Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como prevenir suicídios na terceira idade, durante a pandemia

Como prevenir suicídios na terceira idade, durante a pandemia

19/12/2021 Cristiano Caveião

A prevenção é a forma mais eficaz de evitar que uma tragédia acometa uma família.

Como prevenir suicídios na terceira idade, durante a pandemia

O suicídio é uma tragédia que abala e afeta a família inteira com efeitos deletérios e duradouros. Sua causa é multifatorial, mas sabe-se que possui uma intensa relação com transtornos mentais, financeiros, dependências químicas, violência doméstica, discriminação e demais situações estressantes. A subnotificação do comportamento do suicida passa dos 50% dos casos, o que torna o processo de causa morte ainda difícil de se avaliar, conforme descrito pela Fundação Oswaldo Cruz.

Por se tratar de um assunto delicado, que chega a ser quase um tabu, as famílias não conversam sobre essa temática, fazendo com que a busca por ajuda se torne mais difícil para quem necessita, dificultando a percepção dos familiares aos indícios de um possível suicida. Para ampliar a percepção da sociedade e fazer com que o assunto se incorpore aos diálogos em família, o Ministério da Saúde criou a campanha Setembro Amarelo, já que no mesmo mês acontece o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10/09). A campanha vem despertando e ampliando o interesse da sociedade em discutir o assunto e avaliar as possíveis situações de risco.

Entretanto, os últimos acontecimentos (relacionados a pandemia) vêm provocando um aumento do risco dessa causa de mortalidade. Os números de suicídios ultrapassam 800 mil casos anuais no âmbito mundial e 12 mil no Brasil, o que configura um importante problema de saúde pública, visto que é a segunda maior causa de mortes entre os jovens, e aqui destaca-se ainda que para cada ato efetivado existem muitos outros que tentaram, mas não conseguiram. Esse dado é ainda mais relevante quando o público analisado está na faixa etária acima dos 60 anos, pois existe relação entre tentativa e efetividade que é ainda mais próxima.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que há uma estreita relação entre situações pandêmicas e o aumento no número de suicídios entre idosos, como ocorreu com a pandemia de Influenza, no início do século XX e a de 2003, ocasionada pelo SARS. Isso pode ser reflexo das medidas protetivas nessas situações, como o isolamento social; sentimento de perda advindo com o óbito de familiares e amigos; aumento de violência doméstica; e aumento da ansiedade e sentimento de angústia (Hartmann, 2020).

Decorrente desse alerta há que se ampliar a atenção aos idosos e ficar atento aos sinais que precedem o ato, tais como: apresentar sentimento de peso para a família, de culpa ou vergonha de forma inadequada, tristeza, desesperança, ansiedade, agitação e raiva, fazer a distribuição de bens, despedir-se, comer ou dormir pouco e ter atitudes arriscadas.

A prevenção é a forma mais eficaz de evitar que uma tragédia acometa uma família. Caso identifique um caso em seu seio familiar aja com paciência e busque acolher quem necessita de ajuda, não desmereça os medos e anseios do outro e nem mesmo repreenda. Busque ajuda profissional, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) ou instrua o familiar a entrar em contato por meio do telefone 181, do Centro de Valorização da Vida (CVV). O fator mais importante é que haja um diálogo, pois, o silêncio contribui para o agravamento do caso e também o crescimento do número de ocorrências.

Autores:
Cristiano Caveião - professor e coordenador do Curso de Tecnologia em Gerontologia – Cuidado ao Idoso do Centro Universitário Internacional Uninter.

Izabelle Rodrigues é professora e tutora do Curso de Tecnologia em Gestão em Vigilância em Saúde do Centro Universitário Internacional Uninter.

Para mais informações sobre suicídio clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Página 1



Plano de saúde e a limitação de sessões de tratamento

Decisão recente do juiz de Direito Luciano Gonçalves Paes Leme, da 3ª vara Cível de Tatuapé/SP serve como precedente em favor do beneficiário em casos nos quais o plano de saúde negue a cobertura de tratamento.

Plano de saúde e a limitação de sessões de tratamento

A confusa e trapalhona decisão da OMS sobre a Síndrome de Burnout

Uma das dificuldades envolvendo o tema “Burnout” é que a noção ganhou status de dogma religioso.

A confusa e trapalhona decisão da OMS sobre a Síndrome de Burnout

TDAH não é um distúrbio exclusivamente infantil

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) afeta uma pequena parcela da população.

TDAH não é um distúrbio exclusivamente infantil

Dores e má postura em crianças podem estar ligadas ao encurtamento muscular

Redução da amplitude de movimento e vícios de postura são os principais sinais de os músculos estão encurtados.

Dores e má postura em crianças podem estar ligadas ao encurtamento muscular

Burnout agora é síndrome ocupacional: o que as empresas podem fazer?

Síndrome é relacionada ao ambiente de trabalho.

Burnout agora é síndrome ocupacional: o que as empresas podem fazer?

É verdade que o apêndice é um órgão desnecessário?

A retirada de apêndice é uma operação considerada comum na cirurgia geral.

É verdade que o apêndice é um órgão desnecessário?

Prevenção é o principal fator de manutenção da saúde

O isolamento social durante pandemia mudou radicalmente a rotina em todos os aspectos.

Prevenção é o principal fator de manutenção da saúde

Portal de telemedicina ultrapassa a marca de um milhão de atendimentos realizados

Plataforma de teleconsulta expandiu durante a pandemia.

Portal de telemedicina ultrapassa a marca de um milhão de atendimentos realizados

Tipos de shampoo: anticaspa, matizador e muito mais!

Descubra as principais características dos mais variados tipos de shampoo para cada tipo de cabelo.

Tipos de shampoo: anticaspa, matizador e muito mais!

O que é bom para estrias? Como evitar, tirar e muito mais!

Descubra quais são os tipos de estrias e quais os melhores tratamentos para combatê-las.

O que é bom para estrias? Como evitar, tirar e muito mais!

Campanha “Janeiro Roxo” promove conscientização sobre a hanseníase

O Brasil é o segundo país com maior número de casos da doença no mundo.

Campanha “Janeiro Roxo” promove conscientização sobre a hanseníase

Minas supera eixos tradicionais de saúde e deixa legado no combate à pandemia

Uma das frases que mais me marcaram na pandemia foi: “Dormi com minha irmã viva e acordei com a notícia de que ela estava quase morrendo”.

Minas supera eixos tradicionais de saúde e deixa legado no combate à pandemia