Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Passe a fase de resguardo livre de preocupações

Passe a fase de resguardo livre de preocupações

13/11/2008 Divulgação

Diferente do que sugere o senso-comum, a recuperação não dura 40 dias.

Caminhar sozinha
Parto normal: só depende mesmo da sua disposição. Mas para andar na rua, é melhor esperar uma semana, quando a episiotomia já estiver mais bem cicatrizada.
Cesárea: por causa do corte abdominal, bastante profundo, é melhor evitar caminhar sozinha no primeiro mês. O ideal é restringir os movimentos ao mínimo necessário.

Fazer ginástica
Parto normal: um mês depois da chegada do bebê os exercícios de musculação, alongamento, além dos treinos aeróbios estão completamente liberados.
Cesárea: para garantir a cicatrização de todas as camadas da pele, dois meses sem exercícios são exigidos das mulheres que recorrem à cesariana.

Tomar banho sem ajuda
Parto normal: se o bebê nasceu pela manhã, à noite você já está livre para saracotear sozinha pelo quarto e ir ao banheiro sem depender de companhia. Nesse caso, a disposição conta muito mais do que a debilitação em si.
Cesárea: por causa do corte no abdômen, pelo menos um dia de inteiro repouso é necessário. Para tomar banho, você vai precisar da ajuda de uma enfermeira nas primeiras 24 horas após o parto, mas não se preocupe com as dores. Atualmente, os especialistas usam uma anestesia chamada intradural com morfina. Ela demora três dias para ser completamente metabolizada e, portanto, livra vocês dos piores incômodos (aqueles logo após o fim da cirurgia).

Pintar o cabelo
Parto normal: no caso de tratamentos estéticos, as restrições são as mesmas do período gestacional, independentemente do parto. Isso porque agentes químicos podem comprometer a qualidade do leite materno.
Cesárea: tinturas, ácidos para a pele e medicamentos estão proibidos, salvo sob autorização médica.

Comer à vontade
Parto normal: não existem aqui restrições no cardápio. O importante é, ao contrário, reforçar a dieta, com a inclusão de suplementos vitamínicos, ferro e cálcio. As precauções são necessárias para garantir a sua saúde e a produção de leite materno durante os primeiros seis meses de vida do bebê.
Cesárea: vale a mesma recomendação para as mães que fizeram parto normal. Fale com seu médico e veja se é necessário fazer alguma mudança na suplementação que ele receitou durante o pré-natal.

Fazer sexo
Parto normal: é preciso, no mínimo, um mês de resguardo. Nesse período, acontece um sangramento natural, que costuma incomodar, e ainda há um pouco de dor vaginal por causa da episiotomia. É preciso esperar a cicatrizar completa do corte vaginal, evitando lesões musculares no assoalho pélvico, na bexiga e até no reto (parte final do intestino). Mas, além das alterações emocionais causadas pela chegada da criança, há mudança hormonal que diminui a libido feminina, principalmente na fase de amamentação. Mas, se este não for o seu caso, não deixe de pedir ao seu médico a receita de um anticoncepcional. Existem pílulas especiais para a mulher que está produzindo leite.

Cesárea: aqui também é necessário um mês de repouso. Mesmo não havendo a cisão vaginal, o corte na barriga exige bastante cautela na cicatrização. Em uma semana, os pontos já caíram ou forma removidos, mas as camadas mais profundas da pele demoram cerca de 30 dias para se restabelecerem completamente. Atrapalhar esse processo favorece a aparição de uma hérnia abdominal. Trata-se de uma saliência arredondada, que precisa de uma cirurgia para ser removida (além do desconforto estético, ela compromete o funcionamento do intestino).

Fonte: Minha Vida 



Ministério da Saúde lança campanha nacional de combate à sífilis

Gestantes representaram mais da metade dos casos contraídos em 2020.


Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Cerca de 3,7 milhões de atendimentos deixaram de ser feitos.

Pandemia afetou em 35% número de consultas oftalmológicas em 2020

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Uma pesquisa recente publicada pela Digital Turbine mostra que 20% dos brasileiros não ficam mais de 30 minutos longe do celular.

Nomofobia: Você tem medo de ficar longe do celular?

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

A região lombar costuma ser a mais afetada pela osteofitose

Dor crônica na região lombar pode ser sinal de ‘bico de papagaio’

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

A renda obtida com a venda dos livros será doada ao Instituto Correndo Pelo Diabetes para incentivar a prática da atividade física.

Livro inédito comemora centenário da descoberta da insulina

10 curiosidades sobre o crânio e o cérebro que irão te surpreender

Ainda estamos longe de conhecer todo o mistério que envolve a interligação do cérebro com o nosso organismo como um todo, mas já temos importantes achados.


Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Com medo do contágio pelo coronavírus, as mulheres deixaram de lado a rotina de cuidados.

Quase 3 milhões de mulheres deixaram de rastrear o câncer de mama na pandemia

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Em 2021, Brasil registra 299.304 pessoas mortas por doenças cardiovasculares.

Bons hábitos de saúde podem evitar doenças cardiovasculares

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Conheça os riscos e benefícios de crianças e adolescentes usar lentes de contato.

Uso de lentes de contato por crianças deve ser cauteloso

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Medicações têm efeitos danosos, inclusive com risco de morte.

Pandemia aumenta uso de ansiolíticos, antidepressivos e estabilizadores de humor

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Entenda como as diferentes posições para dormir interferem no funcionamento do organismo.

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

"Conhecer demência é conhecer Alzheimer" é tema de campanha em 2021.

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença