Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dor de cabeça com 3D pode ser “avatar” do estrabismo

Dor de cabeça com 3D pode ser “avatar” do estrabismo

06/06/2010 Divulgação

Se as imagens em 3D do filme Avatar de James Cameron não forem o motivo da sua dor de cabeça, elas podem ser um indicativo de um problema ocular ainda não diagnosticado, defende o neuro-oftalmologista David Granet, pesquisador da Universidade da Califórnia, autor do artigo.

 Há grande um número de pessoas que relatam sintomas desagradáveis após assistirem uma produção em 3D. Estes sintomas podem indicar uma série de doenças ou moléstias. Granet sugere que se alguém sente dor de cabeça, após assistir Avatar, deve investigar a razão desta dor. No caso da esposa do próprio médico, relatado no artigo, uma anisometropia - nome que se dá à condição em que o erro refrativo é diferente entre os olhos - pode ter sido a causa da dor de cabeça.  Ele conta que a esposa, aos 90 minutos do filme, começou a sentir-se mal, enjoada. Após retirar os óculos por 20 minutos, voltou ao seu estado normal. O médico explica que o grande esforço tentando fundir as imagens diferentes apresentadas a cada olho causou o cansaço visual da esposa.

Para ver a imagem em 3D é necessário que a imagem formada em cada olho seja clara. Em condições normais, esta situação de esforço extra para os olhos pode não representar um problema, porque quando você apresenta fadiga visual, na frente do computador, você se levanta por cinco minutos, descansa os olhos e fica bem novamente. Mesmo os pacientes com visão normal podem ter dificuldades para assistir a produções em 3D, em parte porque não é possível, no mundo real, focar a profundidade dos objetos, como é nos filmes. Portanto, uma dor de cabeça forte, de longa duração ou a incapacidade de perceber as imagens em 3D do filme podem indicar um problema ocular.



O consumidor é obrigado a dar o CPF nas farmácias?

Um ponto de dúvida para as pessoas, mas que é importante ter clareza, a exigência de CPF é ilegal para o fornecimento de descontos pelas farmácias.

O consumidor é obrigado a dar o CPF nas farmácias?

Governo lança campanha de combate ao mosquito da dengue

Casos aumentaram em 12 estados em relação ao ano passado.

Governo lança campanha de combate ao mosquito da dengue

Estamos todos saindo da UTI?

Nas últimas semanas, esses ambientes estão diferentes do que vivenciamos ao longo de quase 20 meses.

Estamos todos saindo da UTI?

Por que o autismo em meninas é menos comum?

Elas têm mais autoconsciência, senso de empatia e tenta “se encaixar” mais socialmente que eles.

Por que o autismo em meninas é menos comum?

Pesquisa comprova maior eficácia de teste HPV para detecção de câncer

Estatuto da Pessoa com Câncer é sancionado

Passa a ser direito fundamental da pessoa com câncer a obtenção de diagnóstico precoce e acesso a tratamento universal.

Estatuto da Pessoa com Câncer é sancionado

Mulheres têm mais risco de sofrer infarto do que os homens

A quantidade de pessoas que sofrem com problemas cardiorrespiratórios no Brasil é tão significativa que sobram estatísticas para contar a história.

Mulheres têm mais risco de sofrer infarto do que os homens

Médico adota técnica para apoiar pessoas a envelhecer sem dor

Segundo Dr. Geraldo Carvalhaes, casos de dor crônica também afetam pessoas mais jovens.

Médico adota técnica para apoiar pessoas a envelhecer sem dor

Você é um Hipocondríaco?

Quando a preocupação com a saúde vira doença.

Você é um Hipocondríaco?

Número de prematuros aumenta no Brasil

Média de prematuridade no país atingiu 11,1% em 2020 e aumento pode estar ligado ao covid-19.

Número de prematuros aumenta no Brasil

40% dos clientes de plano de saúde usam o SUS

Pesquisa da Anab foi realizada com 1.006 usuários da saúde suplementar em todo o Brasil no mês de setembro.

40% dos clientes de plano de saúde usam o SUS

Depressão, ansiedade e dores musculares aumentaram na pandemia, diz estudo

Acupuntura e outras técnicas podem ajudar no alívio dos sintomas e melhora global dessas condições.

Depressão, ansiedade e dores musculares aumentaram na pandemia, diz estudo