Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Parkinson: apesar de ter causa desconhecida, tem tratamento

Parkinson: apesar de ter causa desconhecida, tem tratamento

19/04/2006 Da Redação

Nos últimos tempos, a doença de Parkinson tem tido grande visibilidade devido ao número de pessoas conhecidas mundialmente que vêm em público assumir e falar sobre o mal. O Papa João Paulo II é um dos exemplos mais fortes de um parkinsoniano. Ele mostrou ao público, até o fim de sua vida, todos os estágios da doença, nunca escondendo sua verdadeira condição. O ator Michel J. Fox, no auge de seu sucesso, veio a público dizer que estava se afastando das telas devido ao mal de Parkinson. O boxeador Muhammad Ali, também tem a doença.

O mal de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, lentamente progressiva e que surge, na maioria das vezes em pessoas de ambos os sexos acima de 50 anos. Ainda não se sabe quais são as causas da doença, sendo assim classificada como idiopática. Os sintomas são muito visíveis, como fala monótona, rigidez muscular, tremor de repouso, diminuição da mobilidade e instabilidade postural. A pele do doente se torna lustrosa dando a aparência do rosto de um boneco.

O diagnóstico, quando feito inicialmente não é fácil, já que os sintomas, ainda no inicio, podem ser atribuídos á outras doenças. Á medida que o tempo passa, o diagnóstico se torna cada vez mais fácil já que as características da doença estão mais evidentes. Apesar de não haver cura, há tratamentos que podem ser feitos para regredir ou diminuir os sintomas. Cada indivíduo responde de forma diferente ao tratamento que pode ser feito através do uso de medicamentos, fisioterapia, psicoterapia e em alguns casos isolados, a cirurgia. 

Mas apesar de tudo, é muito importante salientar que, são disponíveis em rede pública os medicamentos para tratar a doença de Parkinson. A rede pública de saúde oferece tratamento gratuito a todos os doentes visando melhorar a qualidade de vida do parkinsoniano.



Maquiagem ‘bafônica’ ou mais discreta?

Influencer de beleza ensina passo a passo de make perfeita para o Carnaval.

Maquiagem ‘bafônica’ ou mais discreta?

Como apoiar um colaborador com síndrome do pânico?

Você está vivendo um dia normal. A rotina é a mesma, nada de novo. A mesma tranquilidade de sempre.


O que fazer quando alguém tem uma síncope?

Normalmente, antes da síncope costuma haver palidez, vertigem, suor frio,  formigamento no corpo, pulsação fraca, diminuição da audição e visão embaçada.

O que fazer quando alguém tem uma síncope?

Casos de sífilis têm aumento no Brasil

Principal forma de transmissão da doença são as relações sexuais sem proteção.

Casos de sífilis têm aumento no Brasil

Violência “no touch”

O assédio moral pode trazer sequelas emocionais e físicas.


Esfoliação ideal para uma pele linda e renovada

Dicas para manter uma pele saudável e bem cuidada.

Esfoliação ideal para uma pele linda e renovada

Fevereiro é mês de conscientização do Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer

Embora sejam doenças que não têm cura o diagnóstico precoce e correto pode garantir melhor qualidade de vida aos pacientes.

Fevereiro é mês de conscientização do Lúpus, Fibromialgia e Alzheimer

Exercícios físicos x uso de prótese nos seios

O implante de próteses nos seios é uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelas brasileiras.

Exercícios físicos x uso de prótese nos seios

Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo foca em crianças e jovens

Nesta primeira etapa serão enviadas 660 mil doses da tríplice viral, destinadas a crianças e jovens entre 5 e 19 anos.

Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo foca em crianças e jovens

Como utilizar corretamente o protetor solar

Dicas simples que podem te ajudar de forma correta este produto indispensável para a saúde.

Como utilizar corretamente o protetor solar

Transtorno de conduta infantil

O Transtorno de conduta (TC) não é uma simples desobediência.


Volta às aulas: as vacinas estão em dia?

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que as vacinas das crianças e dos adolescentes estejam em dia.

Volta às aulas: as vacinas estão em dia?