Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Novo medicamento para Diabetes tipo 2

Novo medicamento para Diabetes tipo 2

14/09/2006 Divulgação

No mês de agosto, a Novartis promoveu um simpósio durante o 27º Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia para apresentar à classe médica o Galvus® (vildagliptina). O medicamento é o primeiro de uma nova classe terapêutica, os inibidores da enzima DPP-4, para o controle do diabetes tipo 2, forma mais comum da doença, que atinge hoje 16 milhões de brasileiros.

Os desafios no desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para o tratamento efetivo do diabetes tipo 2, o importante papel das incretinas no controle glicêmico e o mecanismo de ação da vildagliptina foram temas do simpósio. “O diabetes afeta cerca de 230 milhões de pessoas em todo o mundo. Segundo a Fundação Internacional de Diabetes, esse número ultrapassará 350 milhões até 2025.Nesse sentido, é fundamental o desenvolvimento de terapias que controlem efetivamente o diabetes”, afirma Dr. João Roberto Sá, endocrinologista da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e um dos palestrantes.

Galvus® modula a atividade das ilhotas pancreáticas, aglomerado de células encontradas no pâncreas, que produzem os hormônios responsáveis pelo controle metabólico. Fazem farte deste aglomerado as células beta, que produzem insulina, e as células alfa, que produzem glucagon.

Tanto a insulina quanto o glucagon desempenham um papel importante na manutenção dos níveis normais de glicemia. “As ilhotas pancreáticas são centros de controle para a regulação do metabolismo da glicose”, destaca Dr. Ruy Lyra, Professor de Endocrinologia e Metabologia da Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco. “A vildagliptina restabelece o equilíbrio entre o glucagon e a insulina, reduzindo os níveis excessivamente altos de glucagon produzido pelas células alfa e estimulando as células beta a produzir mais insulina, quando necessário. Esses dois efeitos contribuem para a redução dos níveis de glicemia”, explica Dr. Lyra.



Vacina para a Covid-19, o que precisamos saber

Qualquer notícia sobre a produção das vacinas contra a Covid-19 sempre deixa a população mundial esperançosa.

Vacina para a Covid-19, o que precisamos saber

Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

Amamentação reduz mortalidade infantil e risco de câncer de mama.

Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

Seminário internacional sobre autismo aborda ética no tratamento

No dia 22 de agosto, acontece o XVIII Seminário Internacional do Instituto LAHMIEI - Autismo da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).


Como saber se tenho bruxismo?

Dor na mandíbula e cabeça ao acordar são sintomas comuns.

Como saber se tenho bruxismo?

As novas maneiras de olhar e cuidar da saúde física e mental

Muito tem se falado sobre o impacto da pandemia e do distanciamento social na vida das pessoas.


Consultas odontológicas diminuem 80% durante a pandemia

Pesquisa feita pela UFPel diz respeito às consultas odontológicas na rede pública.

Consultas odontológicas diminuem 80% durante a pandemia

Aspectos emocionais do câncer

O câncer coloca a pessoa em situação limite, pois carrega o estigma da morte e do sofrimento.


Vacinas: destrinchando as fases da produção

A história do processo de produção das vacinas remonta aos trabalhos realizados pelo naturalista e médico inglês Edward Jenner, no final do século XVIII.

Vacinas: destrinchando as fases da produção

Lançado e-book com rotina de médicos em UTIs na pandemia

Prosas, versos e muita emoção mostram a nova realidade dos profissionais.


Síndrome de Burnout deve atingir diversos profissionais pós-pandemia

Cansaço, fadiga e estresse no trabalho podem ser mais sérios do que se imagina

Síndrome de Burnout deve atingir diversos profissionais pós-pandemia

Qual é o plano futuro para o setor de saúde depois da pandemia?

O setor de saúde deverá se reinventar, assim como vários setores da economia.

Qual é o plano futuro para o setor de saúde depois da pandemia?

Baixa adesão faz Ministério da Saúde ampliar campanha contra sarampo

Pessoas de 20 a 49 anos poderão se vacinar até o dia 31 de agosto, em todo o país.

Baixa adesão faz Ministério da Saúde ampliar campanha contra sarampo