Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Consumir álcool, mesmo pouco, eleva risco de parto prematuro

Consumir álcool, mesmo pouco, eleva risco de parto prematuro

11/03/2014 Divulgação

Consumir bebida alcoólica no início da gravidez, mesmo em quantidades pequenas, pode elevar o risco de o bebê nascer prematuro ou com um tamanho menor do que o esperado.

É o que concluiu uma nova pesquisa da Universidade de Leeds, na Grã-Bretanha, publicada nesta segunda-feira no periódico Journal of Epidemiology and Comunity Health.

De acordo com os autores do estudo, os efeitos adversos do consumo exagerado de álcool durante a gravidez já são bem conhecidos. Ainda não existe, no entanto, um consenso sobre os efeitos de quantidades pequenas da bebida.

As recomendações sobre o assunto variam de acordo com a entidade médica ou o governo de cada país. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, indica que grávidas ou mulheres que pretendem engravidar devem se manter abstêmias.

Já o governo britânico, onde a pesquisa foi realizada, aponta que gestantes devem evitar beber ou que a ingestão máxima seja de duas doses de álcool por semana.

O novo estudo se baseou em questionários respondidos por 1 264 mulheres que haviam participado de um levantamento sobre alimentação e que ficaram grávidas durante a pesquisa. Nenhuma delas apresentava um risco alto de sofrer complicações durante a gestação.

Os pesquisadores analisaram os relatos dessas mulheres sobre ingestão de álcool um mês antes de engravidarem e durante toda a gestação. Segundo o estudo, mais da metade (53%) das mulheres afirmou ter bebido duas doses ou mais de álcool por semana durante o primeiro trimestre de gestação.

Gravidez em risco — Em média, 4,4% dos filhos das participantes nasceram com um tamanho menor do que o esperado (pelo tempo de gestação) e 4,3% nasceram prematuros.

Esse risco, porém, foi duas vezes maior entre bebês cujas mães beberam mais do que duas doses de álcool por semana no primeiro trimestre de gestação em comparação com filhos de mulheres que não consumiram álcool nesse período.

Ainda de acordo com a pesquisa, a chance de parto prematuro foi maior mesmo em mulheres que beberam no primeiro trimestre da gestação, mas sem exceder as duas doses de álcool semanais, em comparação com as que se mantiveram abstêmias. Além disso, a ingestão de álcool no mês anterior à concepção também pareceu elevar o risco de o bebê nascer com tamanho restrito.

"Nossos resultados destacam a necessidade de endossar a recomendação sobre mulheres se manterem abstêmias durante a gravidez. Além disso, o estudo ajuda a compreender os efeitos do álcool em grávidas e quais são os períodos mais vulneráveis — no caso, o primeiro trimestre da gravidez", dizem os autores no artigo.



Auxílio psicológico a pacientes com câncer de mama

A mulher não deve se sentir sozinha nessa jornada.

Auxílio psicológico a pacientes com câncer de mama

5 dicas para prevenir a osteoporose

Você sabia que uma em cada três mulheres têm osteoporose em todo o mundo?

5 dicas para prevenir a osteoporose

Ministério da Saúde lança campanha nacional de combate à sífilis

Gestantes representaram mais da metade dos casos contraídos em 2020.


Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Cerca de 3,7 milhões de atendimentos deixaram de ser feitos.

Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Uma pesquisa recente publicada pela Digital Turbine mostra que 20% dos brasileiros não ficam mais de 30 minutos longe do celular.

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

A região lombar costuma ser a mais afetada pela osteofitose

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

A renda obtida com a venda dos livros será doada ao Instituto Correndo Pelo Diabetes para incentivar a prática da atividade física.

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

10 curiosidades sobre o crânio e o cérebro que irão te surpreender

Ainda estamos longe de conhecer todo o mistério que envolve a interligação do cérebro com o nosso organismo como um todo, mas já temos importantes achados.


Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Com medo do contágio pelo coronavírus, as mulheres deixaram de lado a rotina de cuidados.

Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Em 2021, Brasil registra 299.304 pessoas mortas por doenças cardiovasculares.

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Conheça os riscos e benefícios de crianças e adolescentes usar lentes de contato.

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Medicações têm efeitos danosos, inclusive com risco de morte.

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor