Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Obesidade causa enxaqueca

Obesidade causa enxaqueca

28/03/2019 Divulgação

Especialista alerta que o excesso de peso pode aumentar em até 44% a chance da doença.

Obesidade causa enxaqueca

Quem nunca sentiu uma dor de cabeça, que atire a primeira pedra. Ela provoca desconforto, mal humor, irritabilidade, sensibilidade à luz e ao som, dentre outros sintomas. Dentre os diferentes tipos de dor de cabeça, a enxaqueca caracteriza-se por uma dor intensa e pulsante, que pode ser acompanhada de náuseas e tonturas. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a enxaqueca afeta cerca de 15% da população brasileira, algo em torno de 31 milhões de pessoas, a maioria na faixa dos 25 aos 45 anos. Nas crianças, ocorre em 3% a 10%, afetando igualmente ambos os sexos antes da puberdade.

Segundo o médico, Henrique Eloy, especialista em cirurgia e endoscopia bariátrica e gastroenterologia, a obesidade pode aumentar em 44% a chance de um indivíduo apresentar enxaqueca. Além disso, pessoas com excesso de peso apresentam maior gravidade dos sintomas, bem como maior chance de apresentar enxaqueca crônica do que apenas episódica.

Diversas pesquisas demonstraram uma melhora importante do quadro clínico dos que sofrem com a enxaqueca com a redução de peso. “Sendo assim, ter um peso saudável faz parte do tratamento de quem sofre da dor de cabeça crônica. Espera-se uma redução de cerca de 57% das crises de enxaqueca após a cirurgia bariátrica”, explica Eloy.

Tanto a obesidade como a magreza extrema são fatores de risco para a enxaqueca, de acordo com um estudo realizado por um grupo de cientistas dos Estados Unidos e publicado na revista "Neurology", da Academia Americana de Neurologia. O estudo, coordenado pela neurologista Lee Peterlin, da Universidade Johns Hopkins, concluiu que as pessoas obesas e as abaixo do peso têm, respectivamente, uma probabilidade 27% e 13% maior de sofrer de enxaqueca, em comparação aos indivíduos com peso normal.

O IMC é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal referência para a classificação das faixas de peso. O índice é determinado pela divisão do peso do indivíduo, em quilos, pelo quadrado de sua altura em metros. A obesidade é definida por um IMC acima de 30, enquanto as pessoas abaixo do peso são as que têm IMC menor que 18,5.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Autismo, comorbidades e Covid-19

Muitos pais ficam com dúvidas sobre como o novo coronavírus (COVID-19) pode ser perigoso ou não para quem tem o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).


Pais, acolham seus filhos adolescentes

Eles podem estar sofrendo…


STF reconhece profissão de optometrista

A exemplo do que acontece no exterior, prescrição de lentes de grau não é mais exclusividade de médicos no Brasil.

STF reconhece profissão de optometrista

O home office e a dor nas costas

Muitos não possuem os devidos materiais para evitar dores na hora de fazer o home office.

O home office e a dor nas costas

Psicólogo mineiro lança canal educativo sobre saúde mental

O espaço é dedicado à divulgação de conteúdo de utilidade pública, bem-estar e qualidade de vida.


Pandemia é “sinal amarelo” para risco de automedicação

Prática traz sérios problemas para a saúde e não trata adequadamente as doenças.

Pandemia é “sinal amarelo” para risco de automedicação

Pessoas com visão monocular lutam para serem reconhecidas como pessoas com deficiência

Cegueira de um dos olhos chega a reduzir o campo visual em 25%.


Plano de saúde não pode negar tratamento prescrito por médico e deve cobrir teste de Covid

Os planos de saúde limitam, de forma significativa, o tratamento a ser aplicado ao paciente.


Pico de bronquiolite deve ocorrer no segundo semestre

A pandemia mudou radicalmente o perfil das internações infantis neste ano.


Hipertensão: a primeira aferição é capaz de diagnosticar o problema?

O diagnóstico e o início precoces do tratamento da hipertensão arterial são fatores essenciais para o controle da doença.

Hipertensão: a primeira aferição é capaz de diagnosticar o problema?

Orientação médica à distância requer cautela nos procedimentos

A telemedicina é um modo de exercer a medicina em que o contato acontece por meios digitais, via voz e vídeo.

Orientação médica à distância requer cautela nos procedimentos

Diferencie fome emocional da fome física

Durante a pandemia do novo coronavírus, muitos de nós ficamos mais ansiosos com medo do futuro e com a sensação de que todos os dias parecem iguais.