Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Desafios e oportunidades para o setor de educação este ano

Desafios e oportunidades para o setor de educação este ano

12/05/2021 Marcos Boscolo

O setor de educação é ainda muito fragmentado e com grande potencial de transações.

Desafios e oportunidades para o setor de educação este ano

Há pouco mais de 13 anos, o setor de educação passou a ser visto não apenas como um dos principais segmentos da economia brasileira, em função do aspecto social, mas também como uma das áreas mais promissoras para fazer negócio. Esse movimento teve início, em 2007, quando ocorreram os três primeiros processos de abertura de capital (IPO, sigla em inglês para Oferta Pública Inicial) no setor, seguidos por uma segunda fase, que aconteceu em 2013. Com o caixa fortalecido por meio de captações de recursos com a venda de ações, acompanhado por planos de expansão assumidos pelos acionistas, essas instituições iniciaram um intenso processo de crescimento inorgânico.

Em 2008, ano seguinte à realização dos primeiros IPOs, ocorreram 53 aquisições, fazendo com que o setor de educação fosse o quarto maior em volume de transações naquele ano. Desde então, houve uma redução na quantidade de negócios fechados, porém o segmento ainda continuou bastante aquecido e vem se mantendo como uma das dez principais áreas que mais realizaram fusões e aquisições. Já se considerarmos as transações ocorridas deste período até ano passado, foram concretizadas 345 operações, o que coloca o setor de educação em 9º lugar em volume de transações, ficando à frente de varejo, telecomunicações, mídia e seguros.

Apesar da crise causada pela covid-19, o movimento de fusões e aquisições em educação, no ano passado, teve um resultado bastante positivo, fechando o período com 27 transações. Muitas instituições educacionais movimentaram-se em busca de consolidação em regiões estratégicas no país, se posicionaram em nichos específicos de mercado como sistemas de ensino ou se expandiram em áreas em que já atuavam, aumentando sua parcela de mercado. Outra ação estratégica foi a busca por empresas que ofereciam plataformas de ensino e que atendiam às necessidades emergenciais para prover educação de qualidade no formato online.

O setor de educação é ainda muito fragmentado e com grande potencial de transações. Somente o ensino básico privado possui mais de 40 mil escolas. Ainda existe um volume expressivo de instituições que operam em outras modalidades de educação como escolas de idiomas, ensinos técnicos e profissionalizantes, cursos extracurriculares, preparatórios, além de mais de 500 startups.
Se compararmos o setor de educação a outros, é possível perceber que ainda não ocorreram grandes mudanças e avanços tecnológicos que pudessem ser considerados um movimento disruptivo e na forma como as instituições se relacionam com alunos e professores, levam conhecimento, monitoram e avaliam o conteúdo, entre outros aspectos.

Apesar das diversas possibilidades de crescimento e consolidação em educação, o setor ainda tem muitos desafios neste ano. Algumas instituições de ensino tiveram os negócios fortemente impactados no ano passado pela queda no volume de receitas associada ao aumento da inadimplência e evasão de estudantes. Além disso, como forma de manter e captar novos alunos, tiveram que oferecer programas de financiamento, bolsas e descontos. Com isso, iniciaram este ano com os caixas pressionados e menor capacidade de fazer investimentos.

Temos ainda, além do desafio da implantação de avanços tecnológicos, um abismo a ser ultrapassado que refere-se à falta de formação de jovens e adultos. O país possui cerca de 50 milhões de pessoas entre 14 e 29 anos que não completaram sequer o ensino médio.
Com isso, conclui-se que existem gigantescas oportunidades no setor de educação, tanto em termos de transformação digital como em consolidação de instituições, agregando outras modalidades de ensino às tradicionais mais conhecidas. Há também um grande desafio social associado à inclusão de uma parcela da população que deixou de estudar e enfrenta dificuldades na busca por um emprego e por renda em função da baixa qualificação educacional.

* Marcos Boscolo é sócio do setor de educação da KPMG.

Para mais informações sobre Educação clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação (RV&A)



Startup lança solução para integrar a cadeia de frutas, legumes e verduras

OpenSolo desenvolve ferramenta ágil e completa para produtores, varejistas, distribuidores, importadores e exportadores que responda ao dinamismo do mercado de FLV.

Startup lança solução para integrar a cadeia de frutas, legumes e verduras

Como tornar uma startup atraente para investidores

Especialista em investimentos indica os principais passos a serem seguidos pelas empresas que estão em busca de captação.

Como tornar uma startup atraente para investidores

Startup abre inscrições para curso gratuito para formar profissionais de tecnologia

Interessados podem se inscrever até 22/12 e os melhores alunos serão selecionados para programa de trainee.


Como investir com segurança em uma startup?

As startups continuam trazendo resultados surpreendentes e estão movimentando aplicações bilionárias, atraindo cada vez mais o interesse de investidores.

Como investir com segurança em uma startup?

Cinco startups mineiras estão na etapa final do programa Capital Empreendedor

Nos dias 24 e 25 de novembro, as empresas participam do Circuito de Investimentos, em São Paulo. Ao todo, 50 startups de todo o Brasil foram selecionadas.


Travel Tech mineira é reconhecida entre as 25 startups mundiais mais promissoras

Desde a sua fundação, em setembro de 2018, empresa vem revolucionando o mercado de viagens corporativas do Brasil.

Travel Tech mineira é reconhecida entre as 25 startups mundiais mais promissoras

Startup lança plataforma de contratação para mulheres em vulnerabilidade

{reprograma} aumenta a empregabilidade feminina na área tech.


Dez startups investidas pelo BMG UpTech estão entre as mais atraentes do mercado

BMG UpTech identifica as startups cujos negócios sejam viáveis, investe no seu desenvolvimento e as coloca em contato com o mercado.

Dez startups investidas pelo BMG UpTech estão entre as mais atraentes do mercado

Startup de logística Uello expande operação para Minas Gerais

Logtech realiza mais de 7 mil entregas por dia para mais de 150 clientes, entre eles MMartan, Petz, Polishop e Etna.


Como uma PME ou startup pode vender para grandes empresas?

Investir no relacionamento com tomadores de decisão e utilizar novos canais para prospecção é o primeiro passo para ter êxito nas negociações.

Como uma PME ou startup pode vender para grandes empresas?

BlackRocks Startups anuncia selecionadas mineiras para o Grow Startups 2021

Grow Startups é um programa aceleração de startups voltado para o crescimento econômico e escalável dos negócios liderados por empreendedores negros.

BlackRocks Startups anuncia selecionadas mineiras para o Grow Startups 2021

Startup gaúcha investe em sistema antifraude

Com análise em duas etapas, Appmax utiliza tecnologia híbrida para analisar fraudes levantadas por sistemas comuns e elevar resultados em até 50% na taxa de aprovação.

Startup gaúcha investe em sistema antifraude