, se necessário, utilizar técnicas para se acalmar, como a ioga e a meditação.

Os cientistas ressaltam que os casais não podem se culpar pela dificuldade em engravidar, já que o stress não é o único fator que dificulta a concepção.



Violência “no touch”

O assédio moral pode trazer sequelas emocionais e físicas.


Esfoliação ideal para uma pele linda e renovada

Dicas para manter uma pele saudável e bem cuidada.

Esfoliação ideal para uma pele linda e renovada

Fevereiro é mês de conscientização do Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer

Embora sejam doenças que não têm cura o diagnóstico precoce e correto pode garantir melhor qualidade de vida aos pacientes.

Fevereiro é mês de conscientização do Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer

Exercícios físicos x uso de prótese nos seios

O implante de próteses nos seios é uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelas brasileiras.

Exercícios físicos x uso de prótese nos seios

Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo foca em crianças e jovens

Nesta primeira etapa serão enviadas 660 mil doses da tríplice viral, destinadas a crianças e jovens entre 5 e 19 anos.

Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo foca em crianças e jovens

Como utilizar corretamente o protetor solar

Dicas simples que podem te ajudar de forma correta este produto indispensável para a saúde.

Como utilizar corretamente o protetor solar

Transtorno de conduta infantil

O Transtorno de conduta (TC) não é uma simples desobediência.


Volta às aulas: as vacinas estão em dia?

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que as vacinas das crianças e dos adolescentes estejam em dia.

Volta às aulas: as vacinas estão em dia?

Artrose nas mãos é comum, mas pode ser evitada

Doença normalmente associada à idade avançada, pode se manifestar muito cedo, causando dores e limitações motoras, mas é possível atenuar seus efeitos.

Artrose nas mãos é comum, mas pode ser evitada

Dia Nacional da Mamografia: um alerta sobre a importância do exame

Prevenção pode detectar lesões assintomáticas e possibilita tratamento do câncer de mama em fase inicial.

Dia Nacional da Mamografia: um alerta sobre a importância do exame

Hanseníase: entenda a doença

Considerada uma das doenças mais antigas do mundo, a Hanseníase foi registrada pela primeira vez no século 6 a.C., sendo conhecida naquela época como lepra.


Brasil terá 625 mil novos casos de câncer por ano até 2022

Para a população infantojuvenil são esperados mais de 8 mil casos, diz Inca.

Brasil terá 625 mil novos casos de câncer por ano até 2022