Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Degeneração macular

Degeneração macular

01/09/2006 Divulgação

No Brasil, cerca de 10% da população entre 65 e 74 anos e 25% acima de 75 sofrem com a degeneração macular. Embaçamento da visão central, dificuldade para ler, escrever, costurar e para realizar outras atividades que exijam visão em detalhe; esmaecimento das cores, percepção de uma área escura ou vazia no centro da visão e alteração do tamanho dos objetos.

Os sintomas descritos acima podem indicar a presença de degeneração macular. "A mácula é uma pequena área localizada na parte posterior do olho que nos permite enxergar detalhes finos com clareza. A degeneração macular é uma lesão neste local, que afeta tanto a visão para longe quanto a visão para perto, podendo dificultar e até mesmo impedir a realização de algumas atividades", explica o oftalmologista Virgilio Centurion, diretor-clínico do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

Na maioria dos casos, a degeneração apresenta-se na terceira idade, por isso a doença é freqüentemente chamada de Degeneração Macular Relacionada à Idade, (DMRI). Entretanto, a degeneração também pode ser hereditária, neste caso, chamada de Degeneração Macular Juvenil. "A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é, hoje, a principal causa de cegueira no mundo, em faixas etárias superiores a 50 anos. Na medida em que aumenta a expectativa de vida das pessoas, aumenta também a incidência da DMRI", afirma Centurion.

A doença atinge 30 milhões de pessoas em todo o planeta. Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, no Brasil, cerca de 10% da população entre 65 e 74 anos, e 25% acima de 75 anos sofrem com a degeneração macular. "Pessoas de pele clara e olhos azuis ou verdes; exposição excessiva à luz solar; tabagismo; uma dieta rica em gorduras são fatores relacionados à maior incidência de degeneração macular relacionada à idade", informa o diretor-clínico do IMO.

Mais de 80% dos casos de DMRI são de modalidade atrófica ou seca, tipo que evolui lentamente para a perda parcial da visão. Os casos restantes são da modalidade exsudativa ou úmida, que, embora totalize uma porcentagem menor de incidência, representa um perigo muito maior para a visão. 

Na maioria dos casos, a degeneração macular afeta um olho de cada vez, e o paciente só se dá conta de que tem algum problema quando começa a perceber algum dos sintomas já citados. "Entretanto, o oftalmologista pode detectar a degeneração macular em seu estágio inicial, durante uma consulta oftalmológica de rotina", alerta o oftalmologista Juan Caballero, que também integra o corpo clínico do IMO. Ao examinar o fundo do olho, se o oftalmologista perceber indícios da doença, ele poderá realizar os seguintes exames adicionais:

Campimetria, teste que possibilita mapear o campo visual do paciente. O mapa obtido permite a identificação de alterações visuais causadas pelo glaucoma ou pela degeneração macular; Angiofluoresceinografia, exame no qual após a administração de um contraste injetável, é possível identificar anormalidades na retina e realizar fotografias que ajudarão a indicar a melhor possibilidade de tratamento; Teste da Grade de Amsler e Teste da Visão em Cores.

Embora existam diversos tratamentos sob pesquisa, ainda não há um meio eficaz para reverter ou deter a doença do tipo atrófica ou seca. Diversos métodos terapêuticos foram propostos para a prevenção e o tratamento da DMRI. "O uso de vitaminas, antioxidantes e, recentemente, de luteína (pigmento amarelo da gema do ovo) mostrou-se eficaz na diminuição da incidência da forma exsudativa da doença, retardando sua progressão", afirma Caballero.

A doença não causa cegueira total, pois, a retina periférica não é afetada. Mas, ela pode causar uma visão sub-normal, um problema que os óculos comuns não são capazes de solucionar. "Nestes casos, a visão remanescente pode ser muito útil ao paciente, permitindo que ele continue praticando muitas de suas atividades com o auxílio de acessórios ópticos especiais para a baixa visão: lentes de aumento, televisão de circuito fechado, material de leitura impresso em letras de tamanho maior e equipamentos sonoros ou computadorizados", explica o oftalmologista Juan Caballero.

Para quem já passou dos 50 anos e para os que apresentam pessoas da família com problemas retinianos, o ideal é que as consultas oftalmológicas sejam regulares.

Fonte: IMO - Instituto de Moléstias Oculares



Ministério da Saúde lança campanha nacional de combate à sífilis

Gestantes representaram mais da metade dos casos contraídos em 2020.


Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Cerca de 3,7 milhões de atendimentos deixaram de ser feitos.

Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Uma pesquisa recente publicada pela Digital Turbine mostra que 20% dos brasileiros não ficam mais de 30 minutos longe do celular.

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

A região lombar costuma ser a mais afetada pela osteofitose

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

A renda obtida com a venda dos livros será doada ao Instituto Correndo Pelo Diabetes para incentivar a prática da atividade física.

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

10 curiosidades sobre o crânio e o cérebro que irão te surpreender

Ainda estamos longe de conhecer todo o mistério que envolve a interligação do cérebro com o nosso organismo como um todo, mas já temos importantes achados.


Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Com medo do contágio pelo coronavírus, as mulheres deixaram de lado a rotina de cuidados.

Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Em 2021, Brasil registra 299.304 pessoas mortas por doenças cardiovasculares.

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Conheça os riscos e benefícios de crianças e adolescentes usar lentes de contato.

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Medicações têm efeitos danosos, inclusive com risco de morte.

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Entenda como as diferentes posições para dormir interferem no funcionamento do organismo.

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

"Conhecer demência é conhecer Alzheimer" é tema de campanha em 2021.

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença