Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Médica alerta sobre alergia nesta Páscoa

Médica alerta sobre alergia nesta Páscoa

13/04/2011 Divulgação

Um alerta veio para ajudar as mães que têm filhos com alergia à lactose. Conheça seus perigos, medidas preventivas, além da alternativa de um ovo de chocolate que não causa alergia nas crianças.

Na Páscoa, o que era para ser um momento de muita alegria e fantasia envolvendo os ovos de chocolate, pode se tornar um verdadeiro pesadelo para muitas mães. Embora muitas delas não saibam, o leite de vaca, alimento contido na maioria dos ovos de chocolate, pode ser extremamente perigoso para seus filhos. Isso, pois as proteínas contidas neste produto, como a Caseína, a Alfa Lacto Albumina e a Beta Lacto Globulina, são grandes causadoras de alergias alimentares. Além disso, a Lactose, o açúcar encontrado no leite bovino, é provocadora de um processo diferente da alergia alimentar, chamado intolerância alimentar.

Ambos os processos podem ser bastante perigosos, sobre tudo a alergia alimentar ao leite bovino, que pode levar ao óbito, e pode se desenvolver em qualquer pessoa, independente de sua idade, sexo ou estilo de vida. No entanto, os recém nascidos são os mais afetados pelas doenças, e cerca de 6% das crianças até o 3º ano de vida sofrem com a alergia alimentar. Já a intolerância à Lactose, como aos demais compostos de diversos alimentos como o Glúten, os crustáceos, além de corantes e conservantes, atinge 25% dos brasileiros.

"A criança é quem mais sofre, pois o sistema imunológico dos recém natos ainda é imaturo, favorecendo o surgimento da alergia alimentar, uma vez que seu sistema de defesa não está totalmente formado. Além deste fator, a introdução precoce, em crianças, de leite de vaca, contido em grande parte dos ovos de chocolate, favorece à agressão da mucosa intestinal imatura. Isso aumenta muito a permeabilidade intestinal a macromoléculas do leite bovino, induzindo a uma resposta imune de alergia", afirma o Alergista e Imunologista, Coordenador Técnico do Projeto Social Brasil Sem Alergia, Dr. Marcello Bossois.

Alergia Alimentar

A alergia alimentar é uma doença caracterizada pelo aparecimento de reações adversas após o consumo de um determinado alimento, tendo como mediador o sistema imunológico. O organismo identifica parte do alimento como substância estranha, ou ameaçadora. A substância capaz de desencadear a alergia, que na maior parte dos casos é uma proteína, como a Caseína, presente em muitos ovos de Páscoa, recebe o nome de alérgeno.

Neste processo, Para se defenderem dessas substâncias, as células do sistema imune produzem moléculas chamadas Anticorpos, como o IGE. Esta reação incita outras células especializadas, os Mastócitos, a liberarem uma substância chamada Histamina, que será a responsável pelos mais variados sintomas alérgicos. Ou seja, uma criança pode ser alérgica às proteínas presentes no leite de vaca, mesmo que seus pais ainda não saibam, e ao ingerir o ovo de chocolate seu organismo dá início à uma "guerra" para combater tais substâncias, o que provocará preocupantes incômodos.

Sintomas

"Os sintomas das alergias alimentares podem ser variados, sendo mais freqüente o surgimento de alterações gastro-intestinais aguadas ou crônicas com diarréias e cólicas abdominais, além de manifestações respiratórias como rinite, sinusite, asma e otite. As reações na pele são comuns com as dermatites de contato, eczemas de contato e urticárias. Mas, dependendo do grau de alergia da criança, as reações podem ser muito perigosas, desde hematológicas como anemia e aumento dos eosinófilos, podendo chegar a um processo de choque anafilático, o que poderá levar o paciente ao óbito", comenta o Alergista.

O que causa?

A doença pode ter influência de múltiplos fatores, que poderão provocar seu surgimento, ou aumento de sua gravidade, bem como alterar a frequência de suas reações. No entanto, os principais são a hereditariedade, a exposição ao alimento, permeabilidade gastrintestinal e fatores ambientais que podem acentuar os sintomas da alergia alimentar. Uma pessoa que tenha familiares próximos, como pais ou irmãos alérgicos ao leite de vaca, por exemplo, terá 50% de chance de desenvolver o problema, a mais do que os indivíduos que não apresentem uma herança genética da patologia.

Como diagnosticar?

Para o diagnóstico, é muito importante a realização do exame de sangue, pois poderá se identificar a presença de um processo alérgico através de alterações nos níveis do Anticorpo IGE, deficiência de ferro, além da alteração nos valores de complemento. Já no exame de fezes pode-se encontrar muco nas mesmas, além da possível presença de sangue e pus, indicando uma deficiência de absorção, o que aponta para a possibilidade da alergia alimentar. O teste alérgico de puntura é fundamental, uma vez que as proteínas presentes neste alimento serão colocadas em contato com a pele do paciente, afim de analisar a presença da alergia ao leite de vaca.

"No entanto, a única maneira de se fazer um diagnóstico preciso é através da retirada, e a reintrodução do leite de vaca, na alimentação, ou seja, fazer o teste de provocação oral. Em muitos casos este teste acaba sendo muito perigoso, devido ao risco de anafilaxia, ou seja, o choque anafilático, que poderá causar a morte do paciente. Por este motivo, ele deve ser feito em unidade hospitalar, com todo o preparo necessário e material de emergência", comenta Dr. Marcello Bossois.

Prevenção

Uma boa maneira de se prevenir contra as alergias alimentares, em especial no que se refere ao leite de vaca, fonte nutricional muito utilizada pelas mães em geral, principalmente após o período de amamentação, é optar por inserir o alimento de forma gradativa e em pequenas doses. Desta forma, as mães poderão observar se haverá queixas de seus filhos após a ingestão do leite bovino, mas vale lembrar que a melhor forma de prevenção deste tipo de alergia é evitando ao máximo o contato das crianças, com o alimento, até completarem 3 anos de idade.

"É aconselhável que as mães retardem a introdução da alimentação sólida para as crianças, e de suma importância que elas estendam ao máximo o período de amamentação. O leite materno ajuda a prevenir o aparecimento de reações adversas e protege o bebê, fornecendo anticorpos, nutrientes, vitaminas e todos os minerais. O aleitamento deverá se manter até que a criança complete, pelo menos, 2 anos de idade e caso o horário da mãe não a permita amamentar durante este período, ela poderá conservar o leite materno na geladeira e solicitar que algum responsável ofereça à criança", alerta a Nutricionista da Santa Casa de Misericórdia, Dra. Teresa Pavan.

Caso o indivíduo seja diagnosticado a alérgico às proteínas do leite bovino, é necessário que o mesmo não faça ingestão do alimento, pois isso irá ocasionar sintomas desagradáveis. Além da retirada deste tipo de leite, é importante a atenção aos rótulos de outros alimentos, pois alguns poderão possuir as mesmas proteínas em suas composições. Vale ressaltar que ainda existe alternativa para a Páscoa das crianças que não podem comer os tradicionais ovos de Páscoa, por conta de suas alergias.

Sugestão de Ovo de Páscoa para evitar as alergias

"Durante o período da Páscoa, a melhor indicação para as crianças alérgicas ao leite de vaca é o consumo de ovos de chocolate artesanais, feitos de maneira caseira. Para evitar as alergias, as mães poderão confeccionar seus próprios ovos de Páscoa, que além de proteger seus filhos, será mais um momento de descontração, união e alegria com suas crianças, que poderão exercitar a imaginação para os formatos e embalagens. Prepare uma espécie de brigadeiro, sem leite condensado, à base de cacau, alfarroba e biomassa da banana verde, produtos encontrados em lojas de produtos naturais. Prepare, monte e embale, você mesma", sugere Dra. Teresa.



TDAH não é um distúrbio exclusivamente infantil

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) afeta uma pequena parcela da população.

TDAH não é um distúrbio exclusivamente infantil

Dores e má postura em crianças podem estar ligadas ao encurtamento muscular

Redução da amplitude de movimento e vícios de postura são os principais sinais de os músculos estão encurtados.

Dores e má postura em crianças podem estar ligadas ao encurtamento muscular

Burnout agora é síndrome ocupacional: o que as empresas podem fazer?

Síndrome é relacionada ao ambiente de trabalho.

Burnout agora é síndrome ocupacional: o que as empresas podem fazer?

É verdade que o apêndice é um órgão desnecessário?

A retirada de apêndice é uma operação considerada comum na cirurgia geral.

É verdade que o apêndice é um órgão desnecessário?

Prevenção é o principal fator de manutenção da saúde

O isolamento social durante pandemia mudou radicalmente a rotina em todos os aspectos.

Prevenção é o principal fator de manutenção da saúde

Portal de telemedicina ultrapassa a marca de um milhão de atendimentos realizados

Plataforma de teleconsulta expandiu durante a pandemia.

Portal de telemedicina ultrapassa a marca de um milhão de atendimentos realizados

Tipos de shampoo: anticaspa, matizador e muito mais!

Descubra as principais características dos mais variados tipos de shampoo para cada tipo de cabelo.

Tipos de shampoo: anticaspa, matizador e muito mais!

O que é bom para estrias? Como evitar, tirar e muito mais!

Descubra quais são os tipos de estrias e quais os melhores tratamentos para combatê-las.

O que é bom para estrias? Como evitar, tirar e muito mais!

Campanha “Janeiro Roxo” promove conscientização sobre a hanseníase

O Brasil é o segundo país com maior número de casos da doença no mundo.

Campanha “Janeiro Roxo” promove conscientização sobre a hanseníase

Minas supera eixos tradicionais de saúde e deixa legado no combate à pandemia

Uma das frases que mais me marcaram na pandemia foi: “Dormi com minha irmã viva e acordei com a notícia de que ela estava quase morrendo”.

Minas supera eixos tradicionais de saúde e deixa legado no combate à pandemia

O verão está chegando: proteja-se para prevenir o câncer de pele

Dezembro é o mês da conscientização sobre prevenção e diagnóstico precoce da doença, que é o tipo de câncer com maior incidência no Brasil.

O verão está chegando: proteja-se para prevenir o câncer de pele

Como prevenir suicídios na terceira idade, durante a pandemia

A prevenção é a forma mais eficaz de evitar que uma tragédia acometa uma família.

Como prevenir suicídios na terceira idade, durante a pandemia