Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O que fazer quando alguém tem uma síncope?

O que fazer quando alguém tem uma síncope?

20/02/2020 Divulgação

Normalmente, antes da síncope costuma haver palidez, vertigem, suor frio,  formigamento no corpo, pulsação fraca, diminuição da audição e visão embaçada.

O que fazer quando alguém tem uma síncope?

Seja em casa, na rua, em ambientes de trabalho ou de lazer, todo mundo está sujeito a socorrer uma vítima de síncope, o termo médico para o que chamamos de desmaio.

Ou seja, uma pessoa que teve a perda súbita dos sentidos, da consciência e do tônus muscular.

É uma reação instantânea do organismo quando falta oxigênio no cérebro. Uma medida de defesa natural, como se o corpo desligasse por alguns minutos para ter mais energia e poder recuperar o fluxo normal do oxigênio.

As causas dos desmaios podem ser diversas: desde problemas cardiovasculares graves, passando a choques emocionais, pânico, insolação, calor em excesso, consumo excessivo de álcool e outras drogas, dor intensa, jejum prolongado, hipoglicemia ou o simples fato de permanecer em pé por muito tempo.

Primeiros socorros

Normalmente, antes da síncope costuma haver palidez, vertigem, suor frio,  formigamento no corpo, pulsação fraca, diminuição da audição e visão embaçada.

Se a pessoa comunicar esses sintomas, de forma verbal ou comportamental, ainda há tempo de evitar o desmaio colocando-a sentada e pedindo para que abaixe a cabeça, posicionando-a entre os joelhos. Nessa posição, ela deve respirar fundo algumas vezes. Esse procedimento ajuda na oxigenação do cérebro.

Quando se sentir melhor, a vítima deve beber água com açúcar ou um suco.

Em caso de desfalecimento, é importante aparar e deitar a pessoa imediatamente para evitar que se machuque.

Normalmente, a síncope é um estado de curta duração e a consciência do indivíduo é recuperada de forma espontânea.

Nesse meio tempo, algumas medidas são importantes para preservar a saúde da vítima.

1. Primeiro, checar o pulso e a respiração. Caso esses sinais vitais não estejam presentes, o caso é grave e deve se chamar uma ambulância imediatamente.

2. Se  a vítima estiver com pulso r respiração preservados, é hora de deitá-la de barriga para cima e posicionar suas pernas de forma com que fiquem mais altas que a cabeça. Essa posição ajuda na recuperação do fluxo do oxigênio para o cérebro.

3. Em seguida, vire a cabeça da vítima para o lado pois desta forma se ocorrer vômito, não há o risco dela se engasgar.

4. Depois, deve afrouxar as roupas e acessórios da pessoa para ajudar a circulação sanguínea.

5. Evite aglomeração em torno da vítima. Ao recobrar os sentidos, ela deve estar em um ambiente calmo para que possa se sentir segura e se recuperar com tranquilidade.

6. Depois de voltar à consciência, é necessário que a vítima fique deitada por mais alguns instantes e depois permaneça sentada por pelo menos dez minutos.

7. Água açucarada ou qualquer bebida doce deve ser oferecida à vítima. Uma dose de glicose ajuda na recuperação, caso o desmaio esteja relacionado à escassez de alimentos.

8. Uma pitada de sal é uma boa ideia para levantar a pressão, caso a pessoa ainda esteja muito debilitada.

9. Quando se sentir melhor, é hora de dar uma caminhada devagar, respirando fundo e calmamente.

10. Por fim, leve a pessoa a um atendimento de emergência. Somente um médico poderá diagnosticar e tratar corretamente a causa da síncope. Ao chegar ao hospital, o médico deve ser informado sobre as circunstâncias em que ocorreram a síncope, quanto tempo durou, os comportamentos de alimentação ou atividades físicas que antecederam o mal súbito, histórico de saúde, se a vítima toma alguma medicação etc.

O que não fazer

A Rede D'Or São Luiz lembra ainda que alguns comportamentos da “sabedoria popular” para ajudar uma vítima de desmaio estão completamente equivocados e devem ser evitados.

Não é correto jogar líquido no rosto da pessoa para ajudá-la a recuperar os sentidos. Nem oferecer álcool, amoníaco e afins para ela respirar. E, de forma alguma, sacudir seu corpo para que ela acorde.



A importância da vacina da gripe para os diabéticos

O assunto que é destaque há semanas é o coronavírus, porém não podemos deixar de falar da importância da vacina da gripe para os idosos.

A importância da vacina da gripe para os diabéticos

Meditação: como as crianças e adolescentes podem praticar

Incluir a atividade na rotina com a família pode contribuir durante o período de isolamento social.

Meditação: como as crianças e adolescentes podem praticar

Gordura abdominal prejudica coluna e joelhos

Mesmo em casa, é possível fazer quatro exercícios simples e seguir algumas dicas de alimentação para acabar com o excesso de peso ao redor da cintura.

Gordura abdominal prejudica coluna e joelhos

O canabidiol no tratamento da endometriose

O março amarelo é o mês dedicado à conscientização sobre a endometriose.


Quarentena e sanidade mental: é possível?

A pandemia do coronavírus impôs abruptamente a todas as pessoas a realidade da quarentena: privação da liberdade, limites, mudança de hábitos e rotinas, dificuldades financeiras e organizacionais.


Coronavírus e câncer: cuidado redobrado com o paciente oncológico

Pacientes com câncer podem apresentar imunidade mais baixa, ficando mais vulneráveis.

Coronavírus e câncer: cuidado redobrado com o paciente oncológico

Problemas psicológicos x COVID-19

Com a chegada do COVID-19 no Brasil, podemos notar que o comportamento das pessoas mudou.


Coronavírus e isolamento social

O mundo está sendo convulsionado pelo avanço da pandemia da Covid-19, que afeta e transtorna a vida da humanidade, em todos os sentidos e dimensões, de forma que ainda não conseguimos identificar com clareza as consequências.


Saúde emocional durante o isolamento social: o que fazer?

Vivemos tempos difíceis e incertos frente à pandemia de coronavírus, que exige de nós muitas mudanças.


O micro-organismo que afeta o comportamento e a saúde emocional

Seja no jornal, nos noticiários da TV ou nos sites de notícias, o tema é monotemático: coronavírus (Covid-19).


Telemedicina: liberação necessária na luta contra o coronavírus

A Telemedicina será utilizada “em caráter de excepcionalidade e enquanto durar a batalha de combate ao contágio da Covid-19”.


Universidade vai fabricar álcool gel contra Coronavírus

Produtos obedecem rigorosamente todas as normas de boas práticas de fabricação.

Universidade vai fabricar álcool gel contra Coronavírus