Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Insônia em idosos não é normal e é preciso investigar as causas

Insônia em idosos não é normal e é preciso investigar as causas

28/10/2020 Divulgação

Especialista em gerontologia dá dicas para ter um sono de qualidade.

Insônia em idosos não é normal e é preciso investigar as causas

Comum a partir dos 65 anos, a insônia atinge entre 5% e 10% da população idosa e, apesar de ser uma queixa comum na terceira idade, é preciso se atentar aos sinais que a rotina do idoso demonstra.

Diminuição da capacidade de concentração, aumento da sonolência ao longo do dia, ter o sono fragmentado e problemas de memória, estão entre os sintomas que podem ser ocasionados pela insônia. Segundo Marcella dos Santos, enfermeira chefe do Grupo DG Sênior, especializada em gerontologia, esses sinais além de acusarem problemas no sono deixam o idoso mais suscetível a riscos como quedas, acidentes e lapsos durante atividades rotineiras. “Muitos deles acham que é normal acordar no meio da noite e não conseguir mais dormir, outros atribuem as várias idas ao banheiro como o ladrão do sono. Por isso é fundamental o familiar ou cuidador observar esses tipos de comportamentos nos idosos”, afirma.

Para quem se preocupa em cumprir as famosas 8 horas diárias de sono para manter a saúde e disposição em dia, um dado curioso aponta que conforme envelhecemos o tempo necessário de sono para um descanso efetivo diminui. “É importante saber como esse idoso passa seu dia e como está sua disposição. Nos casos recorrentes de noites em claro e cansaço extremo é necessário a consulta médica. Algumas vezes a insônia pode estar sendo provocada por efeitos colaterais de medicações que a pessoa ingere diariamente. Pacientes com diabetes, doenças cardíacas, ansiedade e depressão também estão mais propensos a sofrer deste mal”, complementa a especialista.

Outro ponto de alerta é o uso de medicamentos para induzir o sono. “Em hipótese alguma o idoso deve se automedicar, mesmo com fitoterápicos. É preciso antes identificar a causa da insônia”, diz.

A especialista em gerontologia dá algumas dicas para estimular um sono de qualidade:

- Praticar exercícios físicos, se possível ao ar livre, ao longo do dia. A luz solar durante o dia ajuda a estimular o relógio biológico para induzir ao sono na hora de dormir.

- Evitar sonecas profundas ao longo do dia.

- Dar preferência para refeições leves na hora do jantar.

- Evitar a ingestão de café ou outras bebidas com cafeína ao anoitecer.

- Ter uma rotina de horário para deitar e se levantar.

- Deixar o ambiente totalmente em silêncio, confortável e baixa iluminação facilitam o estímulo ao sono.

Fonte: Máxima Assessoria de Imprensa



Incidência de câncer de pele é maior em homens

Dezembro Laranja chama atenção para cuidados de prevenção e da importância do check-up dermatológico para diagnóstico do câncer de pele.

Incidência de câncer de pele é maior em homens

O perigo do uso indiscriminado dos antibióticos

Estudos apontam que 700 mil mortes por ano são causadas em todo o mundo por infecções resistentes aos medicamentos.

O perigo do uso indiscriminado dos antibióticos

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

Chegamos a uma nova encruzilhada na questão da Covid-19 em território brasileiro.

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

A corrida para a vacina: quando os riscos valem a pena?

Os insumos necessários precisarão ser produzidos em uma escala inédita.

A corrida para a vacina: quando os riscos valem a pena?

Consumo de bebidas alcoólicas cresce entre as mulheres

O corpo leva de 1 a 3 horas para metabolizar uma dose de álcool no organismo.

Consumo de bebidas alcoólicas cresce entre as mulheres

Milhões de mortes por ano podem ser evitadas com atividade física

Combate ao sedentarismo deve ser praticado em todas as idades, diz OMS.

Milhões de mortes por ano podem ser evitadas com atividade física

Redes sociais e games em excesso causam tanta dependência quanto as drogas

A informação torna-se preocupante quando se verifica o quanto a internet está presente no cotidiano. Brasil é o segundo país onde se permanece mais tempo conectado durante o dia.

Redes sociais e games em excesso causam tanta dependência quanto as drogas

Pré-diabetes: como reverter o problema por meio de hábitos saudáveis

O diabetes é uma das principais doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) que acometem os brasileiros.

Pré-diabetes: como reverter o problema por meio de hábitos saudáveis

Gravidez depois dos 35: o que você precisa saber

Especialista explica principais mitos e verdades para mulheres que querem engravidar depois dos 35 anos.

Gravidez depois dos 35: o que você precisa saber

Low carb pode ser adotada por diferentes tipos de pessoas conforme necessidades e objetivos

Estratégia alimentar é recomendada para quem sofre de obesidade, diabetes e síndrome metabólica.

Low carb pode ser adotada por diferentes tipos de pessoas conforme necessidades e objetivos

Prematuros podem apresentar dificuldades no processamento sensorial

Especialista alerta para as morbidades que resultam do nascimento prematuro.

Prematuros podem apresentar dificuldades no processamento sensorial

Asma atinge 20 milhões de brasileiros

Pacientes com asma grave podem ter qualidade de vida com imunobiológicos.

Asma atinge 20 milhões de brasileiros