Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Convivendo com doenças renais

Convivendo com doenças renais

29/03/2021 Dra. Marcia Goulart de Abreu

Doenças renais ocorrem por heranças genéticas, inflamações específicas (“nefrites"), intoxicações, problemas cardíacos, dentre outras.

Convivendo com doenças renais

O estigma de uma vida limitada: dieta com muita restrição, consumo regrado de líquidos, compromisso de estar conectado a uma máquina 2, 3 ou mais vezes por semana por uma boa parte do dia. A vida de um paciente que faz diálise exige disciplina e sacrifícios. Apesar do senso-comum enxergar os portadores de doença renal de forma negativa, essa visão pode ser desmistificada pela informação.

É importante conhecer para cuidar. Sabe-se que os rins são responsáveis por filtrar o sangue, eliminando toxinas produzidas pelo funcionamento normal do corpo. Mas além dessa principal função, eles também controlam a quantidade de sal e água, a concentração de minerais e ácidos no organismo, regulam a pressão arterial e produzem hormônios que evitam anemia e doenças ósseas.

Doenças renais ocorrem por heranças genéticas, inflamações específicas (“nefrites"), intoxicações, problemas cardíacos, dentre outras. As principais causas que levam à necessidade de diálise a longo prazo são duas condições bastante comuns, e que podem, em alguns casos, atacar os rins: hipertensão e diabetes. Embora problemas renais ocorram mais do que se imagina, nem sempre o diagnóstico é feito em fase precoce, quando a doença costuma ser silenciosa, manifestando sinais que não são valorizados pelo indivíduo.

Quando sintomas mais pronunciados se instalam, como fraqueza, falta de ar, inchaço e diminuição da quantidade de urina, as tentativas de recuperação ou lentificação da evolução para falência renal  podem não ser eficazes e o paciente necessita então entrar para um programa de “substituição renal”. As terapias dialíticas se modernizaram muito ao longo dos anos, com máquinas de hemodiálise mais seguras e eficazes e a diálise peritoneal, a qual é realizada em domicílio, cada vez mais difundida, além da indicação de transplante para casos selecionados.

No mês em que se comemora o Dia Mundial do Rim, a comunidade nefrológica internacional aproveita a oportunidade para trazer mais conhecimento e tentar minimizar o sofrimento de tantos pacientes.

Em 2021 o lema da campanha é “Vivendo bem com a doença renal”, visando apoiar os pacientes dialisados ou transplantados, para que se sintam acolhidos e incentivados a se inserirem ao cotidiano próximo de uma vida dita como normal. Seguindo certos cuidados, muitos destes pacientes podem exercer seus ofícios, ter uma vida social, desenvolver projetos e realizar seus sonhos. O amparo da equipe de cuidados, que inclui médicos, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas e assistentes sociais, e sobretudo da família, é de suma importância para viabilizar ou adaptar a esse novo modo de viver.

A abordagem dos cuidados com os rins engloba medidas preventivas que promovam uma boa saúde geral, como alimentação saudável, ingestão adequada de líquidos, não fumar, evitar ou controlar a hipertensão e o diabetes. Alguns medicamentos de uso comum, como anti-inflamatórios, podem ser nefrotóxicos e seu uso sem a devida prescrição deve ser desestimulado. Avaliações médicas com realização de exames simples, como dosagem de creatinina no sangue e análise da urina, podem alertar para a necessidade de atenção especial no manejo da saúde renal.

* Dra. Marcia Goulart de Abreu, Nefrologista do Corpo Clínico do Biocor Instituto, especialista em cuidados renais, membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia.

Para mais informações sobre Doença Renal clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Ministério da Saúde lança campanha nacional de combate à sífilis

Gestantes representaram mais da metade dos casos contraídos em 2020.


Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Cerca de 3,7 milhões de atendimentos deixaram de ser feitos.

Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Uma pesquisa recente publicada pela Digital Turbine mostra que 20% dos brasileiros não ficam mais de 30 minutos longe do celular.

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

A região lombar costuma ser a mais afetada pela osteofitose

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

A renda obtida com a venda dos livros será doada ao Instituto Correndo Pelo Diabetes para incentivar a prática da atividade física.

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

10 curiosidades sobre o crânio e o cérebro que irão te surpreender

Ainda estamos longe de conhecer todo o mistério que envolve a interligação do cérebro com o nosso organismo como um todo, mas já temos importantes achados.


Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Com medo do contágio pelo coronavírus, as mulheres deixaram de lado a rotina de cuidados.

Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Em 2021, Brasil registra 299.304 pessoas mortas por doenças cardiovasculares.

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Conheça os riscos e benefícios de crianças e adolescentes usar lentes de contato.

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Medicações têm efeitos danosos, inclusive com risco de morte.

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Entenda como as diferentes posições para dormir interferem no funcionamento do organismo.

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

"Conhecer demência é conhecer Alzheimer" é tema de campanha em 2021.

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença