Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Antidepressivos podem aumentar o risco de infecção

Antidepressivos podem aumentar o risco de infecção

11/05/2013 Da Redação

Estudo sugere que medicamentos para depressão podem elevar o risco de infecções gastrointestinais causadas pelo bacilo Clostridium difficile.

Este tipo de infecção é uma das causas mais comuns de infecção hospitalar e leva à morte mais de 7.000 pacientes a cada ano nos Estados Unidos. Vários medicamentos são suspeitos de aumentar o risco para esta infecção - incluindo antidepressivos.

Neste estudo, pesquisadores da Universidade de Michigan examinaram infecções por C. difficile em pessoas com e sem depressão, e descobriram que aquelas com quadro depressivo apresentaram um risco 36% maior do que as pessoas saudáveis.

Idosos e viúvos tinham 54% mais chance de contrair a infecção por C. difficile do que pessoas casadas. Aquelas que viviam sozinhas corriam um risco 25% maior do que quem morava com outras pessoas.

Os pesquisadores investigaram se havia uma ligação entre os antidepressivos e a infecção porC. difficile, e descobriram que somente dois medicamentos - mirtazapina e fluoxetina - aumentaram o risco, e que cada um deles dobrava esse risco.

Os resultados, publicados no periódico Journal BMC Medicine , devem melhorar a identificação e o tratamento precoce da infecção pelo C. difficile em pessoas que tomam esses medicamentos, afirmaram os pesquisadores.

A razão para o aumento do risco de infecção em pessoas que tomam os antidepressivos é desconhecida, mas os pacientes com prescrição para tomar os medicamentos devem manter a recomendação - a não ser que o médico oriente o contrário, disseram os pesquisadores.

A pesquisa mostrou uma associação entre o uso dos remédios e o aumento do risco de contrair a infecção, mas não prova uma relação de causa e efeito.



UFSCar desenvolve aparelhos ortopédicos com custo até 80% menor

Além de mais barata, tecnologia agiliza o processo de produção das órteses

UFSCar desenvolve aparelhos ortopédicos com custo até 80% menor

Novembro Azul e a prevenção do câncer de próstata

A próstata é uma glândula de aproximadamente 25 gramas, no adulto jovem, que fica abaixo da bexiga e na frente do reto (parte terminal do intestino).


Mercado de estética cresceu 567% em cinco anos

Especialista afirma que as pessoas buscam cada vez mais saúde e bem-estar, o que impulsiona o setor.

Mercado de estética cresceu 567% em cinco anos

Novembro Azul: Mitos e verdades sobre alimentação e o câncer de próstata

Presidente da ABRAN afirma: “o consumo de determinados alimentos pode sim ajudar na prevenção da doença”.

Novembro Azul: Mitos e verdades sobre alimentação e o câncer de próstata

Campanha Novembro Azul alerta para a prevenção do câncer de próstata

Homens que possuem histórico familiar de câncer de próstata, devem se preocupar com esse fator de risco.

Campanha Novembro Azul alerta para a prevenção do câncer de próstata

Como funcionam as consultas médicas online? Tire suas dúvidas!

A telemedicina facilitou as consultas médicas online, mas ainda gera dúvidas entre os pacientes. Entenda melhor como ela funciona.

Como funcionam as consultas médicas online? Tire suas dúvidas!

Alimentação e câncer de próstata

Saiba qual é a relação entre os dois.


Déficit nutricional pode comprometer a visão no médio prazo

Oftalmologista revela o que as pessoas devem comer para enxergar melhor.

Déficit nutricional pode comprometer a visão no médio prazo

Ministério da Cidadania lança campanha de prevenção ao uso de drogas

Com o conceito ‘Você nunca será livre se escolher usar drogas’, ação foca em jovens de 14 a 18 anos.


Medidas antitabaco diminuíram em 40% o número de fumantes no Brasil

Estimasse que no Brasil tenha 19 milhões de pessoas fumantes, cerca de 9,3% da população.

Medidas antitabaco diminuíram em 40% o número de fumantes no Brasil

Dentes de leite

Os dentes de leite são a principal referência para o sucesso dos dentes permanentes.


AVC é a segunda maior causa de morte entre as mulheres brasileiras

Segundo o Ministério da Saúde, 73.920 mulheres morrem por ano no Brasil em função do derrame.

AVC é a segunda maior causa de morte entre as mulheres brasileiras