Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Você desconfia que já não ouve tão bem quanto antes?

Você desconfia que já não ouve tão bem quanto antes?

04/09/2019 Da Redação

Aprenda a reconhecer, por meio de dez sintomas, os primeiros indícios de perda de audição.

Você desconfia que já não ouve tão bem quanto antes?

Falar sobre perda auditiva nunca é fácil. Em geral, as pessoas têm dificuldades para admitir que começam a ter dificuldades para ouvir. Isso ocorre porque na maioria dos casos, a perda de audição acontece gradualmente e os sintomas são difíceis de serem identificados. Além disso, a falta de informação e o preconceito fazem com que a consulta ao médico seja protelada.

O fato é que aproximadamente uma em cada dez pessoas, a partir dos 40 anos, já tem algum grau de perda auditiva. Com o envelhecimento natural do corpo, as células ciliadas do ouvido interno começam a morrer e não se regeneram. É um processo contínuo que aos poucos vai agravando a deficiência. Por isso, na Terceira Idade, a perda de audição tende a ser mais severa.

"O primeiro passo é aceitar que já há dificuldades para ouvir em certas situações do dia a dia, o que pode levar um tempo. Reconhecer a deficiência é importante, já que vários estudos comprovam que o tratamento adequado para recuperar a audição, geralmente com o uso de aparelhos auditivos, resulta em melhoras significativas na qualidade de vida, garantindo mais alegria e disposição para interagir com amigos e familiares", afirma a fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas.

O indivíduo já pode notar os primeiros indícios de surdez pela dificuldade em ouvir o que as pessoas estão falando. Outros dez outros sintomas também devem acender o sinal amarelo.

- Assistir TV em volume mais alto do que as outras pessoas da casa, pedindo com frequência para aumentar o som

- Comunicar-se com dificuldade quando está junto a um pequeno grupo ou em uma reunião

- Pedir com freqüência que as pessoas repitam o que disseram

- Ouvir as pessoas falando como se elas estivessem sussurrando

- Dificuldade em comunicar-se em ambientes ruidosos, como no carro, no ônibus ou em uma festa

- Se concentrar muito para entender o que as pessoas falam ou cochicham.

- Fazer uso de leitura labial durante uma conversa

- Não ouvir quando é chamado por uma pessoa que não está à sua frente ou que se encontra em outro cômodo

- Ouvir com dificuldade o toque da campainha ou do telefone; ou mesmo ficar embaraçado ao não entender o que outro diz durante conversa pelo telefone.

- Família e amigos comentam que você não está ouvindo bem.

O diagnóstico de perda auditiva deve ser feito por um médico otorrinolaringologista. A Telex Soluções Auditivas também oferece um check-up auditivo gratuito, feito por fonoaudiólogos, em suas lojas. Cabe ao fonoaudiólogo também decidir qual tipo e modelo de aparelho auditivo são indicados para atender às necessidades de cada pessoa.

"Dificuldades de audição podem afetar a vida social e prejudicar as relações de trabalho. A perda auditiva acontece de maneira lenta e progressiva. Com o decorrer dos anos, se não houver tratamento, a deficiência atinge um estágio mais avançado. Por isso, o uso diário do aparelho e o apoio da família são essenciais para que o indivíduo resgate a autoestima", explica a fonoaudióloga da Telex.

A tecnologia tem sido uma grande aliada dos deficientes auditivos. Além da melhoria na qualidade do som, o design da maioria dos aparelhos auditivos atuais garante discrição e elegância. Atualmente, há uma diversidade de modelos de aparelhos, adequados para diferentes graus de perda de audição.

Fonte: Telex Soluções Auditivas / Ex-Libris Comunicação Integrada



Os males provocados pelo açúcar

O açúcar já foi detectado como um vilão para a saúde.

Os males provocados pelo açúcar

Campanha de combate ao Aedes aegypti é antecipada no país

Objetivo do Ministério da Saúde é mobilizar mais a população no período da seca.

Campanha de combate ao Aedes aegypti é antecipada no país

Osteoporose: a doença silenciosa que ataca os ossos

Envelhecer é um fenômeno natural que acarreta diversas transformações e exige cuidados redobrados com a saúde.

Osteoporose: a doença silenciosa que ataca os ossos

Obesidade é considerado o mau dos últimos séculos

A obesidade atinge mais de 30% da população brasileira.

Obesidade é considerado o mau dos últimos séculos

Estudo mostra que erradicação da malária pode ser possível até 2050

Desde 2000, a incidência da malária e a taxa de mortalidade em nível global vem caindo ano a ano.

Estudo mostra que erradicação da malária pode ser possível até 2050

Um em cada três jovens já sofreu bullying na internet, diz Unicef

Redes sociais como Facebook e Instagram são os principais meios de cyberbullying entre os jovens.

Um em cada três jovens já sofreu bullying na internet, diz Unicef

Asma e exercício físico

Pessoas com asma tendem a não praticar exercícios físicos devido às crises que podem surgir durante a atividade.

Asma e exercício físico

Municípios receberão R$ 44 milhões para equipar salas de vacinação

Medida visa garantir a qualidade dos imunobiológicos ofertados à população.

Municípios receberão R$ 44 milhões para equipar salas de vacinação

Alguns alimentos podem ajudar no combate à depressão

Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015.

Alguns alimentos podem ajudar no combate à depressão

Fobia social cresce no Brasil

Conheça os sintomas e tratamentos atuais.


BH é a 3ª capital no país com maior número de pessoas com diabetes

ADJ Diabetes Brasil promove campanha nacional sobre o controle do diabetes.


Setembro amarelo terá foco em prevenção do suicídio entre os jovens

A campanha Setembro Amarelo ocorre anualmente em todo o mundo.

Setembro amarelo terá foco em prevenção do suicídio entre os jovens