Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vacinas: destrinchando as fases da produção

Vacinas: destrinchando as fases da produção

23/07/2020 Marcelo Perrenoud

A história do processo de produção das vacinas remonta aos trabalhos realizados pelo naturalista e médico inglês Edward Jenner, no final do século XVIII.

Vacinas: destrinchando as fases da produção

Jenner utilizou material obtido de lesões de animais infectados pela varíola bovina a fim de promover a imunização em humanos. Devido aos estudos iniciais terem sido feitos com
bovinos, deu-se o nome de vacina, palavra derivada do latim vacca (vaca), ao produto atualmente tão conhecido.

Mas afinal, o que é uma vacina?

Vacina é composta por antígenos (toxinas, fragmentos proteicos, vírus e bactérias) mortos ou atenuados, que são incapazes de causar uma doença, porém são capazes de gerar uma resposta imunológica, prevenindo o indivíduo contra a doença provocada pelo agente presente na vacina. Em resumo, o processo de vacinação é uma medida preventiva contra diversas doenças.

As vacinas podem ser classificadas de acordo com o tipo de antígeno que utilizam para promover a imunização. Abaixo alguns exemplos:

- vírus atenuado (exemplos de vacinas: varíola, poliomielite, sarampo, caxumba, rubéola, gripe e febre amarela)

- vírus inativado (exemplos de vacinas: hepatite A, influenza e raiva)

- bactéria atenuada (exemplos de vacinas: tuberculose e febre tifoide)

- bactéria inativada (exemplos de vacinas: coqueluche)

Mas de que maneira as vacinas são produzidas?

Há diferentes formas para a produção de uma vacina. Tomemos como exemplo a da febre amarela:

1ª Etapa: os vírus causadores da doença são isolados e inativados através de processos de elevação e diminuição da temperatura.

2ª Etapa: os vírus atenuados são inoculados em ovos de galinha fertilizados.

3ª Etapa: após um período de incubação, os vírus são extraídos dos ovos e a solução em que se encontram é congelada a uma temperatura de -70 ºC.

4ª Etapa: após testes de qualidade, o produto é colocado dentro de ampolas e disponibilizado para hospitais e postos de saúde.

Para que uma vacina possa ser liberada para o mercado consumidor, ela precisa passar por diversos testes de segurança e eficácia. Todo esse processo pode demorar muitos anos e consumir muitos milhões de dólares.

Quais são as fases necessárias para a produção de uma vacina?

Fase pré-clínica: esta primeira fase envolve diversos experimentos laboratoriais, em células cultivadas in vitro e também testes em animais. Aproximadamente 90% dos compostos são reprovados nesta fase, não seguindo adiante.

Fase 1: o medicamento é testado em humanos. Pequenos grupos de 20 a 100 indivíduos são analisados, e verifica-se neste momento a dosagem e os efeitos colaterais. Cerca de 70% dos compostos aprovados na fase pré-clínica são reprovados na fase 1.

Fase 2: os testes agora são realizados em grupos de 100 a 300 pessoas. O objetivo desta fase é verificar a eficácia da futura vacina e os efeitos colaterais.

Fase 3: esta é a última fase dos testes clínicos, nos quais a vacina é testada em grupos de 300 a 3 mil pessoas. De cada 10 compostos que chegam até esta fase, 7 são reprovados.

Fase 4: com a vacina já em comercialização, ocorre um acompanhamento de grupos de pessoas que receberam doses do composto. Este procedimento visa verificar se a vacina está atingindo sua eficácia desejada.

Quais doenças podem ser prevenidas com o auxílio das vacinas?

Algumas das principais doenças que podem ser prevenidas são: gripe, febre amarela, catapora, sarampo, caxumba, rubéola, poliomielite, hepatite A, hepatite B, papilomavírus (HPV), tétano, meningite, tuberculose, entre outras.

Segundo o Ministério da Saúde, hoje, o Brasil disponibiliza anualmente mais de 300 milhões de doses de vacinas para a população, através do Sistema Único de Saúde (SUS). Milhares de pesquisadores e centenas de instituições de pesquisa trabalham ininterruptamente para que novas vacinas sejam produzidas, garantindo a prevenção de doenças que desafiam a ciência, como a Covid-19.

* Marcelo Perrenoud - Biólogo formado pela UNESP, Pós-graduado em Gestão Ambiental pela USP e Mestre em Ciências Ambientais. É professor e autor do material didático do Sistema Anglo de Ensino.

Fonte: Comuniquese



Principais vacinas e reações em bebês

A vacinação infantil protege de inúmeras doenças e faz parte dos cuidados básicos.

Principais vacinas e reações em bebês

Campanha Nacional de Vacinação foca em poliomielite e multivacinação

Cerca de 40 mil salas de vacinação em todo o país começaram a aplicar os imunizantes. A campanha terminará em 9 de setembro.

Campanha Nacional de Vacinação foca em poliomielite e multivacinação

Sinusites e conjuntivites do inverno aumentam risco da celulite ocular em crianças

Os principais sintomas da celulite periorbital e orbital são vermelhidão e inchaço nas pálpebras.

Sinusites e conjuntivites do inverno aumentam risco da celulite ocular em crianças

Transtornos alimentares: conheça as diferenças de cada tipo e os sintomas

Os transtornos alimentares podem trazer consequências sérias para a saúde.

Transtornos alimentares: conheça as diferenças de cada tipo e os sintomas

Mito ou verdade: seguro de vida é usado somente em morte

O seguro de vida oferece diversas coberturas para serem utilizadas em vida.

Mito ou verdade: seguro de vida é usado somente em morte

O perigo dos cigarros eletrônicos para os adolescentes e jovens

Um pequeno dispositivo que cabe no bolso e que surgiu com a promessa de ser menos prejudicial que o cigarro normal e ainda ajuda a parar de fumar.

O perigo dos cigarros eletrônicos para os adolescentes e jovens

ANVISA aprova novos produtos de canabidiol no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou pela primeira vez dois produtos medicinais com teor de THC acima de 0,2%.

ANVISA aprova novos produtos de canabidiol no Brasil

Cuidados ao longo do dia melhoram aparência da pele e previnem doenças

Os diferentes tipos de pele e os cuidados que devem ser tomados em cada período do dia.

Cuidados ao longo do dia melhoram aparência da pele e previnem doenças

Rosácea aumenta risco de inflamação crônica nas pálpebras e olho seco

Doença afeta cerca de 5% da população e em 20% dos casos há manifestações oculares.

Rosácea aumenta risco de inflamação crônica nas pálpebras e olho seco

Benefícios da osteopatia na gravidez

Todo o processo focará na extinção e prevenção de qualquer tipo de dores e inflamações oriundas das alterações corporais.

Benefícios da osteopatia na gravidez

Entorse de tornozelo pode evoluir para lesões mais severas quando não tratado

Até um terço dos pacientes podem sentir dor depois de 12 meses da lesão.

Entorse de tornozelo pode evoluir para lesões mais severas quando não tratado

Diabetes aumenta em 35% o risco de desenvolver um glaucoma neovascular

Glaucoma neovascular está ligado ao diabetes e doenças que afetam o sistema vascular.

Diabetes aumenta em 35% o risco de desenvolver um glaucoma neovascular